Show simple item record

dc.contributor.advisorBolzón de Muñiz, Graciela Inéspt_BR
dc.contributor.authorNisgoski, Silvanapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-19T14:33:36Z
dc.date.available2013-06-19T14:33:36Z
dc.date.issued2013-06-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25213
dc.description.abstractEste trabalho trata da identificação e caracterização macroscópica das principais espécies de madeira utilizadas para laminação na região de Curitiba, Paraná, assim como da variação na sua nomenclatura popular, visando a correta identificação. Foram coletadas 70 amostras de lâminas faqueadas e torneadas de espécies escolhidas com base no uso mais freqüente e importância de utilização, sendo avaliadas as características observadas a olho nu ou com lupa conta-fios com aumento de lOx. Pela dificuldade apresentada nas análises macroscópicas, devido às características do material amostrado, a identificação teve que ser baseada em características peculiares e marcantes de cada espécie. Foram identificadas 35 espécies, e as que apresentaram maior dificuldade de diferenciação foram reunidas em três grupos, de acordo com suas semelhanças em cor, textura e características anatômicas, para facilitar a sua distinção dentro do universo das amostras. O primeiro grupo foi denominado grupo do mogno, sendo formado por mogno, sapele, andiroba, cedro, louro-vermelho, jatobá e jequitibá; o segundo, grupo do pau-marfim, sendo constituído pelo pau-marfim, marfim-arana, amapá-doce, amapá-amargoso, muiratinga e marupá; o terceiro foi denominado grupo do tauari, composto por curupixá, jequitibá-rosa e tauari. Amesela, carvalho, cerejeira, eucalipto, freijó, imbuia, louro-faia, pau-ferro, sucupira, que apresentam características distintas, não foram agrupados uma vez que não foram observados erros na identificação e comercialização. Ficou constatado, através da identificação macroscópica, que existe uma distorção entre os nomes comerciais e a nomenclatura associada ao nome científico, existentes na maior parte das fontes. A constatação de erros na identificação das madeiras ressalta a necessidade de adoção de uma técnica de identificação, com base na estrutura anatômica do lenho, e da padronização da nomenclatura comercial das madeiras, com base em documentos elaborados por órgãos idôneos, como as publicações do IBAMA.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProcessamento de madeirapt_BR
dc.subjectMadeira - Identificaçãopt_BR
dc.subjectLaminas de madeira - Curitiba (PR)pt_BR
dc.subjectMadeira - Anatomiapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleIdentificação e caracterização anatomica macroscopica das principais especies utilizada para laminação na região de Curitiba - PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record