Show simple item record

dc.contributor.advisorDedecek, Renato Antôniopt_BR
dc.contributor.authorCambronero, Yorleni Changpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencia do Solopt_BR
dc.date.accessioned2012-04-19T17:49:39Z
dc.date.available2012-04-19T17:49:39Z
dc.date.issued2012-04-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/16687
dc.description.abstractO objetivo do trabalho foi avaliar a repelência à água em amostras de solos constituídos em laboratório com diferentes teores de matéria orgânica. Para caracterizar o grau de repelência do solo à água amostras de solo com diferentes texturas e teores de matéria orgânica constituídos em laboratório foram tratadas com 2 concentrações de extrato hidrofóbico e uma testemunha, para medir a repelência foi utilizado o método chamado de tempo de penetração de gotas de água (Water Drops Penetration Time ou WDPT) que baseia-se no tempo gasto para que duas gotas de água sobrepostas (40mL) levam para penetrar na amostra de terra. Os testes de repelência foram realizados a 4 temperaturas, temperatura ambiente, 40°C, 70°C e 105°C. Foi caracterizada a matéria orgânica de um neossolo litólico sob plantio de Pinus taeda com caráter hidrofóbico através da caracterização dos ácidos húmicos pelo método do IHSS e a extração de substancias hidrofóbicas. Os compostos hidrofóbicos extraídos de um solo sob plantio de Pinus taeda induziram em algum grau a repelência à água em solos constituídos em laboratório; estos compostos hidrofóbicos possuíam características químicas similares às encontradas em compostos de acículas e raízes de outras espécies do gênero de Pinus. O maior caráter hidrofóbico em solos de Pinus taeda se encontra nos primeiros 10 cm do perfil, profundidade que se caracterizo pela a presença de grupos alifáticos na fração dos ácidos húmicos que comumente tem sido associados com o caráter hidrofóbico dos solos. A incorporação do extrato hidrofóbico nos solos constituídos em laboratório provoca repelência à água em diferentes graus, conforme a textura das amostras, porém a repelência à água só foi apresentou diferença estatística significativa (P<0,05) nas amostras com 100% de areia, sugerindo que os solos com textura arenosa são mais propensos a ser recobertos pelas substâncias hidrofóbicas. O teor de MO tem uma relação positiva com o grau de repelênciapt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectSolos - Teor de ácido húmico - Brasil, Sulpt_BR
dc.subjectSolos - Permeabilidade - Brasil,Sulpt_BR
dc.subjectÁcido húmicopt_BR
dc.titleCaracterizaçao dos fatores que interferem no processo de repelencia à água em solos sob plantio de Pinus taeda L. no Sul do Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record