Show simple item record

dc.contributor.advisorAndriguetto, Jose Lucianopt_BR
dc.contributor.authorLeite, Laudí Cunhapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.contributor.otherRibas, Newton Pohl, 1951-pt_BR
dc.date.accessioned2012-12-04T17:43:51Z
dc.date.available2012-12-04T17:43:51Z
dc.date.issued2012-12-04
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28793
dc.description.abstractResumo: A paresia da parturiente ocorre devido a uma falha no metabolismo de cálcio que não consegue suprir rapidamente a demanda abrupta de cálcio imposta pelo início da lactação. Esta doença metabólica traz grandes prejuízos aos produtores de leite e está associada com o aumento na incidência de outras doenças. Os objetivos deste trabalho foram avaliar os efeitos de três dietas, com balanços catiônicos-aniônicos da dieta (BCAD) de +122,1, -8,8 e -110,4 mEq/kg de MS, fornecidas durante quatro semanas antes do parto para os grupos 1, 2 e 3, respectivamente, sobre as concentrações de cálcio iônico e cálcio total plasmáticos e sobre o pH urinário. Foram utilizadas 21 vacas da raça Holandesa em um delineamento experimental inteiramente casualizado, no esquema de parcela subdividida, com sete repetições. As amostras de plasma foram colhidas junto com o início da dieta, até 12 horas depois e com 1, 2, 3 e 7 dias depois do parto e chamadas de períodos de colheitas 1, 2, 3, 4, 5 e 6, respectivamente. As amostras de urina foram colhidas semanalmente do início da dieta até o parto e foram agrupadas para a análise em três períodos, sendo o período 1 as colheitas realizadas no início do experimento, o período 2 as colheitas realizadas entre 20 e 11 dias antes do parto e o período 3 as colheitas realizadas entre 10 dias antes e o parto. A incidência de paresia da parturiente e de hipocalcemia subclínica não diferiram entre os grupos. Os níveis de cálcio iônico e total plasmáticos não diferiram entre os grupos para nenhum dos períodos estudados e nem para a interação dieta e período de colheita, mas houve diferenças significativas (P<0,01) entre os períodos de colheitas. O dia do parto teve os menores valores tanto para o cálcio total (7,52 mg/dL) quanto para o cálcio iônico (3,974 mg/dL). O pH urinário diferiu significativamente entre as dietas (P<0,05), períodos de colheitas (P<0,01) e interação dieta e períodos de colheitas (P<0,05). O grupo 3 teve o menor valor de pH urinário (P<0,05) no período de colheita 2 (7,238) em relação ao período 1 (8,094) e em relação ao grupo 1 (8,045) para o mesmo período. O fornecimento de dieta aniônica, através da inclusão de sais aniônicos ao concentrado, não teve efeito sobre as concentrações de cálcio iônico e total, reduziu o pH urinário e não impediu a ocorrência de hipocalcemia subclínica. Palavras-chave: Dieta Aniônica; Paresia da Parturiente; Período de Transição; Vacas Secas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDieta em veterinariapt_BR
dc.subjectCálcio na nutriçao animalpt_BR
dc.subjectDisturbios do metabolismo de calciopt_BR
dc.subjectBovino de leite - Alimentação e raçõespt_BR
dc.subjectNutrição animalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleDiferentes balanços catiônicos-aniônicos da dieta em vacas da raça holandesapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record