Show simple item record

dc.contributor.advisorMolento, Carla Forte Maiolinopt_BR
dc.contributor.authorFederici, Juliana Freitaspt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2013-01-02T17:29:09Z
dc.date.available2013-01-02T17:29:09Z
dc.date.issued2013-01-02
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29084
dc.description.abstractResumo: O crescimento da avicultura de corte nacional e o alcance a diversos mercados, especialmente ao mercado europeu, intensificaram a preocupação com o tema bem-estar, que passou, principalmente na última década, a ser cada vez mais debatidas nacionalmente. A comunidade europeia vem intensificando esforços no sentido de garantir condições equitativas de bem-estar nas produções de aves de corte da comunidade europeia e de países terceiros, principalmente devido às pressões de produtores locais após a regulamentação de bem-estar de frangos de corte, válida a partir de 2010. No entanto, publicações científicas diagnosticando efetivas diferenças e fragilidades do grau de bem-estar dos frangos produzidos nos países terceiros em relação aos europeus são escassas. Avanços nos critérios de avaliação de bem-estar dos sistemas produtivos de frango associado a uma maior autonomia nessa área pode oferecer ao nosso país uma vantagem no âmbito do comércio internacional. Este trabalho teve o objetivo de contribuir para um maior conhecimento do grau de bem-estar em frangos de corte em sistemas industriais e discutir o tema bem-estar animal nas relações comerciais entre países europeus e países exportadores para essa região. Foram abordados temas relacionados à avaliação do grau de bem-estar de frangos de corte em granjas industriais no sul do Brasil e à comparação do grau de bem-estar de frangos de corte criados em sistemas industriais considerando duas realidades distintas, a saber: a produção em sistema totalmente climatizado e tecnificado do norte da Bélgica e a produção de frangos de corte em granjas integradas da região sul do Brasil, principal região exportadora de frangos para o mercado europeu. Finalmente, foi realizada uma discussão acerca de como o bem-estar de frangos de corte tem sido abordado nas relações comerciais entre o Brasil e os países importadores da comunidade europeia. Esses assuntos foram abordados respectivamente nos capítulos II, III e IV desta dissertação. O capítulo II apresenta uma avaliação do grau de bem-estar no sistema industrial no sul do Brasil por meio da utilização de um protocolo europeu de diagnóstico de bem-estar animal. O capítulo III apresenta a comparação do grau de bem-estar de frangos de corte criados em granjas industriais no Brasil e na Bélgica e salienta quais as principais oportunidades de melhorias em ambas as regiões. O capítulo IV apresenta uma revisão bibliográfica que salienta o tema bem-estar nas relações comerciais entre países terceiros exportadores de frangos de corte; especialmente o Brasil, que se destaca atualmente como principal exportador de carne de frangos no mundo, e os países importadores da união europeia. O capítulo V, de considerações finais, destaca a importância do diagnóstico de bem-estar no sistema brasileiro e como os resultados comparativos apresentados no capitulo III podem trazer vantagens competitivas ao Brasil no comércio internacional com países da União europeia.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleBem-estar de frangos de corte no Brasil e na Bélgicapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record