Show simple item record

dc.contributor.advisorRoderjan Carlos Vellozo, 1952-pt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Emerson Antonio dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherCurcio, Gustavo Ribaspt_BR
dc.contributor.otherSilva, Sandro Menezes, 1964-pt_BR
dc.date.accessioned2013-06-25T16:41:41Z
dc.date.available2013-06-25T16:41:41Z
dc.date.issued2013-06-25
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26639
dc.description.abstractA florística e a fitossociologia de um trecho conservado de floresta ripária do rio Quebra-perna, próximo de suas nascentes, na porção oriental dos Campos Gerais, sobre o arenito Fumas, foram estudadas através da instalação de 62 parcelas de amostragem da vegetação arbórea distribuídas em três compartimentos da floresta, geomorfológica elou estruturalmente distintos, quais sejam, a planície aluvionar, as áreas de contato com a Estepe (bordadura) e as encostas, inter-relacionando os fatores geopedológicos com os parâmetros fitossociológicos destes ambientes. A floresta aluvial, com um único estrato, constituída fundamentalmente por Sebastiania commersoniana e Calyptranthes concinna, as quais respondem por 66,5% do VI total da comunidade, apresenta-se sobre um material de origem recente (NEOSSOlO FLÚViCO Tb Eutrófico típico), desenvolvido a partir de deposições de sedimentos aluvio-coluvionares, de alta fragilidade, com a morfogênese superando a pedogênese o solo apresenta um soterramento recente de cerca de 50 cm. As bordaduras constituem-se de Myrcia breviramis, Myrceugenia sp., Araucaria angustifolia, Myrcia multiflora e Cinnamomum sellowianum, responsáveis por 52,6% do VI total, com um ou dois estratos, apresentando tortuosidade das copas do primeiro estrato para o lado externo da floresta, estabelecendo nos campos adjacentes pequenas "ilhas” de arbustos e sub-arbustos sob as copas, contribuindo para o avanço das formações arbóreas sobre as áreas estépicas. As florestas de encosta, estudadas em duas vertentes com geomorfia convexa-divergente-tênue, apresentaram como espécies principais Myrcia rostrata, Araucaria angustifolia, Ocatea porosa, Myrcia multiflora, Cinnamomum sellowianum e Coussarea contracta, responsáveis por 32,8% do VI total, distribuídas em três estratos descontínuos, o que, em conjunto com a densidade de indivíduos e a sua área basal, contribuíram para caracterizá-Ia como formação primária alterada. A análise pedológica das encostas, revelou um CAMBISSOlO HÁPlICO Tb distrófico com uma pequena inclusão de LATOSSOlO BRUNO distrófico húmico, apresentando fragilidades físicas e químicas suficientes para justificar a importância da preservação da vegetação destas áreas. Procurou-se, com este estudo, contribuir para o conhecimento da florística e da fitossociologia das florestas ripárias dos Campos Gerais do Paraná, através de inter-relações com os fatores geopedológicos, gerando informações para subsidar programas emergenciais de proteção, conservação e recuperação destas formações vegetacionais típicas da região.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectComunidades vegetais - Paranápt_BR
dc.subjectMata Atlantica - Paranápt_BR
dc.subjectCiencia do solo - Paranápt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleCaracterização florística, fitossociologica e pedológica de um trecho de floresta ripária dos campos gerais do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record