Show simple item record

dc.contributor.advisorStangarlin, Lize, 1982-pt_BR
dc.contributor.authorCosta, Rayane Luizi da, 1993-pt_BR
dc.contributor.otherMedeiros, Caroline Opolski, 1986-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Alimentação e Nutriçãopt_BR
dc.date.accessioned2022-04-06T11:34:37Z
dc.date.available2022-04-06T11:34:37Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/73344
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Lize Stangarlin-Fioript_BR
dc.descriptionCoorientadora: Profa. Dra. Caroline Opolski Medeirospt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Alimentação e Nutrição. Defesa : Curitiba, 27/10/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 53-65pt_BR
dc.description.abstractResumo: Até o momento, não foram estabelecidos critérios e instrumentos específicos para avaliação das boas práticas no preparo e envase de formulações enterais no domicílio. Assim, o objetivo deste estudo foi elaborar e validar um instrumento para avaliação das boas práticas na manipulação da nutrição enteral domiciliar e classificar os itens em relação ao seu risco de contaminação. Trata-se de um estudo metodológico, com abordagem quali-quantitativa, dividido em três etapas: a primeira foi à elaboração do instrumento, a segunda foi a validação de conteúdo e a terceira foi a classificação dos itens do instrumento. Para a elaboração do instrumento, realizou-se a busca em documentos técnicos sobre boas práticas na manipulação de alimentos e em nutrição enteral, revisão de literatura e reuniões com três profissionais em segurança de alimentos, para definir os itens de boas práticas que fariam parte do instrumento. Também, foram realizadas revisões da escrita e reorganização dos itens e categorias de boas práticas. Além disso, foi elaborado uma descrição de como avaliar cada item. Para a validação de conteúdo, foram contatados especialistas de nutrição enteral e/ou higiene de alimentos. Os especialistas avaliaram os itens do instrumento em relação aos seguintes critérios: relevância, clareza e facilidade. Na análise de dados da validação de conteúdo, foram considerados adequados o Índice de Validade de Conteúdo para o Item (IVC-I) ? 0,78 em relação aos três critérios. Também, verificou-se o Índice de Validade de Conteúdo para a Categoria (IVC-C) e o Índice de Validade de Conteúdo para o Instrumento Completo (IVC-IC), sendo considerado aceitável IVC ? 0,80 em relação aos critérios clareza e facilidade e IVC ? 0,90 para relevância. Por fim, os itens do instrumento foram classificados, de acordo com o seu risco de contaminação, em Imprescindível, Necessário e Recomendável. O instrumento apresentou quatro versões na etapa de elaboração, sendo que a última versão composta por 45 itens divididos em 8 categorias. Na validação de conteúdo, o instrumento completo (IVC-IC) apresentou, nas duas rodadas, escores acima do preconizado nos três critérios avaliados. Contudo, na primeira rodada, a categoria 2 (Higienização das Instalações, Equipamentos, Móveis e Utensílios) apresentou escores abaixo do recomendado nos critérios clareza (IVC-C 0,77) e facilidade (IVC-C 0,78). Na avaliação dos itens (IVC-I), 8,88% (n=4) deles estavam com escore abaixo do recomendado no critério clareza e 26,67% (n=12) deles no critério facilidade. Outros itens (n=21) apesar do IVC-I satisfatório na primeira rodada, também foram modificados, pois houve oportunidade de melhoria na escrita dos itens do instrumento. Na segunda rodada, todas as categorias apresentaram escores de IVC-C acima do preconizado nos critérios avaliados, e o IVC-I foi satisfatório em todos os itens avaliados nos critérios relevância (n=6) e clareza (n=31) e 90% (n=19) deles no critério facilidade. Por fim, foram classificados os itens do instrumento conforme o risco de contaminação, sendo classificados 52,5% (n=21) como Imprescindível, 32,5% (n=13) como Necessário e 15% (n=6) como Recomendável. Conclui-se que o instrumento validado pode ser considerado relevante, claro e de fácil aplicação e poderá auxiliar na avaliação das boas práticas durante o preparo e envase de formulações enterais no domicílio.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: So far, no specific criteria and instruments have been established to assess good practices in the preparation and home filling of enteral formulations. Thus, the aim of this study was to elaborated and validate an instrument or the evaluation of good practices in the handling of home enteral nutrition and classify the items in relation to their risk of contamination. This is a methodological study, with a quali-quantitative approach, divided into three stages: the first was the development of the instrument, the second was the content validation and the third was the classification of instrument items. To prepare the instrument, a search was carried out in technical documents on good practices in food handling and enteral nutrition, literature review and meetings with three food safety professionals, to define the good practice items that would be part of the instrument. Also, reviews of the writing and reorganization of the items and categories of good practices were performed. In addition, a description of how to evaluate each item was developed. For content validation, enteral nutrition and/or food hygiene experts were contacted. The experts rated the items of the instrument against the following criteria: relevance, clarity, and facility. In the content validation data analysis, the Content Validity Index for the Item (IVC-I) ? 0.78 was considered adequate in relation to the three criteria. Also, the Content Validity Index for the Category (IVC-C) and the Content Validity Index for the Complete Instrument (IVC-CI) were verified, with IVC ? 0.80 being considered acceptable with respect to the clarity and facility criteria and IVC ? 0.90 for relevance. Finally, the items of the instrument were classified, according to their risk of contamination, in Essential, Necessary, and Recommended. The instrument presented four versions in the elaboration stage, with the last version consisting of 45 items divided into 8 categories. In the content validation, the complete instrument (IVCIC) presented, in both rounds, scores above the recommended in the three criteria evaluated. However, in the first round, category 2 (Hygiene of Facilities, Equipment, Furniture, and Utensils) showed scores below the recommended in clarity (IVC-C 0.77) and facility (IVC-C 0.78). In the evaluaton of the items (IVC-I), 8.88% (n=4) of them had a scored below the recommended in the clarity criterion and 26.67% (n=12) of them in the facility criterion. Other items (n=21) the despite satisfactory IVC-I in the first round, were also modified as there was an opportunity to improve the items of the instrument. In the second round, all categories presented IVC-C scores above the recommended in the evaluated criteria, and the IVC-I was satisfactory in all items evaluated in the relevance (n=6) and clarity (n=31) criteria and 90% (n=19) of them in the facility criterion. Finally, the items of the instrument were classified according to the risk of contamination, being classified 52.5% (n=21) as Essential, 32.5% (n=13) as Necessary and 15% (n=6) as Recommended. It is concluded that the validated instrument can be considered relevant, clear and easy to apply and can help in the evaluation of good practices during the preparation and home filling of enteral formulations.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (144 p.) : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAlimentos formuladospt_BR
dc.subjectManipulação de alimentospt_BR
dc.subjectDoenças transmitidas por alimentospt_BR
dc.subjectNutriçãopt_BR
dc.titleInstrumento para avaliação das boas práticas na manipulação da nutrição enteral domiciliarpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record