Show simple item record

dc.contributor.authorPinto, Tyane de Almeida, 1990-pt_BR
dc.contributor.otherRaboni, Sônia Marapt_BR
dc.contributor.otherBreda, Giovanni Luíspt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúdept_BR
dc.date.accessioned2021-01-10T01:54:14Z
dc.date.available2021-01-10T01:54:14Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/69240
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Sonia Mara Rabonipt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Me. Giovanni Luis Bredapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúde. Defesa : Curitiba, 21/08/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.65-69pt_BR
dc.description.abstractResumo: Introdução: O transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) é um recurso terapêutico importante para diversas doenças hematológicas malignas e não malignas. Este tratamento tem apresentando crescimento exponencial nos últimos anos e, na maioria dos casos, são transplantadas células de um irmão totalmente compatível com o receptor. Na ausência deste tipo de doador são realizados transplantes alogênicos de doadores não aparentados, o que aumenta o risco de desenvolvimento de complicações infecciosas ao receptor. A evolução da doença primária, falha do enxerto, infecção e doença do enxerto contra o hospedeiro (DECH) são importantes causas de morbidade e mortalidade neste grupo de pacientes. O objetivo da presente pesquisa foi analisar a mortalidade relacionada ao transplante em até 100 dias após o transplante e possíveis fatores de risco associados. Material e métodos: Coorte retrospectiva. Foram incluídas todas as crianças transplantadas no período entre 01 de janeiro de 2010 e 31 de dezembro de 2017 e excluídas aquelas que foram submetidas ao primeiro TCTH em outro centro. Resultados: Foram analisados os dados de 292 indivíduos, a maioria apresentando diagnóstico de falências medulares, transplante de doador alternativo e medula óssea como fonte de células. DECH aguda foi observada em 23,6% das crianças. Infecção bacteriana foi observada em 79 pacientes (27%); 220 pacientes (75,3%) tiveram diagnóstico de infecção viral e 35 pacientes (12%) evoluíram com infecção fúngica. A mortalidade relacionada ao transplante em 100 dias foi de 5,8%. Tanto a presença de doença fúngica (p < 0,001) quanto a de mais de uma infecção (viral e bacteriana, viral e fúngica ou bacteriana e fúngica) tiveram associação estatisticamente significativa com este desfecho (p < 0,001). Conclusão: A mortalidade relacionada ao transplante é influenciada pela fonte de células-tronco, presença de DECH aguda e por alguns tipos de infecção. Sugere-se que o manejo adequado desses fatores pode ter o potencial de melhorar as taxas gerais de prognóstico em receptores de TCTH alogênicos na população pediátrica. Palavras-chave: Transplante de células-tronco hematopoiéticas; alogênico; infecção pediátrica; complicações.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Introduction: Hematopoietic stem cell transplantation (HSCT) is an important therapeutic resource for several malignant and non-malignant hematological diseases. The treatment has shown exponential growth in recent years and, in most cases, are cells from a fully matched sibling is transplanted. In the absence of this type of donor, allogeneic transplants are performed from unrelated donors, which increases the risk of developing infectious complications in the recipient. Evolution of primary disease, graft failure, infection and graft versus host disease (GVHD) are important causes of morbidity and mortality in this group of patients. The purpose of this research was to analyze transplant-related mortality within 100 days and possible associated risk factors. Material and methods: Retrospective cohort. All children transplanted between January 1, 2010 and December 31, 2017 were included and those who were submitted to the first HSCT at the other center were excluded. Results: Data from 292 isolates were analyzed, the majority of patients diagnosed were transplanted with bone marrow failures, using alternative donors and bone marrow as the stem cell source. Acute GVHD was observed in 23.6% of children. Bacterial infection was observed in 79 patients (27%); 220 patients (75.3%) were diagnosed with viral infection and 35 patients (12%) evolved with fungal infection. The presence of fungal disease in 100 days was 5.8%. Both the presence of fungal disease (p <0.001) and more than one viral infection (viral and bacterial, viral and fungal or bacterial and fungal) was statistically affected with this outcome (p <0.001). Conclusion: The prognosis in allogeneic HSCT is influenced by the source of stem cells, the presence of acute GVHD and some types of infection. We suggest that the proper management of these factors may have the potential to improve outcome after pediatric allogeneic HSCT. Keywords: Hematopoietic stem cell transplantation; allogeneic; pediatric infection; complications.pt_BR
dc.format.extent80 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCélulas-tronco hematopoéticas - Transplantept_BR
dc.subjectTransplante homólogopt_BR
dc.subjectInfecçõespt_BR
dc.subjectPediatriapt_BR
dc.subjectClínica Médicapt_BR
dc.titleMortalidade e fatores associados em crianças submetidas a transplante de células-tronco hematopoiéticas : estudo de coorte retrospectivo de 8 anospt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record