Show simple item record

dc.contributor.advisorMusial, Nayane Thais Krespi, 1988-pt_BR
dc.contributor.authorFerreira, Josele Nunes, 1970-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Contabilidadept_BR
dc.date.accessioned2022-06-08T15:25:45Z
dc.date.available2022-06-08T15:25:45Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/76189
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Nayane Thais Krespi Musialpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Contabilidade. Defesa : Curitiba, 25/02/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: A adaptação dos discentes de pós-graduação em função de mudanças de rotinas e hábitos pode ter seu entendimento alterado de acordo com a autopercepção do estudante. Dessa forma, a Teoria Social Cognitiva apresenta a crença na autoeficácia acadêmica como influenciadora sobre o esforço ante os desafios acadêmicos enfrentados durante a pandemia e tem sido relacionada com situações estressoras no contexto educacional. Nesse cenário, o objetivo geral do estudo consiste em analisar a relação entre a autoeficácia e o estresse acadêmicos de estudantes brasileiros de stricto sensu da área de negócios, no período de isolamento social acadêmico nos anos de 2020 e 2021, decorrente da pandemia de COVID-19. Para atingir o objetivo proposto, foram coletados dados por meio de survey online, utilizando a Escala de Autoeficácia Acadêmica, a Escala de Estressor Preocupações e o Indicador de Dificuldades. A amostra compreende 404 participações, regularmente matriculados no território brasileiro no ano de 2021. Os dados foram analisados por meio de testes estatísticos, análise fatorial confirmatória e testes não-paramétricos. Por meio da aplicação desses testes evidenciou-se que os discentes apresentaram a mesma percepção de autoeficácia acadêmica nos dois anos, mas quanto a percepção do estressor "preocupações" e do indicador de dificuldades, apresentaram diferenças significativas entre os dois períodos, aumentando a percepção de 2020 para 2021. Através dos resultados de correlação, concluiu-se que existe uma relação significativa e direta entre o estressor "preocupações" e o indicador de dificuldades; e uma relação negativa e não significante entre autoeficácia e estresse acadêmicos. Esse resultado rejeita a hipótese teórica de que existe uma relação negativa entre a autoeficácia acadêmica e o estresse acadêmico, apesar de se confirmar indícios da relação negativa. O estudo contribui ao fomentar a discussão sobre os dois constructos no ambiente de isolamento social acadêmico, possibilitando a construção de entendimentos capazes de auxiliar o discente no enfrentamento dos desafios da pós-graduação, bem como, proporciona subsídios para políticas educacionais no intuito de amenizar os desafios e entender o contexto situacional.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The adaptation of graduate students as a function of changes in routines and habits may have their understanding altered according to the student's self-perception. Thus, cognitive social theory presents the belief in academic self-efficacy as an influence on effort in the face of academic challenges faced during the pandemic and has been related to stressful situations in the educational context. In this scenario, the general objective of the study is to analyze the relationship between academic self-efficacy and stress of Brazilian stricto sensu students in the business area, in the period of academic social isolation in the years 2020 and 2021, resulting from the COVID-19 pandemic. To achieve the proposed objective, data were collected through an online survey, using the Academic Self-Efficacy Scale, the Stressor Scale Concerns and the Difficulty Indicator. The sample comprises 404 participations, regularly enrolled in Brazil in 2021. The data were analyzed by statistical tests, confirmatory factor analysis and nonparametric tests. Through the application of these tests it was evidenced that the students presented the same perception of academic self-efficacy in the two years, but regarding the perception of the stressor "preoccupations" and the indicator of difficulties, they presented significant differences between the two periods, increasing the perception from 2020 to 2021. Through the correlation results, it was concluded that there is a significant and direct relationship between the stressor "preoccupations" and the indicator of difficulties; and a negative and non-significant relationship between academic self-efficacy and stress. This result rejects the theoretical hypothesis that there is a negative relationship between academic selfefficacy and academic stress, although evidence of the negative relationship is confirmed. The study contributes to fostering discussion about the two constructs in the environment of academic social isolation, enabling the construction of understandings capable of assisting students in facing the challenges of graduate studies, as well as providing subsidies for educational policies in order to mitigate the challenges and understand the situational context.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTeoria social cognitivapt_BR
dc.subjectCiências Contábeispt_BR
dc.subjectEstresse psicológicopt_BR
dc.subjectContabilidade - Pos-graduaçãopt_BR
dc.subjectCOVID-19 (doença)pt_BR
dc.titleRelação entre estresse e autoeficácia acadêmicos, em período de pandemia de Covid-19, dos discentens de pós-graduação Stricto sensu da área de negóciospt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record