Show simple item record

dc.contributor.advisorAndreatini, Roberto, 1961-pt_BR
dc.contributor.authorClavero, Maryana Albino, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Farmacologiapt_BR
dc.date.accessioned2020-07-27T15:45:21Z
dc.date.available2020-07-27T15:45:21Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/67704
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Roberto Andreatinipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia. Defesa : Curitiba, 27/02/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 42-47pt_BR
dc.description.abstractResumo: As vocalizações ultrassônicas (USVs) têm sido utilizadas como ferramenta para acessar estados afetivos em roedores. As vocalizações de 50 kHz estão associadas a um estado emocional positivo e podem ser induzidas por situações apetitivas e gratificantes, embora um ambiente com cepilho limpo também seja capaz de provocar esse tipo de chamada. Estudos tem mostrado diferenças individuais estáveis na vocalização de ratos, o que pode ser explicado por um componente genético ou sensibilidade à recompensa. Assim, as USVs podem ser consideradas um índice interessante para medir a resposta comportamental em diferentes contextos, como modelos de ansiedade e depressão. No presente estudo, três abordagens foram utilizadas para avaliar a associação entre USVs de 50 kHz e exploração (campo aberto), comportamento tipo-depressivo (teste de natação forçada e preferência por sacarose) e comportamentos tipo-ansioso (labirinto em cruz elevado): (a) análise de correlação; (b) comparação do perfil comportamental entre emissores altos e baixos de USVs de 50 kHz; (c) análise fatorial. Ratos Wistar adultos machos foram caracterizados como emissores altos (acima da mediana) ou baixos (abaixo da mediana) de acordo com o número de USVs de 50 kHz emitidos quando expostos a um ambiente com cepilho limpo. Não foram encontradas correlações significativas entre as USV espontâneas de 50 kHz e comportamentos semelhantes a ansiedade e depressão. Além disso, comparando os resultados apresentados pelos emissores baixos e altos de USVs, não foram observadas diferenças comportamentais entre eles. Com relação à análise fatorial, foram encontrados quatro fatores (comportamento do tipo ansiedade, tipo-depressivo, exploração e tipoantidepressivo), e as USVs mostraram relação apenas no fator envolvendo exploração. Assim, as USVs de 50 kHz não mostraram associação com comportamentos tipo-ansioso (labirinto em cruz elevado) e do tipo-depressivo (teste de natação forçada) em ratos Wistar machos. Estes resultados sugerem que USVs de 50 kHz nem sempre predizem comportamentos semelhantes a ansiedade e depressão. Por outro lado, as USVs de 50 kHz não se correlacionaram com o teste de labirinto em cruz elevado e natação forçada, sugerindo que não se sobrepõe a essas variáveis e apoiando o uso das USVs como indicador de uma faceta diferente do comportamento emocional. Palavras-chave: Vocalização ultrassônica. 50 kHz USV. Predição. Análise fatorial. Ansiedade. Depressão.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Ultrasonic vocalizations (USVs) have been used as a tool to access affective states in rodents. Fifty kHz vocalizations are associated with positive emotional state and can be induced by appetitive and rewarding situations, although fresh bedding is also able to elicit this kind of calls. Studies have found stable individual differences in rat vocalization which could be explained by a genetic component or sensitivity to reward. Thus, USVs could be a stable and interesting index for measurement of behavioral response in different settings such as anxiety and depression models. In the current study, three approaches were used to evaluate the association between 50 kHz USV and exploration (open-field), depressive-like (forced swim test and sucrose preference) and anxiety-like behaviors (elevated plus-maze): (a) a correlational analysis; (b) comparison of the behavioral profile between high and low 50 kHz USV emitters; (c) factor analysis. Adult male Wistar rats were characterized as either high (above median) or low emitters (bellow median) according to the number of 50 kHz USVs elicited by fresh bedding. No significant correlation was found between the spontaneous 50 kHz USV and anxiety-like and depression-like behaviors. Moreover, comparing outcomes showed by low and high USVs emitters, no behavioral differences between them were observed. Concerning the factorial analysis, four factors were found (anxiety-like, depression-like, exploration and anti-depressive like behavior), and USVs have only loaded in the factor related to exploration. Thus, 50 kHz USV do not show association with anxiety-like (elevated plus-maze) and depression-like (forced swim test) behaviors in male Wistar rats. These results suggest that 50 kHz no always predict anxiety-like and depressive-like behavior. On the other hand, 50 kHz USV did not load in the same factor of elevated plus maze and forced swimming test, suggesting that it not overlap with these variables and supporting the use of USV as an indicator of a different facet of emotional behavior. Keywords: Ultrasonic vocalization. 50 kHz vocalization subtype. Prediction. Factor analysis. Anxiety. Depression.pt_BR
dc.format.extent51 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAnsiedadept_BR
dc.subjectDepressãopt_BR
dc.subjectAnalise fatorialpt_BR
dc.subjectFarmacologiapt_BR
dc.titleAusência de associação entre vocalizações ultrassônicas espontâneas de 50 Khz e comportamento tipo depressivo e tipo ansioso em ratos : um estudo de correlação e análise fatorialpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record