Show simple item record

dc.contributor.advisorBacellar Filho, Romeu Felipe, 1946-pt_BR
dc.contributor.authorGabardo, Emerson, 1975-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direitopt_BR
dc.date.accessioned2022-08-03T22:00:41Z
dc.date.available2022-08-03T22:00:41Z
dc.date.issued2001pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75246
dc.descriptionOrientador: Romeu Felipe Bacellar Filhopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Jurídicaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Analisa a eficiência na sua relação com o Estado Moderno em três sentidos distintos, mas intimamente imbricados: símbolo, valor e principio. Introduz o tema através de uma abordagem geral da questão da alteração de paradigma legislatórios do Estado. Estuda a distinção entre legitimidade simbólica e real, contextualizando a eficiência nesta dicotomia. Identifica na história três instrumentos simbólicos de legitimação do Estado fundamentais: a moral, a lei e a eficiência. Contrapõe-se ao mito que retrata a eficiência como um valor eminentemente liberal. Ressalta a contraposição que esta ótica implica entre eficientismo de um lado e a democracia e a justiça, de outro. Propugna pela possibilidade de desmistificação da eficiência através de uma abordagem constitucionalizadora, pautada pelos valores éticos do Estado Social. Entende ser mais adequada uma interpretação do princípio da eficiência administrativa a partir da Constituição, o que propicia uma negação do viés meramente economicista. Compara dois diferentes modelos de racionalidade administrativa, o burocrático e o gerencial, criticando a tentativa de fuga do regime jurídico administrativo presente no contexto da mentalidade pós-moderna característica da contemporaneidade. Afirma a natureza jurídica do principio constitucional da eficiência, retratando algumas formas de sua aplicação prática, bem como a possibilidade de controle judicial da eficiência, notadamente na atuação administrativa discricionária.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Analyses the efficiency related to the Modem State in three different but intimate correlated aspects: symbol, value and principle, introducing the theme through a general approach concerning the legitimate paradigms of the State. Studies the distinction of real and symbolical legitimacy, composing efficiency on this dichotomy, identifying in history three symbolical and essential instruments of State legitimacy: morality, legality, and efficiency. Stands against the myth that affirms efficiency as a solely liberal value, by opposing this idea on one hand, to the logic of efficiency, and on the other hand, to justice and democracy. Proposes the possibility of demystifying the efficiency using a Constitutional approach guided by ethical values of the Social State. Understands as more adequate a Constitutional interpretation of the Principle of Efficiency of the Public Administration denying the exclusive economical vision. Compares two distinct models of rational administration, bureaucracy and management, criticizing the Juridical System of Public Administration attempt to escape that takes part in the post modem characteristics of contemporaneous times. Affirms the juridical nature of the Constitutional Principle of Efficiency considering some of its practical uses, as well as the possibility of having Court control specially concerning the discretionary acts of Public Administration.pt_BR
dc.format.extent296 f. ; 30 cm.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEstadopt_BR
dc.subjectDireito administrativo - Brasil - Brasilpt_BR
dc.subjectAdministração pública - Brasil - Brasilpt_BR
dc.subjectCiência políticapt_BR
dc.subjectTeoria do estadopt_BR
dc.titleO mito da eficiência e o estado modernopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record