Show simple item record

dc.contributor.advisorThomaz-Soccol, Vanete, 1954-pt_BR
dc.contributor.otherMira, Marcelo Tavorapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologiapt_BR
dc.creatorAlban, Silvana Mariapt_BR
dc.date.accessioned2024-05-28T16:22:37Z
dc.date.available2024-05-28T16:22:37Z
dc.date.issued2006pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/8813
dc.descriptionOrientadora: Vanete Thomaz Soccolpt_BR
dc.descriptionCoorientador: Marcelo Tavora Mirapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Processos Biotecnológicos. Defesa: Curitiba, 2006pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Saúde humana e animalpt_BR
dc.description.abstractResumo: A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, causada pelo Mycobacterium leprae, que acomete principalmente a pele e o sistema nervoso periférico. Para a classificação da doença e avaliação da resposta imune do indivíduo ao M. leprae, usa-se o teste de Mitsuda. Este teste consiste na injeção intradérmica da mitsudina integral ou antígeno de Mitsuda, que provoca uma reação tardia denominada reação de Mitsuda, cuja leitura é realizada quatro semanas após a aplicação. A mitsudina é uma suspensão de M. leprae mortos pelo calor, os quais são obtidos de hansenomas de pacientes com hanseníase virchowiana ou de tecidos de tatu infectados com M. leprae, isso porque o agente causador da doença não é cultivável in vitro. Para investigar a presença de M. leprae e/ou outras micobactérias nas lesões de pacientes com hanseníase, que por sua vez são utilizadas como matériaprima para a produção de mitsudina, um pequeno fragmento dos hansenomas foi removido para a identificação molecular de micobactérias. Os métodos PCR-RFLP para o genes hsp65 e rpoB permitiram a diferenciação das espécies de micobactérias estudadas, com exceção dos membros do complexo M. tuberculosis. Dos 23 hansenomas, apenas 12 (52,17%) continham numerosos bacilos e amplificaram para micobactérias. Além de M. leprae, encontrou-se M. szulgai, em um dos hansenomas. Na cultura de micobactérias obtida de lesão cutânea profunda de paciente com hanseníase virchowiana identificou-se M. kansasii. Os dados obtidos com esta pesquisa contribuirão para melhorar a qualidade da mitsudina até então produzida, através da aplicação da metodologia aqui padronizada para a seleção de amostras adequadas, assim como, os dados servirão de suporte para futuro desenvolvimento de antígeno para intradermorreação em substituição a mitsudina.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Leprosy is a chronic infection disease caused by Mycobacterium leprae which affects mainly the skin and the peripheral nervous system. The Mitsuda reaction has been classically used for disease classification and evaluation of individual immune response against M. leprae. This test consists of an intradermic injection of integral lepromin, also known as Mitsuda antigen, that provokes a late reaction called Mitsuda reaction. This reaction is read four weeks after injection. Because M. leprae is not cultivable in vitro, lepromin has to be prepared from a suspension of heat-killed M. leprae obtained either from lepromas of patients with lepromatous leprosy or from tissue of armadillo infected with M. leprae. In order to investigate the presence of M. leprae and/or other mycobacteria in lesions from patients with leprosy, as used as raw material for lepromin production, a small fragment of the lepromas was removed and submitted to molecular techniques for mycobacteria identification. PCR-RFLP methods for hsp65 and rpoB gene markers allowed the differentiation of several species of mycobacteria, the exception being the M. tuberculosis complex members. From 23 lepromas, only 12 (52.17%) revealed large numbers of bacilli that amplified for mycobacteria. In addition to M. leprae, M. szulgai was detected in one of the lepromas. A mycobacteria isolate cultivated from a deep cutaneous lesion of one pacient with lepromatous leprosy was identified as M. kansasii. Our data will contribute to improve the quality of lepromin production by using the methodology here standardized for selecting appropriate samples. In addition, this data will provide support for future antigen development for intradermoreaction in substitution of lepromin.pt_BR
dc.format.extent213f. : il. algumas color., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTecnologia quimicapt_BR
dc.subjectHanseníasept_BR
dc.subjectMycobacterium lepraept_BR
dc.subjectMicobacteriaspt_BR
dc.subjectMoleculaspt_BR
dc.titleCaracterização molecular de micobactérias isoladas de hansenomaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record