Show simple item record

dc.contributor.advisorGarraffoni, Renata Senna, 1974-pt_BR
dc.contributor.authorFonseca, Barbara, 1998-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Históriapt_BR
dc.date.accessioned2022-08-04T17:35:23Z
dc.date.available2022-08-04T17:35:23Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/76797
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Renata Senna Garraffonipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História. Defesa : Curitiba, 01/06/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O Movimento Paranista ocorreu na década de 1920, em Curitiba, e objetivava construir uma nova identidade e proposta cultural para o estado do Paraná. Neste projeto, participaram artistas, políticos e parte da elite paranaense, criando diversas formas de expressão, dentre elas, a revista Illustração Paranaense e as obras do escultor João Turin, Ânfora e Columna Paranaense e Casa Paranista, objetos desta dissertação. Nestas criações, notamos, em evidência, a presença da Antiguidade greco-romana, pouco estudada e discutida pela historiografia paranaense. À vista disso, tendo como base teórica os estudos de Recepção da Antiguidade, entendemos a possibilidade do mundo antigo ser revisitado, repensado e usado para formular novas identidades, políticas e expressões artísticas em períodos subsequentes. Assim, propomos analisar como e porque o mundo greco-romano antigo era conhecido e interpretado entre esses intelectuais e artistas paranistas, observando, principalmente, as produções e o significado da Antiguidade para Turin. Contando como fonte de pesquisa a já citada Illustração Paranaense e, também, os manuscritos do escultor, o presente trabalho é constituído a partir de três pontos principais de análise: o textual, o gráfico e o material. Partindo deles, analisamos: como a Antiguidade estava presente no imaginário paranista; como ela servia à construção dos ideais deste movimento; quais as formas demonstradas na revista; e, por fim, de que maneira foi pensada nas obras de João Turin. Isto para entender a realidade da elite curitibana do início do século XX e sua circulação de ideias e, principalmente, para conhecer diferentes maneiras que o mundo antigo foi pensado, trabalhado e naturalizado. Como resultado desta dissertação, almejamos estabelecer novas discussões acerca da Antiguidade na obra de João Turin e na Illustração Paranaense, explicando tais relações e, principalmente, as motivações e objetivos das criações do escultor. Aqui apresentamos novas formas de pensar o Paranismo e de conhecer as perspectivas curitibanas acerca do mundo greco-romano em suas expressões artísticas e intelectuais. Por consequência, realizamos também um trabalho que pretende contribuir para o campo dos estudos de Recepção no Brasil.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The Movimento Paranista took place in the 1920's, in Curitiba, and aimed to build a new identity and culture to the state of Paraná. Artists, politicians and part of the state's elite took part in this project, expressing themselves through several ways such as the magazine Illustração Paranaense and João Turin's works of art, Ânfora Paranaense and Columna Paranaense and the Casa Paranista, which are the objects of this thesis. It is possible to identify in these elements references to the ancient Greeks and Romans, a subject that has not been studied and discussed by the state's historiography. Supported by the Classical Reception Studies - Martindale (1993) and Hardwick (2001) - we understand the possibility given by the Ancient World to revisit, rethink and how it was used to formulate new identities, politics and artistic expressions in subsequent periods. We propose to analyze how and why the Paranista intellectuals and artists interpreted and understood the Ancient World, paying attention to Turin's understanding of the Ancient over his works of art. Through the already mentioned Illustração Paranaense and Turin's manuscript, this thesis constitutes its analysis from three perspectives: textual, graphical and material. We therefore analyze: how the Ancient World was present in Paranista imaginaries; how it served to build the movement ideals; in which way the Ancient World was demonstrated through the magazine; and finally how Turin thought the Ancient World in his works of art. That analysis was done in order to understand Curitiba's elite's reality in the beginning of the 20th century and its ideas and to know in which ways the Ancient World was thought and naturalized. As a result of this thesis, we aim to establish new discussions regarding the Antique in João Turin's work of art and in the Illustração Paranaense, explaining those relations, motivations and goals of his creations. We present a new way of thinking about the Movimento Paranista and understanding Curitiba's perspectives about the Ancient World and its artistic and intellectual expressions.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTurin, Joao, 1878-1949pt_BR
dc.subjectArte - Históriapt_BR
dc.subjectHistóriapt_BR
dc.titleEntre colunas e pinheiros : a recepção da antiguidade nas obras paranistas de João Turin (1927-1930)pt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record