Show simple item record

dc.contributor.advisorSoccol, Vanete Thomazpt_BR
dc.contributor.authorTeixeira, Valéria Nataschapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2012-12-05T13:13:08Z
dc.date.available2012-12-05T13:13:08Z
dc.date.issued2012-12-05
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28819
dc.description.abstractResumo: Foi realizado o levantamento da helmintofauna de nove espécies de serpentes peçonhentas do Estado do Paraná. Os animais eram provenientes do serpentário do Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos da Secretaria de Estado da Saúde. Exames coproparasitológicos e necroscópicos foram realizados durante o período de setembro de 1993 a dezembro de 1998. Três métodos de exames coproparasitológicos foram realizados: Direto, de Flutuação (Willis & Mollay, 1921) e de Sedimentação Simples (Hoffmann, Pons & Janer, 1934). Dos 90 exames realizados, 43 amostras eram provenientes de Bothrops jararaca, 12 de Crotalus durissus, 11 de Bothrops moojeni, nove de Bothrops neuwiedi, sete de Bothrops jararacussu, sete de Bothrops alternatus e uma de Bothrops cotiara. Os resultados encontrados foram que 91,12% dos exames estavam positivos. De todos os exames, 82,22% apresentavam ovos de Oxyuroidea, 20,00% ovos de Strongyloidea, 13,33% ovos de Ascaroidea, 12,22% ovos de Hymenolepididae, 11,11% oocistos de Eimeria, 10,00% larvas rabditóides, 5,55% ovos de Rhabdiasoidea, 5,55% ovos de cestodas e 1,11% ovos de Spiruroidea. Foram realizadas 165 necropsias, sendo 95 em Crotalus durissus, 30 em Bothrops jararaca, 12 em Bothrops jararacussu, 11 em Bothrops neuwiedi, oito em Bothrops moojeni, quatro em Micrurus frontalis, três em Bothrops alternatus e duas em Micrurus corafinus. Foram encontradas oito espécies de parasitos em 41,21% das serpentes (68 animais): Rhabdias vellardifoi encontrado em 35,29% dos exames, Ophidascaris trichuriformis em 29,41%, Hexametra quadrícornis em 22,05%, Kalicephalus inermis em 16,17%, Ophidascaris spp. em 11,76%, Porocephalus crotali em 8,82%, Polydelphis quadrangularis em 7,35% e Zeferinella vazi em 1,47%. Após a obtenção destes dados, todas as serpentes do cativeiro foram tratadas com solução injetável de ivermectina 1%, na dose de 200 ng/kg, diluída em 1:10 em propilenoglicol, por via subcutânea. Medidas de limpeza das caixas de contenção foram adotadas para prevenir a contaminação interna no serpentário.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCobra venenosa - Parasito - Paranápt_BR
dc.subjectParasitologia veterinariapt_BR
dc.subjectAnimais selvagens em cativeiropt_BR
dc.subjectHelmintologia veterinariapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleLevantamento da helmintofauna de serpentes peçonhentas no Estado do Paraná / Valéria Natascha Teixeirapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record