Show simple item record

dc.contributor.advisorMoreira, Carolina Aguiarpt_BR
dc.contributor.authorInacio, Andre Manoel, 1982-pt_BR
dc.contributor.otherBorba, Victoria Zeghbi Cochenskipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúdept_BR
dc.date.accessioned2022-07-08T12:55:53Z
dc.date.available2022-07-08T12:55:53Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75083
dc.descriptionOrientadora: Profª. Dr.ª Carolina Aguiar Moreirapt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Profª. Dr.ª Victoria Zeghbi Cochenski Borbapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúde. Defesa : Curitiba, 24/01/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Introdução: As fraturas osteoporóticas são comuns e sua incidência está aumentando em todo o mundo. A primeira fratura dobra o risco de novas fraturas. Apesar disso, até 80% dos pacientes com fratura por fragilidade não são avaliados ou tratados para reduzir o risco de novas fraturas. Objetivos: Avaliar os resultados da instalação de um Fracture Liaison Service (FLS) na cidade de Curitiba, analisar as características clínicas dos pacientes atendidos no serviço nos seus primeiros 2 anos de funcionamento e estimar a redução do risco de fraturas nesta população. Métodos: O FLS acompanhou pacientes com mais de 50 anos de idade admitidos com fratura traumática de baixa energia entre janeiro de 2017 e abril de 2018. Esse acompanhamento a consistiu em avaliação médica completa, orientação nutricional e de atividade física e tratamento específico para osteoporose, se necessário. Resultados: Monitoramos e tratamos 135 pacientes, 123 mulheres e 12 homens, com média de idade de 74,8 anos no momento da fratura, por 14 meses. Quarenta por cento deles tinham fratura prévia e apenas 20,3% deles receberam tratamento para prevenir novas fraturas. Na análise de Kaplan-Meier, a incidência estimada de novas fraturas em 24 meses foi de 12,1% (IC 95% 7,2–20,8%), indicando que a porcentagem de pacientes sem novas fraturas devido à fragilidade óssea durante o tratamento foi estimada em 87,9% (95 % CI 79,2–92,8%). Conclusões: A avaliação clínica e o tratamento de pacientes com fratura por fragilidade para a prevenção de fraturas secundárias é eficaz em reduzir o risco de novas fraturas em pacientes de alto risco.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Background: Osteoporotic fractures are common, and its incidence are increasing worldwide. The first fracture doubles the risk of new fractures. Despite that, up to 80% of patients with a fragility fracture are not evaluated nor treated to reduce the risk of new fractures. Aims: To evaluate the results of the installation of a Fracture Liaison Service (FLS) in Curitiba - Brazil, to analyze the clinical characteristics of the patients attending the service in its first 2 years of operation and to estimate the fracture risk reduction ratio. Methods: The FLS managed patients older than 50 years old which were admitted with a low-energy trauma fracture between January 2017 to April 2018. This management consists in a full medical evaluation, nutritional and physical activity guidance and specific osteoporosis treatment, if needed. Results: We monitored and treated 135 patients, 123 woman and 12 men, with a mean age at the fracture of 74,8 years old, for 14 months. Forty per cent of them had a previous fracture and only 20,3% of them received treatment to prevent new fractures. On Kaplan-Meier analysis, the estimated incidence of new fractures over 24 months was 12.1% (95% CI 7.2–20.8%), indicating that the percentage of patients without new fractures due to bone fragility during treatment was estimated at 87.9% (95% CI 79.2–92.8%). Conclusions: The evaluation and treatment of patients who sustained a fragility fracture to prevent a secondary fracture is effective in reducing the risk of new fractures in high-risk patients.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectFraturas por osteoporosept_BR
dc.subjectFraturas ósseaspt_BR
dc.subjectOsteoporosept_BR
dc.subjectClínica Médicapt_BR
dc.titleIncidência de fraturas e perfil clínico de pacientes acompanhados em serviço de prevenção secundária de fraturas por fragilidade óssea na cidade de Curitibapt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record