Show simple item record

dc.contributor.advisorZotz, Talita Gianello Gnoato, 1986-pt_BR
dc.contributor.authorLima, Fernanda Vargas, 1998-pt_BR
dc.contributor.authorDias, Luiza Grassmann, 1995-pt_BR
dc.contributor.authorBette, Phillipe Augusto Brun, 1995-pt_BR
dc.contributor.otherMacedo, Ana Carolina Brandt de, 1978-pt_BR
dc.contributor.otherMotter, Arlete Anapt_BR
dc.contributor.otherGama, Henrique Santospt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor Litoral. Bacharelado em Fisioterapiapt_BR
dc.date.accessioned2022-08-11T19:31:07Z
dc.date.available2022-08-11T19:31:07Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77621
dc.descriptionOrientadora: Talita Gianello Gnoato Zotzpt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Ana Carolina Brandt de Macedopt_BR
dc.descriptionColaboradores: Arlete Ana Motter, Henrique Santos Gamapt_BR
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Curso de Graduação em Fisioterapia.pt_BR
dc.description.abstractResumo : Objetivo: Traçar o perfil da dor lombar em trabalhadores dos restaurantes universitários de uma Universidade Pública do Sul do Brasil. Método: Foram selecionados participantes de 18 a 59 anos, ambos os sexos, que exerciam alguma função dentro dos restaurantes de uma empresa terceirizada específica e servidores. Os participantes foram avaliados apenas uma vez, por meio de um questionário sociodemográfico, da escala visual numérica da dor (EVN), da goniometria da coluna lombar e o do questionário Start Back Screening Tool Brasil. Resultados: Foram incluídos no estudo 28 participantes sendo 71,4% (20) mulheres e 28,5% (08) homens, que possuíam média de idade de 36,3 (±10,8) anos Houve correlação significativa positiva (p< 0,05) entre valores da EVN e amplitude de movimento de flexão, extensão, inclinação e rotação da coluna lombar. Foi encontrado também correlação negativa entre fatores psicossociais e rotação direita da coluna lombar. Conclusão: Mulheres com jornada diária de trabalho de 6 horas tem maior quadro álgico, com redução de amplitude de movimento de extensão e rotação para a esquerda da coluna lombar (Rho (?): 0,889 e Rho (?): 0,889), sendo também encontrado nesta mesma jornada diária de trabalho redução da amplitude de movimento para rotação a direita com um maior risco de ter pior prognóstico de dor lombar (Rho (?): -0,889).pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDor lombarpt_BR
dc.subjectSaúde do trabalhadorpt_BR
dc.subjectArticulações - Amplitude de movimentopt_BR
dc.titlePerfil da dor lombar em trabalhadores dos restaurantes de uma universidade pública do sul do Brasilpt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record