Show simple item record

dc.contributor.advisorReissmann, Carlos Brunopt_BR
dc.contributor.authorBritez, Ricardo Miranda dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencia do Solopt_BR
dc.date.accessioned2013-06-26T17:19:32Z
dc.date.available2013-06-26T17:19:32Z
dc.date.issued2013-06-26
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28096
dc.description.abstractFoi estudada a ciclagem de nutrientes de duas formações vegetais características dos cordões arenosos da planície litorânea da Ilha do Mel, Paranaguá, Paraná. Caracterizam-se por ocorrerem próximas uma da outra, sendo denominadas "restinga baixa" e "restinga alta", correspondendo a formações com o estrato arbóreo superior com alturas variando entre 8/15 metros e 15/25 metros, respectivamente. Enquanto a primeira ocorre nas partes mais elevadas dos cordões em local mais seco, a segunda ocorre nas depressões onde freqüentemente há o afloramento do lençol freático. Foram avaliadas a entrada de nutrientes pela água da chuva, a lixiviação de nutrientes das copas, e as saídas de nutrientes através do lençol freático, a composição química das espécies mais importantes, a produção de serapilheira, os horizontes orgânicos desenvolvidos no piso da floresta, os solos e a variação no nível do lençol freático. Os solos das áreas estudadas foram classificados como Podzol de textura arenosa, onde a profundidade do horizonte B espódico estava relacionado à faixa de oscilação do lençol freático. A matéria orgânica foi a principal responsável pela retenção de íons no solo, uma vez que no horizonte A1, ocorre uma quantidade maior de nutrientes disponíveis. Os solos das duas áreas de restinga, caracterizam-se pela, baixa CTC com poucos sítios para retenção de íons e por serem distróficos e fortemente ácidos. Embora a fertilidade dos solos seja considerada bastante baixa, a vegetação principalmente da restinga alta apresenta-se bem desenvolvida, apresentando mecanismos eficientes de conservação de nutrientes, dentre os quais: a presença de uma rede de raízes penetrando na serapilheira superficial, recuperando rapidamente os nutrientes das folhas caídas e da chuva antes que ocorra lixiviação; caráter perenifolio; capacidade de translocar nutrientes antes da abcisão foliar e eficiência elevada na utilização de nutrientes pela vegetação. Além destes mecanismos a vegetação da restinga, apresenta um aporte de nutrientes provenientes do oceano, através da água da chuva e da deposição seca na copa das árvores, que são prontamente incorporados ao sistema. Devido a formação recente da planície costeira da área estudada na Ilha do Mel (menos de 5.000 anos), as duas formações vegetais desenvolveram-se simultaneamente, somente que em processo sucessional diverso, onde o maior desenvolvimento da restinga alta está relacionado a maior umidade do solo. O processo de ciclagem de nutrientes é semelhante nas duas áreas, evidenciado pelo comportamento bastante próximo no que diz respeito a sazonal idade da deposição de serapilheira, e os teores de nutrientes nos compartimentos estudados. A diferença entre as áreas, está relacionada a maior produtividade primária líquida da restinga alta, refletida em uma deposição mais elevada de serapilheira e consequentemente de nutrientes, maior acumulo de nutrientes no solo através da matéria orgânica e maior acumulo de nutrientes na biomassa vegetalpt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectFitogeografia - Serra do Mar (PR)pt_BR
dc.subjectPlantas - Efeito dos mineraispt_BR
dc.subjectPlantas - Nutriçãopt_BR
dc.subjectCiclo mineral (Biogeoquimica)pt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleCiclagem de nutrientes minerais em duas florestas da planicie litoranea da Ilha do Mel, Paranagua, PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record