Show simple item record

dc.contributor.advisorOsaki, Silvia Cristina, 1973-pt_BR
dc.contributor.authorLara, Arielle Aparecida, 1991-pt_BR
dc.contributor.otherAlberton, Geraldo Camilo, 1966-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor Palotina. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animalpt_BR
dc.date.accessioned2022-03-23T15:04:57Z
dc.date.available2022-03-23T15:04:57Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/74409
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Silvia Cristina Osakipt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Geraldo Camilo Albertonpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor Palotina, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal. Defesa : Curitiba, 26/04/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: A diarreia nas granjas suinícolas constitui um problema que resulta em morbidade e mortalidade dos animais, provocando perdas econômicas na produção. A enfermidade pode ter causas multifatoriais, sendo os coccídios agentes importantes, associado a um manejo inadequado. O tratamento normalmente é baseado no uso preventivo de um fármaco com ação anticoccidiana e antiprotozoária, sem se conhecer efetivamente a necessidade de utilização dessas drogas, uma vez que raramente são feitos exames coproparasitológicos comprovando a infecção por esses parasitos. O objetivo desse trabalho foi verificar a ocorrência de Cystoisospora suis em leitões e matrizes, as vias de transmissão e fonte de infecção do parasito e a necessidade de utilização de drogas anticoccidianas com uso preventivo, e ainda observar a influência da estação do ano na ocorrência da parasitose. O trabalho foi realizado em uma granja de suínos localizada na cidade de Palotina-PR, em duas etapas, sendo a primeira no inverno e a segunda no verão. Em cada estação foram utilizadas duas salas de maternidade com nove matrizes em cada, sendo uma sala o grupo controle e a outra o grupo tratado, onde se utilizou o toltrazuril no 5° dia de vida dos leitões. As seguintes amostras foram coletadas: fezes de matrizes no dia do alojamento, no dia do nascimento dos leitões (dia 0) e nos dias 7, 14 e 21; água dos bebedouros individuais das gaiolas; swabs retais das leitegadas no dia do nascimento ambas com a mesma periodicidade relatada anteriormente, totalizando 72 coletas para cada estação; insetos e roedores que tivessem possível contato com as salas analisadas; resíduos de fezes e matéria orgânica contidos nos calçados dos tratadores que tivessem contato com as salas; swabs de superfície do ambiente, no pré e pós alojamento; e resíduos de fezes que ficavam acumulados nas gaiolas durante o alojamento. As amostras foram submetidas às técnicas de Willis-Mollay e Sheather e PCR para detecção de C.suis. Após o experimento do inverno foi solicitada a retirada do toltrazuril para verificar a influência do medicamento na ocorrência do coccídio. Durante o exame coproparasitológico foi observada uma baixa ocorrência de C.suis nas amostras de fezes das matrizes (2,84%). Na PCR nenhuma destas amostras resultou positiva. Das 183 amostras de fezes acumuladas nos ambientes, 37 resultaram positivas na técnica de Willis-Mollay, e nos leitões, a positividade foi de 9,03% na PCR. Todas as amostras de swabs de superfície ambiental, resíduos de fezes e material orgânico no calçado dos tratadores e os insetos coletados foram negativos na PCR. Não houve diferença significativa entre o grupo tratado e não tratado. Todas as amostras positivas de leitões ocorreram durante o inverno. Nenhuma das categorias analisadas mostrou correlação com as leitegadas, nesse caso diante dos resultados não foi observada nenhuma fonte de infecção ou via de transmissão da coccidiose para os leitões. Os resultados demonstraram que apesar da retirada do medicamento, a infecção por C. suis foi reduzida, comprovando que a utilização da droga de forma preventiva muitas vezes não é necessária e que um acompanhamento utilizando métodos coproparasitológicos, é possível e mais indicado.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Diarrhea in pig farms represents a problem that results in animal morbidity and mortality, causing economic losses in production. The disease can have multifactorial causes, being the main agents important, associated to an inadequate management. The treatment is usually based on the use of anticancer and antiprotozoal drugs, with the purpose of preventing the occurrence of drugs, at the same time as coproparasite tests of infection by these parasites are performed. The objective of this work was to verify the occurrence of spiny cystitis in cells and matrices, as transmission routes and source of infection of the parasite and use of anticoccidials with the preventive use, and to observe the intensity of the activity of the year in the incidence of parasitosis. The work was carried out in a farm located in the city of Palotina-PR, in two stages, one in winter and the second in summer. In each row, two maternity rooms were used, with nine matrices in each, being one control group and one treated group, where toltrazuril was used in the fifth day of life of the piglets. The following samples were collected: feces from matrices on the day of lodging and on the day of birth of the piglets (day 0) and days 7, 14 and 21; water from drinking fountains individuals from seagulls; rectal swabs of litters on the following day, with the same periodicity previously reported, totaling 72 collections for each season; insects and rodents that could have contact with the analyzed rooms; residues of matter and organic matter contained in the shoes of the handlers who had contact with the rooms; surface swabs in the pre and post accommodation; and waste stool that accumulates in the cages during housing. The samples were submitted to the techniques of Willis-Mollay and Sheather and PCR for C.suis detection. After the winter experiment, toltrazuril was withdrawn to verify the influence of the virus on the incidence of coccidia. During the coproparasitary examination the incidence of feces from the matrices was analyzed (2.84%). The membranes were removed positively. Of the 183 samples of samples accumulated in the environments, 37 resulted in the Willis-Mollay technique, and in the piglets, with a positivity of 9.03% in the PCR. All samples of environmental surface swabs, faeces residues and organic materials were not treated and the insects were negative in PCR. Not a significant difference between the treated and untreated group. All positive piglet samples occurred during the winter. Other from the rules analyzed in the case of the piglets, in the case of the results in the case of the presence of the source of infected or via transmission of the coccidiosis to the piglets. The results demonstrated that the effectiveness of the withdrawal of the drug, C. suis infection was reduced, proving that the drug is used preventively, and it is not necessary to perform a coproparasitological alert, it is possible and more indicated.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectSuinopt_BR
dc.subjectReaçao em cadeia de polimerasept_BR
dc.titleAnálise da pressão da infecção por Cystoisospora suis com o uso profilático do toltrazurilpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record