Show simple item record

dc.contributor.authorBessa Filho, Mauro Sergio do Carmo Marques Ribeiropt_BR
dc.contributor.otherBeloto, Divonzir Lopespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Graduação em Ciências Econômicaspt_BR
dc.date.accessioned2022-05-25T15:52:17Z
dc.date.available2022-05-25T15:52:17Z
dc.date.issued2005pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75945
dc.descriptionOrientador: Divonzir Lopes Belotopt_BR
dc.descriptionMonografia(Graduaçao) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Curso de Ciencias Econômicaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O tema de estudo refere-se a origem do comércio e do comerciante. Para tanto, é necessária a constatação da formação dos primeiros meios de troca, elaborado pelo Ser Humano, até a formação do capital comercial, englobando a origem do comerciante. Antes as trocas eram realizadas de maneira direta, ou seja, o produto diretamente pelo produto. Mais tarde, como processo histórico e social surge o dinheiro para intermediação das mesmas. A produção baseada na subsistência comercializava apenas o excedente desta, sendo que o produtor deixava de produzir ao despender tempo para a venda dos produtos. Assim, o comerciante surge para intermediar o produtor e o consumidor, deixando o produtor somente na função de produção de mercadorias. O comércio aparece como uma atividade capitalista muito antes do capitalismo se instaurar como sistema, uma vez que, com o ingresso do comerciante, este realizava operações de compra e venda de produtos visando o lucro. Deste lucro, o comerciante retirava seu sustento e também acumulava riqueza sob a forma dinheiro, para depois reaplicar na circulação de mercadoria, formando, então o capital comercial. Este, portanto mostra-se anterior ao capitalismo, pois o comércio já tem o capital na sua reprodução, enquanto a produção ainda não O capital só domina inteiramente a reprodução social quando o produtor passa a realizar o consumo produtivo, ou seja, a compra de mercadoria para produzir outros produtos. Uma destas mercadorias que o produtor compra é a força de trabalho, que ao explorada, produz-se a mais-valia do produtor, ou seja, seu excedente que é transformado em lucro A mais-valia é produzida na fase da produção, mas é realizada na fase da circulação de mercadorias ou no comércio. Além disso, serão apresentados fatos históricos ocorridos que darão sustentação a teoria apresentada.pt_BR
dc.format.extent55 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectComércio - Históriapt_BR
dc.subjectComerciantespt_BR
dc.titleA origem do comercio e do comerciantept_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record