Show simple item record

dc.contributor.advisorBornatowski, Hugo, 1984-pt_BR
dc.contributor.authorBernardo, Cristina, 1983-pt_BR
dc.contributor.otherCruz, Vanessa Paes dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicospt_BR
dc.date.accessioned2022-07-19T22:11:34Z
dc.date.available2022-07-19T22:11:34Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/67516
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Hugo Bornatowskipt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Dra. Vanessa Paes da Cruzpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Centro de Estudos do Mar, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa : Pontal do Paraná, 20/02/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Tubarões e algumas raias são comercializados sob o nome popular de "cação", termo utilizado para rotular diversas espécies. O público tende a consumir um determinado peixe, acreditando ser outro e ignorando as consequências ambientais. O objetivo dessa dissertação é avaliar, através de questionários aplicados, a percepção ambiental e o conhecimento do consumidor de pescado com relação aos elasmobrânquios e identificar, através da técnica de DNA barcoding, as espécies vendidas como "cação". O Capitulo I, relativo às entrevistas, foi realizado nos principais mercados de peixe do litoral do Paraná e Curitiba. O Capítulo II, foi realizado com amostras provenientes dos mercados de peixe do litoral do Paraná. O cação foi o pescado menos citado pelos consumidores quando questionados sobre suas preferências na hora da compra. Outro destaque evidenciado em nosso estudo é o fato de muitos consumidores de "cação" saberem que este é composto por carne de tubarão ou raia. Além disso, a percepção ambiental com relação aos elasmobrânquios esteve mais presente no público de até 30 anos de idade com ensino fundamental, corroborando com outros estudos. Através do DNA barcoding, identificamos 16 diferentes espécies de elasmobrânquios em 231 amostras coletadas e 43,3% do total amostrado consiste em espécies listadas em alguma categoria de risco da IUCN (por exemplo, Carcharhias taurus, Carcharhinus falciformis, Sphyrna lewini, S. zygaena e Squatina guggenheim). Além disso, identificamos a espécie Centrophorus squamosus, uma espécie demersal, inédita em sua ocorrência no Brasil. Ainda falta muito para que o público realmente tenha conhecimento sobre o que está consumindo. Embora haja a obrigatoriedade de rotulagem, informando qual espécie está sendo comercializada em supermercados, esta ação é ineficiente, pois não atinge os mercados de peixe e feiras livres, onde há a venda indiscriminada de qualquer espécie, esteja ela ameaçada de extinção ou não. Assim, é necessária a rápida implementação de campanhas educativas e de rotulagem para informar os consumidores quais animais eles estão consumindo e quais são os riscos associados.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Sharks and some rays are commercialized under the popular name "cação", a term used to label several species. The public tends to consume a certain fish, believing it to be another and ignoring the environmental consequences. The objective of this work is to evaluate, through applied questionnaires, the environmental perception and the knowledge of the fish consumer in relation to elasmobranchs and to identify, using the DNA barcoding technique, the species sold as "cação". The Chapter I, related to the interviews, was held in the main fish markets on the coast of Paraná and Curitiba. The Chapter II was carried out with samples from the fish markets on the coast of Paraná. Cação was the fish least mentioned by consumers when asked about their preferences at the time of purchase. Another highlight in our study is the fact that many "cação" consumers know that it consists of shark or ray fish. In addition, the environmental perception regarding elasmobranchs was more present in the public of up to 30 years of age with elementary education, corroborating with other studies. Through DNA barcoding, we identified 16 different species of elasmobranchs in 231 samples collected and 43.3% of the total sample consists of species listed in some IUCN risk category (for example, Carcharhias taurus, Carcharhinus falciformis, Sphyrna lewini, S. zygaena and Squatina guggenheim). In addition, we identified the species Centrophorus squamosus, a demersal species, unprecedented in Brazil. There is still a long way to go before the public really knows what it is consuming. Although there is an obligation to label, informing which species is being sold in supermarkets, this action is inefficient, as it does not reach the fish markets and open markets, where there is the indiscriminate sale of any species, whether it is threatened with extinction or not. Thus, the rapid implementation of educational and labeling campaigns is necessary to inform consumers which animals they are consuming and what are the associated risks.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTubarão (Peixe) - Pescapt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.titleIdentificação das espécies de tubarões comercializadas no sul do Brasil através de DNA barcodingpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record