Show simple item record

dc.contributor.advisorTorquato, Clóris Portopt_BR
dc.contributor.authorMichalkiewicz, Zuleica Aparecida, 1975-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2021-11-30T12:40:14Z
dc.date.available2021-11-30T12:40:14Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/72278
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr.a Clóris Porto Torquatopt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa : Curitiba, 08/03/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 246-258pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Estudos Linguísticospt_BR
dc.description.abstractResumo: Esta pesquisa se origina de inquietações acerca das avaliações em larga escala, mais especificamente o Exame Nacional de Desempenhos dos Estudantes - ENADE. Diante disso, o estudo analisa as provas aplicadas aos cursos de Letras desde a sua primeira edição em 1998. A partir desse recorte diacrônico das avaliações e para compreender como as políticas para a avaliação foram implementadas, mobilizei os documentos oficiais para a Educação Superior iniciando com a Lei de Diretrizes e Bases de 1996, as Diretrizes Nacionais para os cursos de Letras de 2001, as Diretrizes Nacionais para a formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, o Plano Nacional de Educação de 2001 a 2011 e 2014 a 2024, a Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995 que institui o Exame Nacional de Cursos e a Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004 que sanciona o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. À luz da teoria do Círculo de Bakhtin, metodologicamente, empreendo a análise dialógica discursiva desses documentos com o objetivo de: a) compreender as políticas linguísticas e suas ideologias que sustentam/orientam as provas do ENADE; b) analisar nas avaliações, no recorte diacrônico de 1998 a 2017, as ideologias linguísticas que orientam o ENADE a fim de observar quais as políticas podem ser depreendidas; c) investigar o diálogo entre as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Letras e o ENADE como orientações para os cursos de Letras e d) reconhecer que docentes as avaliações do ENADE preconizam. Teoricamente, busco apoio em Johnson (2013), Duchêne e Heller (2012), Heller et al. (2016), Errington (2008), Johnson e Milani (2010), Ricento (2000) e Kroskrity (2008) para discutir as políticas e as ideologias linguísticas, além de pesquisadores da área de estudos da Linguística Aplicada, por compreender que estudamos a linguagem em seus usos sociais, uma vez que somos constituídos na e pela linguagem, na relação com o outro, na história pessoal, na história sócio construída onde estivemos inseridos, nas leituras, na formação, na construção de identidades como atores sociais. Os resultados apontam para as ideologias da padronização da língua portuguesa, numa concepção de linguagem como instrumento de comunicação. Essa ideologia é observada nas avaliações com os textos servindo de pretexto para retomada de teorias e conceitos, distanciando- se da concepção de linguagem dos documentos e limitando-se a uma visão monolíngue. As ideologias linguísticas de que os sentidos estão na materialidade linguística, numa determinação de um sujeito passivo em relação ao sistema, reporta a uma espécie de não consciência dos sujeitos. A historiografia linguística expõe um profissional que ao dominar as teorias e conceitos está apto para ensinar. Por fim, os diálogos entre o ENADE e os documentos oficiais parecem desencontrados, os fios discursivos esgarçados na cadeia dialógica mostram um esvaziamento de sentidos. Avaliar um processo de formação, numa perspectiva homogeneizante, desafina o coro de vozes discursivas dos documentos. Reconheço a relevância de avaliações para pensar na qualidade de educação, na produção de políticas públicas com vistas a uma formação para a diversidade e Multilinguismo. No entanto, nesse momento, acredito que a relevância delas não ressoa na formação e na construção de um professor de língua portuguesa.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This research originates from concerns about large-scale evaluations, more specifically the National Student Performance Exam - ENADE. Therefore, the study analyzes the tests applied to the Language courses since its first edition in 1998. From this diachronic cut of the evaluations and to understand how the policies for the evaluation were implemented, I mobilized the official documents for the Higher Education starting with the 1996 Law of Guidelines and Bases, the National Guidelines for the 2001 liberal arts degree , the National Guidelines for the training of Basic Education Teachers, at a higher level, bachelor's degree, undergraduate the National Education Plan from 2001 to 2011 and 2014 to 2024, Law Nº. 9,131, of November 24, 1995 that institutes the National Examination of Courses and Law Nº. 10,861, of April 14, 2004 that sanctions the System National Higher Education Assessment. In the light of Bakhtin's circle theory, methodologically, I undertake the discursive dialogical analysis of these documents with the aim of: a) understanding the linguistic policies and their ideologies that support / guide the ENADE tests; b) analyze in the evaluations, in the diachronic section from 1998 to 2017, the linguistic ideologies that guide ENADE in order to observe which policies can be understood; c) to investigate the dialogue between the Curriculum Guidelines for the Liberal Arts Degree and ENADE as guidelines for the liberal arts degree and d) to recognize that professors the evaluations of ENADE recommend. Theoretically, I seek support from Johnson (2013), Duchene and Heller (2012), Heller et al. (2016), Errington (2008), Johnson and Milani (2010), Ricento (2000) and Kroskrity (2008) to discuss linguistic policies and ideologies, in addition to researchers in the field of Applied Linguistics studies, as they understand that we study the language in its social uses, since we are constituted in and by language, in the relationship with the other, in personal history, in the socio-constructed history where we were inserted, in the readings, in the formation, in the construction of identities as social actors. The results point to the ideologies of the standardization of the Portuguese language, in a conception of language as a communication tool. This ideology is observed in the evaluations with the texts serving as a pretext for retaking theories and concepts, distancing itself from the language conception of the documents and limiting itself to a monolingual vision. The linguistic ideologies that the senses are in the linguistic materiality, in a determination of a passive subject in relation to the system, reports to a kind of non-awareness of the subjects. Linguistic historiography exposes a professional who, by mastering theories and concepts, is able to teach. Finally, the dialogues between ENADE and the official documents seem to be at odds, the discursive threads frayed in the dialogical chain show an emptying of meanings. Evaluating a formation process, in a homogenizing perspective, detunes the leather of discursive voices in documents. I recognize the relevance of evaluations to think about the quality of education, the production of public policies with a view to training for diversity and multilingualism. However, at this moment, I believe that their relevance does not resonate in the training and construction of a Portuguese language teacher.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (440 p.) : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectExame Nacional de Desempenho dos Estudantespt_BR
dc.subjectAnálise linguísticapt_BR
dc.subjectEnsino superior - Avaliaçãopt_BR
dc.subjectLetraspt_BR
dc.titlePolíticas e ideologias linguísticas : uma análise dialógica das avaliaçãoes do ENADEpt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record