Show simple item record

dc.contributor.advisorCarvalho, Mauricio dept_BR
dc.contributor.authorGortz, Lucas Wagnerpt_BR
dc.contributor.otherMorales, Hugo Manuel Pazpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúdept_BR
dc.date.accessioned2022-03-28T18:53:45Z
dc.date.available2022-03-28T18:53:45Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/74531
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Mauricio de Carvalhopt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Me. Hugo Manuel Paz Moralespt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúde. Defesa : Curitiba, 03/09/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 61-65pt_BR
dc.description.abstractResumo: Introdução: Disnatremias são distúrbios eletrolíticos comuns em pacientes hospitalizados e têm sido associadas a piores desfechos clínicos. No entanto, o surgimento das disnatremias em relação à hospitalização é escassamente descrito e poucos estudos abordam a prevalência de disnatremias na admissão hospitalar. Neste estudo, objetivou-se descrever a prevalência de disnatremias adquiridas na comunidade e explorar suas associações com características e desfechos clínicos, incluindo sinais vitais, em uma coorte retrospectiva multicêntrica. Métodos: Os dados de registros eletrônicos de saúde de pacientes hospitalizados no Brasil foram fornecidos por Laura® (Curitiba, PR, Brasil). Foram incluídos pacientes com sódio sérico disponível no período de 24h a partir da admissão hospitalar. A prevalência de disnatremias foi definida como sódio sérico <135 mEq/mL (hiponatremia) ou >145 mEq/mL (hipernatremia). As associações entre sinais vitais nas primeiras 24h da admissão hospitalar e disnatremias foram exploradas em modelos logísticos. Desfechos de sobrevivência foram descritos em curvas de Kaplan-Meier. Resultados: De janeiro de 2019 a dezembro de 2020, 19.606 pacientes foram selecionados e 3.933 (20,1%) foram admitidos com disnatremias. A prevalência de hipo e hipernatremia foi de 17,2 e 2,9%, respectivamente. Pacientes com disnatremias eram mais idosos, com menor taxa de filtração glomerular, e níveis mais elevados de ureia. A permanência hospitalar, a taxa de transferência para a UTI e a mortalidade foram maiores no grupo com disnatremias (P<0,0001). Médias de frequência cardíaca e temperatura nas primeiras 24h de admissão associaram-se à hiponatremia, enquanto médias de frequência cardíaca e respiratória estiveram associadas à hipernatremia. Conclusão: Demonstrou-se que as disnatremias são comuns na admissão hospitalar, relacionam-se a desfechos clínicos desfavoráveis, e estão associadas a sinais vitais alterados nas primeiras 24h de hospitalização. Esses resultados sugerem que disnatremias podem ser potenciais preditores de deterioração clínica precoce na admissão hospitalar.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Background: Dysnatremias are common electrolyte disorders among hospitalized patients and have been associated with worse clinical outcomes. However, the timing of dysnatremias development in relation to index hospitalization is poorly described and few studies address the prevalence of dysnatremias at hospital admission. This study sought to describe the prevalence of community-acquired dysnatremias and explore their associations with clinical characteristics and outcomes, including vital signs, in a multicentric retrospective cohort. Methods: Data from electronic health records of patients hospitalized in Brazil were provided by Laura® (Curitiba, PR, Brazil). Patients with serum sodium available within 24h of hospital admission were included. Prevalence of dysnatremias was defined as serum sodium <135 mEq/mL (hyponatremia) or >145 mEq/mL (hypernatremia). The associations between vital signs in the first 24h of hospital admission and dysnatremias were explored in logistic models. Survival outcomes were described in Kaplan-Meier curves. Results: From January 2019 to December 2020, 19,606 patients were selected and 3,933 (20.1%) were admitted with dysnatremias. Prevalence of hypo and hypernatremia was 17.2 and 2.9%, respectively. Patients with dysnatremias were older, had worse glomerular filtration rate, and increased urea levels. Hospital length of stay, ICU transfer rate, and mortality were higher in the group with dysnatremias (P<0.0001). Mean heart rate and temperature in the first 24h of admission were associated with hyponatremia, while mean heart rate and respiratory rate were associated with hypernatremia. Conclusion: We demonstrate that dysnatremias are common at hospital admission and are associated with unfavorable clinical outcomes. They are also associated with abnormal vital signs in the first 24h of hospitalization. These results suggest that dysnatremias may be potential predictors of early clinical deterioration at hospital admission.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (75 p.) : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectSodiopt_BR
dc.subjectHospitalizaçãopt_BR
dc.subjectClínica Médicapt_BR
dc.subjectHiponatremiapt_BR
dc.titleDisnatremias na admissão hospitalar : prevalência, características clínicas e morbimortalidade: um estudo retrospectivo e multicêntrico em hospitais brasileirospt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record