Show simple item record

dc.contributor.advisorAlcantara, Giovana Bomfim de, 1978-pt_BR
dc.contributor.authorSchorr, Mariele Reisdörfer, 1997-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Parana. Setor de Ciencias Agrárias. Curso de Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2022-05-06T13:15:16Z
dc.date.available2022-05-06T13:15:16Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75553
dc.descriptionOrientador : Profa. Dra. Giovana Bomfim de Alcantarapt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Curso de Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 47-51pt_BR
dc.description.abstractResumo : Eucalyptus saligna Sm. é uma das espécies do gênero Eucalyptus mais cultivadas para reflorestamento no centro sul do Brasil, cujo melhoramento genético visa atualmente a obtenção de plantios clonais de genótipos superiores. Entre os principais métodos de propagação vegetativa para obtenção de clones está a micropropagação, que entretanto ainda não é viável sob o ponto de vista econômico para uso em larga escala, sendo necessário reduzir os custos de produção através, por exemplo, do ajuste de certos componentes do meio de cultura. Este trabalho teve como objetivo testar quatro concentrações de sacarose (0, 15, 30 e 45 g L- ¹) e avaliar duas consistências de meio de cultura (semissólido e líquido com suporte) na multiplicação in vitro de E. saligna. Introduziu-se explantes obtidos de culturas in vitro de E. saligna em fase de subcultivo em tubos de ensaio de 50 mL contendo 4 mL de meio de cultura MS, suplementado com 0, 15, 30 e 45 g L- ¹ de sacarose. Para atingir a consistência semissólida diluiu-se 7,5 g L - ¹ de ágar e como suporte no meio líquido utilizou-se cerca de 7 g de um sólido em formato esférico. Em esquema fatorial e delineamento inteiramente casualizado, realizou-se oito tratamentos com quatro repetições de dez explantes. As culturas foram avaliadas após 30 dias mantidas em sala de crescimento. Obteve-se os teores de clorofila através de espectrofotometria. A sobrevivência e a taxa de multiplicação dos explantes foram maiores na consistência de meio semissólida de forma que se constatou a ineficácia do suporte utilizado em meio líquido. O aumento da concentração de sacarose favoreceu a formação de brotos, mas estatisticamente não houve diferença entre os tratamentos suplementados com 15, 30 e 45 g L- ¹ do carboidrato em meio com ágar. Em meio semissólido, a maior concentração de sacarose promoveu significativamente menor teor de clorofila do que na ausência do componente testado.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEucalipto - Propagação in vitropt_BR
dc.subjectEucalipto - Melhoramento genéticopt_BR
dc.subjectCultura e meios de culturapt_BR
dc.subjectPlantas - Melhoramento genéticopt_BR
dc.titleMultiplicação in vitro de Eucalyptus saligna Sm. sob diferentes concentrações de sacarose e consistências do meio de culturapt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record