Show simple item record

dc.contributor.authorGarcia, Isabela Corsini Pereira, 1990-pt_BR
dc.contributor.otherFoppa, Carina Catiana, 1980-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimentopt_BR
dc.date.accessioned2021-03-04T18:59:43Z
dc.date.available2021-03-04T18:59:43Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/69616
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Carina Catiana Foppapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Defesa : Curitiba, 31/03/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.63-72pt_BR
dc.description.abstractResumo: O imaginário de bem-estar pautado no "bem-possuir" e perpetrado pelo conceito de desenvolvimento é um tipo de caminho linear e uniforme que os países do Sul global deveriam seguir para alcançar progresso social, o bem-estar social e o crescimento econômico. Diante da hegemonia de visões do que se constitui uma boa vida para se viver permaneceram violentadas e invisibilizadas diversas formas de conceber o bem-estar, que fogem do consumismo e do uso desenfreado dos recursos naturais, como as dos povos e comunidades tradicionais. Dentre estes, estão os pescadores e pescadoras artesanais, pessoas que resistem em um complexo cenários de usos, conflitos socioambientais e territórios degradados. À medida que a crise socioambiental também avança sobre os recursos pesqueiros, é importante considerar os pescadores e suas organizações como centrais na discussão em torno da sustentabilidade, conhecer as diferentes percepções e compreender em quais processos se engajam para atingir um nível de bem-estar e qualidade de vida, assegurando que haja liberdade para trilhar os caminhos que levam a ele e condições favoráveis para que se perpetue. Seria o bem-estar uma lente para evidenciar e fortalecer os modos de vida relacionados à pesca artesanal no Brasil? Antes de responder à essa pergunta, é necessário discutir e rever as metodologias e instrumentos utilizados em estudos nessas comunidades, no sentido de buscar por intervenções mais participativas que se alinhem à emancipação social. O presente estudo traz as contribuições de produções brasileiras no contexto do bem-estar e da qualidade de vida na pesca artesanal. Envolveu a pesquisa bibliográfica e a categorização temática de cada artigo, ao passo que discuti as potencialidades e resistências que podem ser extraídas dos processos de vida na pesca artesanal. Por fim, traço um panorama pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, que pretendem implementar uma noção de bem-estar distanciada das vozes de povos tradicionais essenciais para a sustentabilidade dos ecossistemas. Palavras-chave: pesca artesanal, bem-estar, qualidade de vida, desenvolvimento sustentável.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Wellbeing imaginary difused by the concept of development is a tipe of linear and uniform path that countries of the global South follow to achieve social progress, social wellbeing and economic growth. Faced with the hegemony of views of what constitutes a good life to live, various ways of conceiving wellbeing have remained suppressed and invisible, that escapes from consumerism and unbridled use of natural resources, such as traditional peoples and communities. Among these are artisanal fishermen and fisherwomen, people who resist in a scenario of uses, socio-environmental conflicts and degraded territories. As the socio-environmental crisis also advances on fisheries resources, it is important to consider fishermen and their organizations as central to the meeting on sustainability, to understand different perceptions and to understand in which processes they are engaged to achieve a level of wellbeing and quality of life, ensuring that there is freedom to tread the paths that lead to it and favorable conditions for it to perpetuate. Would wellbeing be a lens to highlight and strengthen the ways of life related to artisanal fisheries in Brazil? Before answering this question, it is necessary to discuss and review methodologies and instruments used in studies in these communities, seeking more participatory actions that are aligned to social emancipation. The present study brings contributions of Brazilian productions in the context of wellbeing and quality of life in artisanal fishing. It involved bibliographic research and thematic categorization of each article, while it was discussed how potentials and resistances can be extracted from life processes in artisanal fisheries. Finally, I outlined the UN Sustainable Development Goals, which intend to implement a notion of wellbeing distanced from voices of traditional peoples essential to sustainability of ecosystems. Keywords: artisanal fisheries, wellbeing, quality of life, sustainable development.pt_BR
dc.format.extent86 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPesca artesanalpt_BR
dc.subjectDesenvolvimento sustentávelpt_BR
dc.subjectQualidade de vidapt_BR
dc.subjectBem-estarpt_BR
dc.subjectCiências Ambientaispt_BR
dc.titleO bem-estar na pesca artesanal : possibilidades e desafios para abordagens emancipatóriaspt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record