Show simple item record

dc.contributor.authorLacowicz, Stanis David, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherWeinhardt, Marilene, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherCavaliere, Mauropt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2021-11-30T18:01:55Z
dc.date.available2021-11-30T18:01:55Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/72235
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra. Marilene Weinhardtpt_BR
dc.descriptionCoorientador : Prof. Dr. Mauro Cavalierept_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa : Curitiba, 29/03/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 361-377pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Estudos Literáriospt_BR
dc.description.abstractResumo: A partir da análise de um conjunto de ficcionalizações de d. Pedro I, busco compreender o processo pelo qual essa personagem conjuga imagens do Brasil e dos brasileiros. Da mesma forma, pretendo pensar uma noção de personagem histórica não como mera reencenação de um correlato historiográfico, mas como figura dinâmica atravessada por outras imagens e personagens, como aquelas advindas do imaginário cultural e literário. No caso, trata-se em específico da figura do malandro e do mito literário de Don Juan, os quais configuram um espaço anti-heróico marcado pela burla e pelo erotismo. A partir de uma noção ampla de ficção histórica, abordo não apenas romances, mas também uma minissérie, um filme e um romance gráfico. O corpus é composto pelos romances A marquesa de Santos (2009 [1925]) e As maluquices do imperador (2008 [1927]), de Paulo Setúbal; Galantes memórias e admiráveis aventuras do virtuoso conselheiro Gomes, o Chalaça (1994), de José Roberto Torero; Era no tempo do rei (2007), de Rui Castro; e O coração do Rei (2008), de Iza Salles. Acrescentam-se as obras de outras mídias, a saber Independência ou Morte (1972), longa-metragem dirigido por Carlos Coimbra; O quinto dos infernos (2002), minissérie televisiva escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Wolf Maia; e Independência ou Mortos (2012), romance gráfico de Abu Fobyia (pseudônimo de Fábio Yabu) e Harald Stricker. Para pensar a ficção histórica, parto de Célia Fernández Prieto (1998), ao prever a importância da leitura para a efetivação da obra ficcional. Daí decorreu a leitura das propostas de Wolfgang Iser (1996a,1996b) sobre a teoria do efeito estético e a tríade fictício, real e imaginário. Com relação à teoria e à metodologia de análise da personagem, parto do conceito de figuração da personagem, de Carlos Reis (2018), entendida como um conjunto de processos discursivos, e da proposta de Vincent Jouve (1992) sobre o efeito-personagem, que considera a centralidade da leitura na construção da personagem. Ao considerar a dimensão narratológica da figuração, abordo nas obras a construção do narrador e, principalmente, dos regimes de focalização, a partir de Genette (1979). Considero também a perspectiva de Uspensky (1983) acerca do ponto de vista como constitutivo da narrativa. Na introdução, trato da escolha do corpus, dos conceitos estruturantes da tese e do estado da arte. No segundo capítulo, abordo a teoria sobre a personagem e sua relação com a ficção histórica e a tríplice mimese de Ricoeur (1994). O terceiro capítulo trata da figura do malandro e da malandragem nas (re)figurações de d. Pedro, utilizando-se de autores como Antonio Candido (1993) e Edu Teruki Otsuka (2016, 2018). O quarto capítulo centra-se na relação entre donjuanismo e discursos/ficções fundacionais, entrelaçados pela noção de promessa. Nele, parto de autores como Eni Orlandi (2001), Doris Sommer (2004) e Shoshana Felman (2003). No quinto e último capítulo, busco refletir sobre o conjunto dessas ficcionalizações, ressaltando o caráter fragmentário, palimpséstico e arquivístico da personagem histórica, no qual se verifica fundamental o engajamento do leitor.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Through the analysis of a set of fictionalizations of D. Pedro I, in this thesis I aim to comprehend the process through which this character incorporates images of Brazil and Brazilians. Likewise, I intend to think about a notion of historical character that is not simply a re-enaction of its historiographical analog, but as a dynamic figure that is pervaded by other images and characters, namely the ones from the cultural and literary imaginary. In this case, it is specifically about the figures of the malandro (Brazilian trickster) and the literary myth of Don Juan, which establish an anti-heroic space marked by the trickery and the eroticism. Considering a wide notion of historical fiction, I approach not only novels but also a miniseries, a movie, and a graphic novel. Thus, the research object comprises the novels A marquesa de Santos (2009 [1925]) and As maluquices do imperador (2008 [1927]), by Paulo Setúbal; Galantes memórias e admiráveis aventuras do virtuoso conselheiro Gomes, o Chalaça (1994), by José Roberto Torero; Era no tempo do rei (2007), by Rui Castro; and O coração do Rei (2008), by Iza Salles. The works from other media are Independência ou Morte (1972), a movie directed by Carlos Coimbra; O quinto dos infernos (2002), miniseries for television, written by Carlos Lombardi and directed by Wolf Maia; and Independência ou Mortos (2012), a graphic novel by Abu Fobyia (alias of Fábio Yabu) and Harald Stricker. For the reflection about historical fiction, I am based on Célia Fernández Prieto (1998), who deems reading as essential for the effectuation of the fictional work. Hence, it comes the reading of Wolfgang Iser's propositions (1996a, 1996b) about the theory of aesthetic effect response and the triad of fictive, real and imaginary. Regarding the theory and methodology for character analysis, I am based on the concept of figuration of the character, by Carlos Reis (2018), understood as a set of discursive processes, and the proposition of Vincent Jouve (1992), about the character-effect; which considers the centrality of the reading in the construction of the character. Taking into account the narratological dimension of figuration, I approach in the narratives the construction of the narrator and, mainly, the regimes of focalization, based on Genette (1979). I also take into consideration Uspesnky's conception (1983) of point of view as constitutive of the narrative. In the introduction, I adress the research object selection, the structuring concepts of the thesis, and the literary review. In the second chapter, I deal with the theory of character and its relation to the historical fiction and the triple mimesis of Ricoeur (1994). The third chapter works with the figure of the malandro and malandragem in the (re)figurations of d. Pedro, using authors such as Antonio Candido (1993) and Edu Teruki Otsuka (2016,2018). The fourth chapter is centered on the relation between Don Juanism and foundational discourses/fictions, intertwined by the notion of promise. It is based on Eni Orlandi (2001), Doris Sommer (2004), and Shoshanna Felman (2003). In the fifth and last chapter, I seek to reflect about the assemblage of those fictionalizations, highlighting the fragmentary, palimpsestic, and archivistic natures of the historical character, in which the reader's commitment is deemed fundamental.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (380 p.) : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectD. Pedro I, Imperador do Brasil, 1798-1834pt_BR
dc.subjectFicção histórica brasileirapt_BR
dc.subjectMalandros e vadios na literaturapt_BR
dc.subjectLetraspt_BR
dc.titleMáscaras de D. Pedro : fragmentos, ficção e (re)figuração da históriapt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record