Show simple item record

dc.contributor.advisorGastao Pereira da Cunhapt_BR
dc.contributor.authorSartori, Fernando Antoniopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Curso de Pós-Graduaçao em Cardiologiapt_BR
dc.date.accessioned2012-11-30T16:38:28Z
dc.date.available2012-11-30T16:38:28Z
dc.date.issued2012-11-30
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28764
dc.description.abstractResumo: Com o objetivo de levantar os fatores de risco capazes de influenciar a patogênese da aterosclerose, foram avaliados 628 funcionários do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, 422 mulheres, idades extremas de 14 e 68 anos, com média etária de 36 anos. Esta amostra foi subdividida em cinco sub-populações: homens, mulheres que não utilizavam hormônios, mulheres que usavam contraceptivos orais, aquelas que empregavam estrogênios de reposição e as gestantes. Os procedimentos estatísticos compreenderam: análise de correlação simples, teste t de"Student"bilateral para comparação de médias, teste de qui quadrado (X2) para amostras independentes e equação de regressão linear. Entretanto, o procedimento estatístico fundamental foi a análise de regressão múltipla. No total, estudaram-se 21 variáveis. Inicialmente, em cada sub-população, fez-se matriz de correlação simples de todas as variáveis duas a duas. Para a análise de regressão múltipla, se lecionaram-se 8 como dependentes, e as independentes foram aquelas que apresentaram associação ccm a variável dependente em questão,na matriz de correlação simples, em cada sub-população. As dependentes selecionadas foram: HDL-colesterol, colesterol total, triglicerídeos, índice de risco I (colesterol/ HDL-colesterol), pressão arterial diastólica, pressão arterial sistólica, sedentarismo e índice Quetelet (índice de massa corporal). 0 nível de significância aceito foi de 5% . Devido ao volume de dados obtidos, na discussão decidiu-se limitar o tema às interrelações do HDL-colesterol ccm as demais variáveis. Concluiu-se que os níveis do HDL -colesterol em mulheres foram superiores ao dos homens, independente da faixa etária. Em mulheres, o HDL-colesterol apresentou correlação positiva ccm o colesterol e negativa ccm os triglicerídeos, tabagismo e uso de contraceptivos orais. Em mulheres, quanto maior o número de cigarros consumidos menor o nível de HDL-colesterol (efeito-dose). Não houve efeito aditivo entre fumo e contraceptivos orais, sobre a concentração de HDL-colesterol. Ainda, em mulheres o índice Q apresentou relação inversa com o HDL-colesterol,apenas na análise de correlação simples. Comparando- se os níveis de HDL-colesterol, nos três tipos de dislipidemia, evidenciou-se menor valor no tipo IV, refletindo a relação inversa en tre triglicerídeos e esta fração lipoproteica. Além do mais, em mulheres, esta diferença atingiu nível de significância estatística. Nos homens, não ocorreu associação do HDL-colesterol com nenhuma variável, exceção feita à correlação inversa com os triglicerídeos. Conclui-se pela importância dos levantamentos epidemiológicos, principalmente em comunidade hospitalar, para a preservação da saúde de seus funcionários e o efeito multiplicador destes conhecimentos no âmbito familiar, de trabalho e comunitário.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.titleEpidemiologia do HDL-colesterol em comunidade hospitalarpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record