Show simple item record

dc.contributor.advisorVarassin, Isabela Galardapt_BR
dc.contributor.authorGonzález, Bryan Gaston Rojaspt_BR
dc.contributor.otherBergamo, Pedro Joaquimpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservaçãopt_BR
dc.date.accessioned2022-08-04T19:35:25Z
dc.date.available2022-08-04T19:35:25Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77533
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Isabela Galarda Varassinpt_BR
dc.descriptionCoorientador: Dr. Pedro Joaquim Bergamopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa : Curitiba, 04/05/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 21-24pt_BR
dc.description.abstractResumo: A polinização é um serviço ecossistêmico fundamental de grande importância para a reprodução das plantas, produção agrícola e manutenção da biodiversidade. A denso-dependência negativa (i.e., desvantagem no fitness quando uma espécie se torna abundante) e facilitação assimétrica (i.e., vantagem no fitness por meio da facilitação de espécies raras em relação às comuns) são processos que promoveram a coexistência planta-polinizador em sistemas biodiversos. No entanto, eles são influenciados pela escala espacial, partição de nicho e gradientes ambientais. Devido às condições ambientais, em contraste com outros polinizadores, os beija-flores têm uma maior contribuição para a polinização de comunidades vegetais de altitude. Com isso, o estudo do sistema planta-beija-flor pode melhorar a compreensão dos diferentes cenários ecológicos onde a coexistência de plantas possa ser mantida por processos de denso-dependência negativa e facilitação assimétrica. Neste estudo, objetivamos compreender a relação entre os efeitos dependentes da densidade floral e as taxas de visitação de beija-flores em diferentes escalas e em um gradiente de elevação. Descobrimos que as taxas de visitação de beija-flores foram maiores quando plantas raras coocorreram com heteroespecíficos, mas menores quando plantas abundantes coocorreram com heteroespecíficos, em escala regional. Em contraste, em escala local, as taxas de visitação de beija-flores foram maiores quando as espécies de plantas eram localmente abundantes e cercadas por poucos heteroespecíficos. Ao longo de um gradiente de elevação, processos denso-dependentes ocorreram apenas em comunidades de média e alta altitude, sugerindo que comunidades com baixa disponibilidade de flores e altas interações especializadas podem ser mais propensas a apresentar efeitos denso dependentes florais. Além disso, a presença de um beija-flor (R. naevius) que atua como "organizador da comunidade" na elevação baixa poderia ter contribuído com esse padrão. Nosso estudo destaca a importante relação entre elevação e partição de nicho com efeitos denso dependentes em sistemas planta-beija-flor e seus mecanismos potenciais para contribuir para a coexistência.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Pollination is a key ecosystem function, which is of great importance for plant reproduction, crop production and biodiversity maintenance. Negative density dependence (i.e. fitness disadvantage when a species become abundant) and asymmetric facilitation (i.e. fitness advantage of facilitation to rare species in relation to common ones) are both processes that have shown to foster plant-pollinator coexistence in biodiverse systems. However, they are influenced by spatial scale, niche partitioning and environmental gradients. Due to environmental conditions, in contrast with other pollinators, hummingbirds have a higher contribution to the pollination of high elevation plant communities, thus, plant-hummingbird system is a good object of study to give us a better understanding of under which different ecological scenarios one can expect plant coexistence to be maintained by negative density-dependence and asymmetric facilitation processes. In this study, we aimed to understand the relationship between floral density-dependent effects and hummingbird visitation rates on different scales and in an elevational gradient. We found that hummingbird visitation rates were higher when rare plants co-occurred with heterospecifics, while lower when abundant plants co-occurred with heterospecifics, at a regional scale. In contrast, at local scale hummingbird visitation rates were higher when plant species were locally abundant and were surrounded by few heterospecific neighbors. Across an elevation gradient, such density-dependent processes occurred only at mid- and high-elevation communities, suggesting that communities with low flower availability and high specialized interactions might be more prone to show flower dense-dependent effects. Besides, the presence of a hummingbird (R. naevius) acting as a "community organizer" in the low elevation community might have contributed to this pattern. Our study highlights the important relationship between elevation and niche partitioning with dense-dependent effects on plant-hummingbird systems and its potential mechanisms to contribute to coexistence.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languageInglêspt_BR
dc.subjectPolinizaçãopt_BR
dc.subjectPlantaspt_BR
dc.subjectDependenciapt_BR
dc.subjectBeija-florpt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.titleFloral density-dependent effects in an altitude gradient on a plant-hummingbird communitypt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record