Show simple item record

dc.contributor.authorTamanine, Andréa Maristela Bauerpt_BR
dc.contributor.otherMenon, Odete Pereira da Silva, 1953-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2019-12-11T13:51:48Z
dc.date.available2019-12-11T13:51:48Z
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/24120
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Odete P. da S. Menonpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa: Curitiba, 31/03/2010pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 196-204pt_BR
dc.description.abstractResumo: O objetivo central deste trabalho foi investigar a variação entre nós/ a gente na posição de sujeito e a gramaticalização de a gente a partir da análise das variáveis lingüísticas e sociais em um conjunto de dados orais de informantes de Curitiba, capital do Paraná. Os dados foram disponibilizados pelo Projeto VARSUL - Variação Lingüística Urbana da Região Sul do Brasil, sendo que a análise contemplou 32 entrevistas divididas igualmente entre níveis de escolaridade, faixa etária e sexo dos informantes. A base teórica e metodológica da investigação centrou-se, especialmente, nos pressupostos da gramaticalização e da Teoria Variacionista (WEINREICH, LABOV & HERZOG, 1968). Os procedimentos técnicos quantitativos utilizados na análise dos dados relativos aos contextos favorecedores da alternância das formas pronominais nós/ a gente e da gramaticalização de a gente investigados tiveram por base o pacote de programas estatísticos VARBRUL (PINTZUK, 1988). Entre os resultados obtidos na amostra, destaca-se que o pronome a gente, em variação com nós, apresentou maior tendência de uso entre as curitibanas mais jovens e que o texto descritivo e os verbos estativos são contextos de retenção do uso de nós entre os nformantes. A expressiva ocorrência de a gente na função de sujeito indica sua especialização, estágio avançado da gramaticalização segundo Hopper (1991), e o seu uso nesta função apontou significativa presença como determinador, sentido preferencialmente representado pelo uso de nós até então, fatos importantes para constatação do fluxo contínuo no processo de mudança de a gente. No caso da redução fonética a gente > a ‘ente, os dados reduzidos representaram apenas 15% entre as ocorrências de a gente, o que se considera um número pequeno para afirmações seguras, mas fato que precisa ser tratado omo mostra de que o fenômeno ocorre e que deve merecer observação mais aprofundada.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The main objective of this work was investigating the variational process nós/ a gente in the position of the subject and the rammaticalization of a gente from the linguistic and social variables analysis in an oral set of data of informants of Curitiba, capital of Parana. The data were provided by the VARSUL project – Urban Linguistic Variation of the South Region of Brazil. The analysis included 32 interviews equally divided among schooling levels, age and sex of the informants. The theoretical and methodological basis of the investigation was, especially, centered in the presuppositions of the grammaticalization and the ariationist Theory (WEINREICH, LABOV & HERZOG, 1968). The quantitative technical procedures used in the data analysis related to the favoring contexts of the alternation of the pronominal forms nós/ a gente and of the rammaticalization of a gente investigated had as basis the package of programs that the pronoun a gente, in variation with nós, presented higher tendency of use among the younger Curitiban women and that the descriptive text, as well as the stative verbs, are contexts of the use of nós retention among the informants. The expressive occurrence of a gente in the function of subject indicates its specialization, advanced degree of grammaticalization according to Hopper (1991), and its use in this function pointed out significant presence in determined contexts, before mainly occupied by nós, important facts for the certification of the continuous flow in the process of change of a gente. In the case of the phonetic reduction a gente > a ‘ente, the reduced data represented only 15% among the occurrences of a gente, what can even be considered a small number of affirmations, but the fact need to be treated like a display that the phenomena occurs that must deserve deeper observation.pt_BR
dc.format.extent222f. : il., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTeses - Letraspt_BR
dc.subjectLíngua portuguesa - Gramáticapt_BR
dc.subjectLingua portuguesa - Pronomespt_BR
dc.subjectLetraspt_BR
dc.titleCuritiba da gente : um estudo sobre a variação pronominal Nós/A Gente e a gramaticalização de A Gente na Cidade de Curitiba - Prpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record