Show simple item record

dc.contributor.advisorSchaffrath, Valter Robertopt_BR
dc.contributor.authorGemim, Bruna Schmidt, 1985-pt_BR
dc.contributor.otherSilva, Francisca Alcivania de Melopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimentopt_BR
dc.date.accessioned2021-01-05T22:33:39Z
dc.date.available2021-01-05T22:33:39Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/69181
dc.descriptionOrientador: Dr. Valter Roberto Schaffrathpt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Dra. Francisca Alcivânia de Melo Silvapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Defesa : Curitiba, 27/03/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 91-100pt_BR
dc.description.abstractResumo: A Meliponicultura é a criação de abelhas nativas sem ferrão, atividade que tem sido associada à conservação e ao uso sustentável da biodiversidade, assim como à geração de renda, por meio de produtos direitos e indiretos, com importante papel na segurança alimentar e nutricional. Além disso, baseia-se no uso mínimo de recursos naturais e no baixo investimento para sua realização. No entanto, a Meliponicultura ainda carece de políticas públicas mais efetivas de incentivo à criação e proteção dessas abelhas, assim como regulamentações mais compatíveis ao exercício da atividade. Com o objetivo de caracterizar os aspectos socioambientais da Meliponicultura na região do Vale do Ribeira, SP, foram realizadas, por meio de questionário semiestruturado, entrevistas com 15 meliponicultores (as) localizados (as) em dez municípios da região. Os dados obtidos retratam a realidade desses criadores a partir do contexto regional, que é composto pelo maior contínuo do bioma Mata Atlântica, com rica diversidade biológica e cultural, mas que apresenta alta vulnerabilidade social e econômica. Aliada à configuração espacial equilibrada entre espaço urbano e rural da região, a Meliponicultura no Vale do Ribeira, SP, vem sendo realizada por meio da obtenção não predatória de colônias, do enriquecimento ambiental com espécies vegetais e pela criação de uma grande diversidade de espécies de abelhas nativas sem ferrão, 32 no total. Destas, as abelhas Mandaçaia (Melipona quadrifasciata quadrifasciata) e Jataí (Tetragonisca angustula angustula) são criadas pela totalidade dos meliponicultores, seguidas por Mirim-droriana (Plebeia droryana), Manduri-amarela (Melipona marginata), Mandaguari-preta (Scaptotrigona postica) e Guaraipo (Melipona bicolor bicolor). Com base nos aspectos socioambientais obtidos na presente pesquisa podemos afirmar que a Meliponicultura tem sido praticada a partir técnicas de manejo alinhadas à conservação e uso sustentável da biodiversidade, bem como desempenha relevante papel na produtividade de frutos e na oferta de mel e subprodutos, que estão diretamente relacionados à segurança alimentar e nutricional das famílias. No entanto, salvo algumas exceções, a Meliponicultura ainda não configura alternativa de renda para a grande maioria dos criadores na região, principalmente devido à finalidade de criação. Por fim, consideramos que a Meliponicultura apresenta-se como uma estratégia a ser incorporada aos planos de desenvolvimento sustentável, como uma ferramenta potencial de produção de alimento, geração de renda e uso da biodiversidade na região do Vale do Ribeira, principalmente em Unidades de Conservação de uso sustentável, áreas protegidas, zonas de amortecimento de Unidades de Conservação de proteção integral, assim como em sistemas agrícolas biodiversos, em especial entre as comunidades tradicionais e agricultores familiares. Este estudo representa o primeiro esforço em nível regional de caracterização dos aspectos socioambientais relacionados à criação de abelhas nativas sem ferrão na região do Vale do Ribeira, SP, e espera-se que esse passo inicial possa ser seguido por muitos outros. Palavras-chave: Abelhas nativas sem ferrão. Biodiversidade. Uso sustentável. Relação Sociedade-Natureza. Mata Atlântica.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Meliponiculture is the breeding of native stingless bees, an activity that has been associated to conservation and sustainable use of biodiversity, as well as to the generation of income through direct and indirect products, with na importante role in food and nutrition security. In addition, it is based on the minimum use of natural resources and low investment for its realization. However, Meliponiculture still lacks more effective public policies to encourage the creation and protection of these bees, as well as more compatible regulations for the exercise of the activity. With the objective of characterize the socioenvironmental aspects of Meliponiculture in Vale do Ribeira region, SP, using a semi-structured questionnaire, interviews were conducted with 15 meliponicultors located in ten cities in the region. The data obtained portray the reality of these breeders from the context of a region, which consists of the largest continuum in the Atlantic Forest biome, with rich biological and cultural diversity, but with high social and economic vulnerability. Combined with the balanced spatial configuration between urban and rural areas in the region, Meliponiculture in Vale do Ribeira, SP, has been carried out by obtaining nonpredatory colonies, environmental enrichment with plant species and the creation of a great diversity of species of native stingless bees, 32 in total. Of these, the Mandaçaia (Melipona quadrifasciata quadrifasciata) and Jataí (Tetragonisca angustula angustula) bees are bred by all meliponicultors, followed by Mirim-droriana (Plebeia droryana), Manduri-amarela (Melipona marginata), Mandaguari-preta (Scaptotrigona postica) and Guaraipo (Melipona bicolor bicolor). Based on the socioenvironmental aspects obtained in this research, we can say that Meliponiculture has been practiced from management techniques aligned with the conservation and sustainable use of biodiversity, as well as playing an important role in fruit productivity and in the supply of honey and by-products, that are directly related to families' food and nutrition security. However, with some exceptions, Meliponiculture does not yet provide an alternative income for the vast majority of breeders in the region, mainly due to the purpose of creation. Finally, we consider that Meliponiculture presents itself as a strategy to be incorporated into sustainable development plans, as a potential tool for food production, income generation and use of biodiversity in the Vale do Ribeira region, mainly in Conservation Units for sustainable use, protected areas, fully protected Conservation Units buffer zones, as well as in biodiverse agricultural systems, especially among traditional communities and family farmers. This study represents the first effort at the regional level to characterize the socio-environmental aspects related to the breeding of native stingless bees in the Vale do Ribeira region, SP, and it is hoped that this initial step can be followed by many others. Keywords: Native stingless bees. Biodiversity. Sustainable use. Nature-Society Relation. Atlantic forest.pt_BR
dc.format.extent110 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectImpactos socioambientaispt_BR
dc.subjectBiodiversidadept_BR
dc.subjectCiências Ambientaispt_BR
dc.titleAspectos socioambientais da meliponicultura na região do Vale do Ribeira, São Paulopt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record