Show simple item record

dc.contributor.authorSantos, Eliana Maria dospt_BR
dc.contributor.otherMotim, Benilde Maria Lenzipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologiapt_BR
dc.date.accessioned2019-10-18T16:42:18Z
dc.date.available2019-10-18T16:42:18Z
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/25587
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Benilde Maria Lenzi Motimpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduaçao em Sociologia. Defesa: Curitiba, 27/09/2010pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: As mudanças no mundo do trabalho ocorridas nas últimas décadas alteraram significativamente as relações entre trabalhadores e empregadores. No Brasil a estabilização da economia, permitiu ao movimento sindical, investir na adoção de pauta social. A manutenção do emprego, melhoria nas condições de trabalho, prevenção de LER/DORT e assédio moral passaram a serem prioridades na mesa de negociação. Neste contexto a busca pela igualdade de oportunidades de gênero, raça e orientação sexual ganharam destaque e o setor financeiro é um exemplo disto. No inicio de 2008 a Federação dos Bancos juntamente com a Confederação dos Bancários lançaram o Mapa da Diversidade nos Bancos, trata-se de um censo que teve como objetivo fazer um perfil da categoria bancária em relação a gênero, raça-etnia e pessoas com deficiência. Esta tese é resultado da análise da trajetória da discussão sobre a igualdade de oportunidades e de tratamento, na categoria bancária, focalizando o trabalho da Comissão de Gênero, Raça e Orientação Sexual – CGROS, da Confederação Nacional dos Bancários, comissão que existe desde 1997.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Capital-labor relations have gone through substantial changes during the last few decades. In Brazil the stabilization of the economy has allowed unions to put forth an array of social demands related job stability, working conditions, prevention of diseases related to repetitive work as well as issues related to moral stress. It was in this context that the struggle for equality in gender, race and sexual choice relations have come to the fore. This process has been very important in the financial sector of the economy. At the beginning of 2008 both the Federation of Banks and the Confederation of Bank Employees published the Map of Diversity of the banking system. The latter is a census whose objective is to understand the composition of bank workers regarding gender, race and workers with special necessities. The present thesis studies the development of the debate around the issue of equal treatment and equal opportunities within the banking sector. Its main focus in on the work of the Commission for Gender, Race and Sexual Choice which was initiated in 1997.pt_BR
dc.format.extent344f. : il. algumas color.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTeses - Sociologiapt_BR
dc.subjectSindicalismopt_BR
dc.subjectRelações trabalhistaspt_BR
dc.subjectSindicatos bancariospt_BR
dc.subjectSociologiapt_BR
dc.titleA construção de relações igualitárias no trabalho : a experiência sindical bancáriapt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record