Show simple item record

dc.contributor.authorMalanski, Lawrence Mayerpt_BR
dc.contributor.otherKozel, Saletept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2013-06-14T15:50:13Z
dc.date.available2013-06-14T15:50:13Z
dc.date.issued2013-06-14
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30505
dc.description.abstractResumo: Pessoas vivem imersas em espaços que refletem aspectos culturais, preferências sociais, que despertam desejos e ambições e revelam problemas comuns a elas. A forma como as pessoas interpretam e representam estímulos sensoriais espaciais varia muito e é influenciada pelo contexto cultural, estado emocional e capacidade sensitiva. Parte do tempo diário de algumas pessoas se passa em escolas com espaços arquitetados para dar suporte ao desenvolvimento dos processos de ensino e aprendizagem e a socialização. No entanto esses espaços, sobretudo de escolas públicas, demonstram, num primeiro momento, não serem humanizados, pois se encontram mal conservados, vandalizados e limitados a padrões arquitetônicos que dificultam a criação de laços identitários pelos seus frequentadores. Nesse contexto, o estudo dessa dissertação teve por objetivo elaborar uma síntese analítica geográfica de um espaço escolar público a partir de representações de pessoas que o vivem diariamente, pois acreditou-se que compreender os significados atribuídos por elas a esse espaço pode ser o início para torná-lo mais humanizado. Nessa perspectiva, espaço é abordado a partir de paradigmas da Geografia Humanista, na qual desempenha função dialógica com as pessoas que o vivem. Para tanto, fez-se uso do recurso de mapeamento mental coletivo, uma forma de representação que valoriza a interação social e facilita a leitura e interpretação do material cartográfico. A leitura e análise do mapa mental coletivo e a síntese qualitativa revelam que o espaço escolar analisado é reificado e compartimentado em vários outros espaços menores predominantemente funcionais e hierarquizados. Além disso, pode-se assumir que esses espaços possuem baixa imaginabilidade e muitos apresentam aspectos topofóbicos e de não-lugar.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectGeografia humanapt_BR
dc.subjectPercepção espacialpt_BR
dc.subjectRepresentações de grupospt_BR
dc.titleRepresentação do espaço escolar a partir de mapeamento coletivopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record