Show simple item record

dc.contributor.advisorCunha, Claudio Leinig Pereira dapt_BR
dc.contributor.authorAlmeida, Antonio Eduardo Monteiro dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúdept_BR
dc.date.accessioned2019-06-06T16:02:08Z
dc.date.available2019-06-06T16:02:08Z
dc.date.issued1997pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/28777
dc.descriptionOrientador: Claudio L. Pereira da Cunhapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Parana, Setor de Ciencias da Saudept_BR
dc.description.abstractResumo: Com o objetivo de avaliar o comportamento funcional de pacientes da Forma Indeterminada da Doença de Chagas, face à cicloergometria e à ecocardiografia unidimensional em repouso e exercício isométrico, foram estudados 30 portadores da FIDC, e comparados com igual número de indivíduos normais que compuseram o grupo controle. O grupo FIDC foi composto por candidatos a doadores no Banco de Sangue do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, que tinham sorologia positiva para doença de Chagas; era formado por 25 homens e 5 mulheres, sem sintomas ou sinais relativos aos aparelhos cardiovascular e digestivo. Apresentavam o eletrocardiograma, a radiografia do tórax com esôfago contrastado e a radiografia simples do abdômen normais. O grupo controle era composto por 25 homens e 5 mulheres hígidos, com reações sorológicas negativas, eletrocardiograma e radiografia do tórax normais. Os grupo eram similares com relação à idade, peso, altura e superfície corporal (p>0,05). Os testes cicloergométricos foram contínuos e máximos, em cargas sucessivas a partir de 25 watts. No ecocardiograma unidimensional foram analisadas, em repouso e durante exercício isométrico, 31 variáveis que envolviam dados anatômicos e de função global e regional do ventrículo esquerdo. O exercício isométrico foi realizado durante 3 minutos com 50% da força máxima pré-estabelecida. No teste cicloergométrico os pacientes do grupo FIDC tiveram um comportamento anormal da pressão arterial sistólica, representado por uma elevação inadequada (resposta deprimida com APS < 40 mmHg; platô; ou queda) comparados ao grupo controle (p<0,005). A resposta cronotrópica foi considerada dentro do normal para ambos os grupos, exceto um paciente da FIDC que não atingiu a FC submáxima. A ocorrência de arritmias foi de extrassístoles ventriculares isoladas em 3 pacientes do grupo FIDC e 1 do Controle. O comportamento da aptidão funcional baseado no consumo de oxigênio e na carga máxima atingida foi semelhante em ambos os grupos. Não tivemos alterações isquêmicas do segmento ST e nem complicações referentes ao método. O ecocardiograma unidimensional, tanto em repouso como em exercício isométrico, mostrou a dimensão diastólica do ventrículo esquerdo com valores maiores para o grupo FIDC (p<0,02), mas ainda com sua média dentro dos padrões normais; dois pacientes do grupo FIDC tinham ventrículo esquerdo dilatado. Os índices de função sistólica e diastólica, avaliados em suas médias, foram normais em ambos os grupos; dois pacientes do grupo FIDC apresentaram também função sistólica diminuída. O exercício isométrico não provocou modificações significativas nos dados ecocardiográficos analisados. Em conclusão, o comportamento funcional dos portadores da Forma Indeterminada da Doença de Chagas no teste cicloergométrico e no ecocardiograma, semelhante ao verificado em indivíduos normais, indica capacidade laborativa preservada nessa população.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: To evaluate the functional capacity of patients with Indeterminate Form of Chagas' Disease, we studied 30 patients (FIDC group) by stress testing and M-mode echocardiography, at rest and during isometric exercise (handgrip). They were compared to 30 normal subjects (control group). The FIDC group was composed by blood donors from the "Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná" and included 25 males and 5 females. All of them had positive serologic reactions to Chagas'disease, they were asymptomatic and had normal physical, radiological and electrocardiographic findings upon examination. The control group included 25 males and 5 females who were normal upon examination. The two groups were similar regarding age, weight, height and body surface area. At the stress tests, FIDC group had abnormal blood pressure curves, as shown by "plateau", decreased blood pressure or insufficient blood pressure elevation during exercise. Heart rate response to exercise was normal for both groups. Ventricular premature beats were observed in 3 patients of FIDC group and in 1 patient of control group. Functional capacity, assessed by oxygen comsuption and maximal load, was similar for both groups. Ischemic ST-T changes were not seen on the ECG. M-mode echocardiograms of FIDC group showed left ventricular dimensions larger than control group (p<0,02). Systolic and diastolic functions were normal for both groups. Isometric exercise did not change significantly the echocardiographic data obtained at rest. In conclusion, functional capacity of FIDC patients, assessed by stress test and M-mode echocardiogram, is similar to that of normal subjects, indicating a preserved labor capacity in this population.pt_BR
dc.format.extent114f. : grafs., tabs. ; 30cm.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEcocardiografiapt_BR
dc.subjectTeste de esforçopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleEcocardiograma sob exercicio isometrico e cicloergometria na forma indeterminada da doença de Chagaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record