Show simple item record

dc.contributor.advisorCamati, Anna Steghpt_BR
dc.contributor.authorLeão, Liana de Camargopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2019-11-20T15:39:56Z
dc.date.available2019-11-20T15:39:56Z
dc.date.issued1994pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/24380
dc.descriptionOrientador: Anna Stegh Camatipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. Curso de Pós-Graduação em Letras. Defesa : Curitiba, 1994pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Literaturas de língua inglesapt_BR
dc.description.abstractAbstract: Throughout this dissertation a dual objective has been kept in mind: first, to validate Stôppard's parodie method of 'composition, and secondly, to account for the Implicit 'cosmovisions that are compared and contrasted by means of framing techniques within the play. Concerning form, I have traced the procedures by which earlier texts are integrated and transformed in Rosencrantz and Guildenstern are Dead, which center around the selection, assemblage and artistry with which the borrowed parts and ideas are Interwoven. As for content, I have tried to show that the foregrounding of form within the play, in a sense, makes the form become the content of the work. Thus, the metatheatrical devices that the playwright employs dramatize the ideas that he has wished to project. By exploring the framing structure, characterization, language, the intertwined themes of metatheatricality and death, I have sought to demonstrate how Stoppard illustrates man's existential confusion and search. By comparing and contrasting both the Shakespearean and the modern tragic sense, evidence has been provided that the playwright offers the audience several perspectives from which to build their own vision: to see a whole world in a grain of sand or to detect nothingness in the vast firmament depends, as great poets and philosophers have stated, not on the world, but on the answer given by the individual to this world. In relation to literary theory, I have adopted a poststructuralist approach, where the concepts of parody, allusion, intertextuality, text-conciousness, metatheatricality, framing techniques and the author as scriptor have enabled me to describe and account for a play in which the very relationship of life and art is pervasively debated. Within this theoretical framework, I have also tried to account for what the term originality means within a postmodern context, showing how Stoppard defies the traditional notion of originality, inserting himself in the contemporary trend of postmodern writing.pt_BR
dc.description.abstractResumo: Ao longo dessa dissertação, persegui um objetivo duplo: primeiro, validar o método paródico de composição de Tom Stoppard, e segundo, dar conta das cosmovisões implícitas que são comparadas e contrastadas por meio de técnicas de moldura dentro da peça. Em relação a forma, procurei traçar os procedimentos pelos quais textos anteriores são integrados e transformados em Rosencrantz and Guildenstern are Dead, técnicas essas que giram em torno da seleção, composição e artisticidade com as quais textos e idéias tomadas emprestadas de outros autores são costuradas. Em relação ao conteúdo, tentei demonstrar que ao privilegiar a forma na peça, em certo sentido, Stoppard faz com que a própria forma se torne o conteúdo do trabalho. Deste modo, os recursos metateatrais que o dramaturgo emprega dramatizam as próprias idéias que ele desejou projetar no texto. Ao explorar a estrutura de molduras, a caracterização das personagens, a linguagem e os temas interligados da metateatralidade e da morte, procurei transmitir de que maneira Stoppard ilustra a busca e a confusão existencial humana. Ao comparar e contrastar o sentido do trágico em Shakespeare ' e no mundo atual, evidenciou-se que o dramaturgo oferece à platéia muitas perspectivas atráves das quais construir sua própria visão: ver o mundo num grão de areia ou detectar o nada no vasto firmamento depende, como disseram grandes poetas e filósofos, não do mundo em si, mas da resposta dada pelo individuo a esse mundo. Em termos de teoria literária, adotei uma metodologia pos-estruturalista onde os conceitos de paródia, alusão, intertextualidade, auto-consciência do texto, metateatralidade, ! técnicas de moldura e o autor como scriptor me permitiram descrever e dar conta de uma peça em que a própria relação da vida com a arte é debatida. Neste contexto teórico, tentei mostrar como Stoppard .desafia a noção tradicional de originalidade e se insere na corrente literária pós-moderna.pt_BR
dc.format.extentix, 192 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languageInglêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectStoppard, Tom - Crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subjectLiteratura inglesapt_BR
dc.subjectDissertações - Letraspt_BR
dc.titleMetavisions : entrances and exits in Tom Stoppard's Rosencrantz and Guildenstern are deadpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record