Show simple item record

dc.contributor.advisorDias, Fernando Augusto Lavezzo, 1977-pt_BR
dc.contributor.authorRank Filho, Claucio Antonio, 1997-pt_BR
dc.contributor.authorSantos, Edilaine Nunes dos, 1998-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Curso de Graduação em Fisioterapiapt_BR
dc.date.accessioned2022-08-11T17:48:38Z
dc.date.available2022-08-11T17:48:38Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77600
dc.descriptionOrientador: Fernando Augusto Lavezzo Diaspt_BR
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Curso de Graduação em Fisioterapia.pt_BR
dc.description.abstractResumo : O Diabetes Mellitus (DM) é considerado uma epidemia e gera diversas complicações, sobretudo no sistema cardiovascular e nervoso. Os exercícios aeróbicos tem um importante papel na prevenção e controle do DM, no cenário atual o exercício intervalado vem sendo utilizado como alternativa ao aeróbico tradicional, porém são escassos os estudos sobre seus reais efeitos e segurança nesta população. A variabilidade da frequência cardíaca (VFC) é um marcador de atividade autonômica no coração que pode se apresentar alterado como consequência do diabetes, assim como a duração e condução do potencial de ação, que é analisada por um eletrocardiograma. Sendo assim, o estudo visou avaliar os efeitos do exercício intervalado de alta intensidade (EIAI) sobre o controle autonômico cardíaco, de forma aguda, utilizando-se de eletrocardiograma e análise da VFC. Foram utilizados 24 ratos Wistar divididos em 4 grupos de 6 animais: Controle treinamento contínuo (CTC), Controle treinamento intervalado (CTI), Diabético treinamento contínuo (DTC) e Diabético treinamento intervalado (DTI) sendo estes submetidos a um protocolo de treinamento determinado a partir da capacidade máxima de corrida. Antes e logo após o exercício foram coletados eletrocardiogramas e analisados os índices da VFC Não houve alterações significativas no eletrocardiograma, assim como na VFC, porém a frequência cardíaca foi menor no grupo diabético em relação ao controle tanto antes como após o exercício. Conclui-se que o EIAI mostrou-se aparentemente seguro, por não alterar o controle autonômico cardíaco e nem a geração e a condução do potencial de ação cardíaco durante a fase de recuperação do exercício quando comparado ao exercício aeróbio contínuo.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDiabetespt_BR
dc.subjectTreinamento intervaladopt_BR
dc.subjectFrequência Cardíacapt_BR
dc.titleEfeito agudo do exercício intervalado de alta intensidade sobre a variabilidade da frequência cardíaca e eletrocardiograma no diabetes mellituspt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record