Show simple item record

dc.contributor.authorMisael, Marcelo Costapt_BR
dc.contributor.authorPierri Estades, Naínapt_BR
dc.contributor.authorFonseca Neto, Jose Claro dapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Curso de Graduação em Oceanografiapt_BR
dc.date.accessioned2022-08-05T12:22:07Z
dc.date.available2022-08-05T12:22:07Z
dc.date.issued2005pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77578
dc.descriptionOrientador: Jose Claro da Fonseca Netopt_BR
dc.descriptionCo-orientadora: Naína Pierri Estadespt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de Graduação em Oceanografia com Habilitação em Gestão Ambiental Costeirapt_BR
dc.description.abstractO uso publico em unidades de conservação tem crescido muito nesses últimos anos no Brasil. A ilha do Superagui apresenta um Parque Nacional que ainda não tem plano de manejo e conseqüentemente não está aberto a visitação. Porém a visitação acontece e vem crescendo nesses últimos anos. Com isso pretendeu-se realizar um estudo dos impactos causados pela visitação no Parque Nacional do Superagui. A Vila da Barra do Superagui apresenta algumas instalações turísticas como pousadas, campings, restaurantes e bares, porém com um crescimento de forma desordenada. Foram avaliados os impactos fisicos e biológicos na trilha da Praia Deserta, a mais visitada do parque. Foram realizadas quatro coletas ao longo da temporada de verão (2004/2005) onde foram analisados indicadores de impacto na trilha (% de cobertura do solo, tipo de cobertura, cor do solo, largura da trilha e evidencias de impacto). Além desses indicadores fol quantificado e classificado o lixo da trilha. Também foram realizadas entrevistas com os donos de pousadas e campings para atualização da infraestrutura presente e conhecimento dos principais problemas do turismo na Ilha. A trilha mostrou ser bem conservada não apresentado grandes danos causados pelos visitantes, apenas o lixo foi que apresentou uma grande quantidade preocupante, porém de origem desconhecido morador ou visitante? Nas entrevistas foram quantificadas 15 pousadas e 4 campings. Seus principais problemas estavam relacionados a segurança, transporte e organização da comunidade. Dentre as propostas sugeridas para uma adequação do turismo a um plano de gerenciamento costeiro propôs-se a criação de cooperativas, inicio do processo do PNMT (plano de municipalização do turismo), monitoramento da trilha ao longo do ano e das próximas temporadas realizado pela comunidade em especial os alunos do colégio, ensino fundamental. E inicio do processo de educação publica.pt_BR
dc.format.extent77f. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectGerenciamento costeiropt_BR
dc.subjectGestao ambiental costeirapt_BR
dc.titleCaracterização, diagnóstico e impacto biofísico da visitação na trilha da praia deserta do Parque Nacional do Superagui : uma visão do gerenciamento costeiropt_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record