Show simple item record

dc.contributor.authorUlsenheimer, Maria Mônica Machadopt_BR
dc.contributor.otherCat, Izrailpt_BR
dc.contributor.otherGiraldi, Dinarte Jose, 1933-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Saúde. Programa de Pós-Graduaçao em Saúde da Criança e do Adolescentept_BR
dc.date.accessioned2011-09-12T10:32:24Z
dc.date.available2011-09-12T10:32:24Z
dc.date.issued2011-09-12
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26131
dc.description.abstractResumo: Atualmente recomenda-se o uso de protocolos para a retirada dos pacientes da ventilação mecânica (desmame e extubação). Na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC / UFPR), foi realizado um estudo prospectivo de 75 casos de crianças submetidas à ventilação mecânica (VM) por pelo menos 48 horas, entre janeiro de 2004 e julho de 2005, extubadas segundo protocolo implantado nesta UTIP em janeiro de 2004. Foram excluídas crianças submetidas à VM que evoluíram para óbito antes do início do desmame, portadoras de traqueostomia, neuropatias e extubadas de outra forma que não pelo protocolo. Para a análise estatística, este grupo (denominado A) foi comparado a um grupo histórico (denominado B) com casos de crianças submetidas à VM entre abril de 2000 e março de 2003. No grupo B foram excluídas as crianças traqueostomizadas, portadoras de neuropatias, extubadas acidentalmente, que necessitaram de uso de ventilação não invasiva, desmamadas por outro método que não com tubo T e submetidas à VM por menos de 48 horas. Esta comparação foi realizada a fim de se avaliar a eficácia do protocolo. Foram avaliados tempo de desmame, tempo de VM, tempo de internação em UTI, número de reintubações e mortalidade. A distribuição quanto ao gênero e diagnósticos foi semelhante nos dois grupos, mas a idade foi significativamente menor no grupo B. O Escore de Wood-Downes Modificado (EWDM) constatou que os pacientes do grupo B permaneceram mais graves que os do grupo A, apesar de apresentarem melhora da doença de base. Assim, para a análise final dos resultados, foram excluídos os casos classificados como leves segundo o EWDM pré-intubação, o que tornou os grupos homogêneos também em relação a gravidade e idade. Foi observado que o protocolo reduziu o tempo de internação de 11 para 8 dias, o tempo de desmame de 11,7 para 2 horas e o número de reintubações de 7,5 para 0%. Não houve alteração do tempo de VM e da mortalidade. Com a análise dos gases arteriais foi verificado que no momento pré-tubo T um p50 > 50 mmHg indica probabilidade de reintubação > 80%. Portanto, o uso do protocolo para desmame da ventilação mecânica e extubação na UTIP- HC / UFPR foi eficaz e seguro.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectRespiracao artificialpt_BR
dc.subjectDesmamept_BR
dc.subjectUnidades de terapia intensiva pediatricapt_BR
dc.titleAvaliação de um protocolo de desmame da Ventilação Mecânica e Extubação em Criançaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record