Show simple item record

dc.contributor.advisorGabardo, Emerson, 1975-pt_BR
dc.contributor.authorWasilewski, Dione Jesabel, 1974-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direitopt_BR
dc.date.accessioned2022-03-16T21:29:25Z
dc.date.available2022-03-16T21:29:25Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/71896
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Emerson Gabardopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Jurídicas, Programa de Pós-Graduação em Direito. Defesa : Curitiba, 05/04/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 162-175pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Direito do Estadopt_BR
dc.description.abstractResumo: A Constituição Federal de 1988 colocou um termo ao longo período em que a dimensão política da cidadania se viu comprometida pela restrição a direitos fundamentais e sinalizou um avanço na implementação de um modelo de proteção social típico dos mais modernos Estados de bemestar. Este modelo de Estado é o resultado de um processo histórico em que o individualismo típico do Estado liberal é substituído pelo valor "solidariedade social". A pesquisa tem por objetivo identificar se esses avanços de fato se concretizaram após a promulgação da Constituição, o que se faz especialmente pela análise do financiamento da seguridade social. Nesse sentido, o estudo está dividido em três partes. Na primeira, são analisados os processos históricos que determinaram a inclusão da solidariedade social nos debates filosóficos e sua conversão em instituto de Direito público, assim como as elaborações teóricas que, a partir da solidariedade, impulsionaram uma maior intervenção do Estado na economia. Na segunda parte, procura-se delimitar os contornos do termo solidariedade social, realizando a necessária distinção com outros que são considerados seus sinônimos. Em seguida, é realizada uma investigação sobre a evolução do assunto na filosofia política em direção à identificação de um conjunto de valores implementadores da solidariedade, bem como são descritas as fases pelas quais passou a construção do modelo de bem-estar social. Por fim, apresenta-se uma análise histórica da implementação dos mecanismos de proteção social no Brasil e da legislação tributária, para avaliar se o financiamento da seguridade atende aos pressupostos necessários para que se caracterize a sociedade brasileira como "solidária". A investigação realizada conclui que a solidariedade social não se realizou conforme esperado pelo modelo instituído em 1988 porque os mecanismos tributários necessários não foram efetivamente adotados. PALAVRAS-CHAVE: Intervenção Estatal; Solidariedade Social; Seguridade Social; Tributação; Estado Social.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The Federal Constitution of 1988 ended the long period in which the political dimension of citizenship was compromised by the restriction of fundamental rights and signaled an advance in the implementation of a social protection system like that of the most modern welfare states. This state model is the result of a historical process in which the individualism characteristic of the liberal state is replaced by the value "social solidarity". The research aims to identify whether these advances materialized after the promulgation of the Constitution, which is done especially by analyzing the financing of social security. In this sense, the study is divided into three parts. In the first, the historical processes that determined the inclusion of social solidarity in philosophical debates and its conversion into a public law institute are studied, as well as the theoretical elaborations that, from solidarity, drove greater state intervention in the economy. In the second part, the contours of the term social solidarity are delimited, making the necessary distinction with others that are considered its synonyms. After that, an investigation is carried out on the evolution of the subject in political philosophy towards the identification of a set of values implementing solidarity, as well as the phases through which the construction of the social welfare model has undergone. Finally, there is a historical analysis of the implementation of social protection mechanisms in Brazil and tax legislation, to assess whether the financing of social security meets the necessary assumptions to characterize Brazilian society as "solidarity". The investigation concluded that social solidarity did not occur as expected by the model instituted in 1988 because the tax mechanisms capable of carrying it out were not effectively adopted. KEYWORDS: State Intervention; Social Solidarity; Social Security; Taxation; Welfare State.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (175 p.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectIntervenção estatalpt_BR
dc.subjectSolidariedadept_BR
dc.subjectDireitopt_BR
dc.titleA realização do princípio da solidariedade social no modelo constitucional brasileiro de 1988pt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record