Show simple item record

dc.contributor.advisorOliveira, Valdomiro de, 1969-pt_BR
dc.contributor.authorRocha, Adair José Pereira da, 1983-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2020-07-10T17:56:16Z
dc.date.available2020-07-10T17:56:16Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/67236
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Valdomiro de Oliveirapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa : Curitiba, 27/03/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 97-106pt_BR
dc.description.abstractResumo: Em Curitiba existem diversos ambientes onde é ofertada a prática do basquetebol para adolescentes, escolas, clubes e centros da prefeitura. Esses indivíduos são influenciados pelas variáveis do Autoconceito (AC), que é a visão de si mesmo, Autoeficácia (AE), que é a percepção que o indivíduo tem de sua performance em uma determinada tarefa, e a Qualidade de Vida (QV), que é a percepção relacionada ao bemestar associado a fatores culturais, contextuais e particulares de cada pessoa. Objetivos: Verificar a associação do AC e AE com a QV de jovens praticantes e não praticantes de basquetebol. Método: Pesquisa descritiva de cunho transversal aplicada a uma abordagem quantitativa. Os instrumentos utilizados foram: 1) Ficha descritiva; 2) Formulário Socioeconômico (ABEP, 2018); 3) Questionário para a percepção de QV relacionada à saúde de crianças e adolescentes kidscreen-52; 3) Escala de AE geral percebida; 4) Escala Multidimensional de AC; 5) Questionário de Qualidade de Vida de Atletas QQVA. A normalidade dos dados foi examinada por meio do teste Shapiro-Wilk. A seguir foi realizado o teste U de Mann-Whtiney, para dados não paramétricos, para comparações entre grupos e entre a distribuição de categorias, e por fim será realizada a Regressão Linear Multivariável para verificar a possível associação do Autoconceito e da Autoeficácia com a Qualidade de vida em cada grupo, com significância de p?0,5. Amostra: Grupos de praticantes de basquetebol, totalizando 197, do sexo masculino e feminino, e grupo de não praticantes, com 89 adolescentes de 12 a 17 anos do sexo masculino e feminino. Resultados: Evidencia dos escores superiores dos praticantes nas dimensões como Qualidade de vida geral (p<0,001), saúde e atividade física (p<0,001), sentimentos (p<0,001), autonomia e tempo livre (p<0,001), família/ambiente familiar (p<0,001), amigos e apoio social (p<0,001) e ambiente escolar (p<0,001). Por outro lado, o grupo de praticantes apresentou menores escores para o domínio Emocional (p<0,001). Encontrou-se associação do AC e AE com a QV. Os dados demonstraram que o grupo de praticantes tem melhores escores associados ao AC e apresentou maiores escores para os domínios Acadêmico (p<0,001), Social (p=0,004) e Físico (p<0,001) e menores escores para o domínio Emocional (p= 0,028). Maiores escores de AE também foram visualizados para o grupo de praticantes em comparação ao de não praticantes (p<0,001). Considerações finais: os dados obtidos mostraram haver diferenças significativas do ponto de vista quantitativo, elucidando que o praticante de basquetebol desta idade pode ter melhores percepções de seu AC, AE e de sua QV comparado aos não praticantes e que a boa percepção de AC e AE foi associada à QV. PALAVRAS CHAVE: autoconceito, autoeficácia, qualidade de vida, adolescentes e basquetebol.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: In Curitiba there are several environments where basketball practice is offered to teenagers, schools, clubs and city hall centers, these individuals are influenced by the variables of the Self-concept (SC), which is the vision of yourself, Self-efficacy (SE) that it is the individual's perception of his performance in a given task and the Quality of Life (QL), which is the perception related to well-being associated with cultural, contextual and particular factors of each person. Objectives: Check the association of SC and SE with QL of Young Practitioners and non-practitioners of basketball. Method: Descriptive cross-sectional research applied to a quantitative approach. The instruments used were: 1) Descriptive sheet; 2) Socioeconomic Form (ABEP, 2018); 3) Questionnaire for the perception of QOL related to the health of children and adolescents kidscreen-52; 3) Questionnaire for the perceived general SE scale; 4) Multidimensional SC scale; 5) AQQA Athletes' Quality of Life questionnaire. The normality of the data was examined using the Shapiro - Wilk test, after the Mann-Whtiney U test was performed, for nonparametric data, for comparisons between groups and between the distribution of categories and finally, Regression will be performed Multivariable linear to verify the possible association of Selfconcept, Self-efficacy and Quality of life in each group with a significance of p?0.5. Sample: Groups of basketball practitioners totaling 197, male and female and group of non-practitioners with 89 male and female adolescents aged 12 to 17 years. Results: General quality of life (p <0.001) health and physical activity (p <0.001), feelings (p <0.001), autonomy and free time (p <0.001), family / family environment (p <0.001), friends and social support (p <0.001) and school environment (p <0.001). On the other hand, the group of practitioners had lower scores for the Emotional domain (p <0.001). Associations were found in QL domains related to SE and SC, the data showed that the group of practitioners had better scores associated with SC, the group of practitioners had higher scores for the Academic domain (p <0.001), Social (p = 0.004) and physical (p <0.001) and lower scores for the Emotional domain (p = 0.028). Higher SE scores were also seen for the group of practitioners compared to those of non-practitioners (p <0.001). Final considerations: the data obtained showed significant differences from the quantitative point of view, elucidating that basketball players of this age may have better perceptions of their SC, SE and their QL compared to non-practitioners and that the good perception of SC and SE was associated with QL. KEY WORDS: self-concept, self-efficacy, quality of life, adolescents and basketball.pt_BR
dc.format.extent134 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAdolescentespt_BR
dc.subjectQualidade de vidapt_BR
dc.subjectEsportes - Aspectos psicológicospt_BR
dc.subjectEsportes - Aspectos sociaispt_BR
dc.subjectBasquetebolpt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.titleAssociação do autoconceito, autoeficácia e qualidade de vida de jovens praticantes de basquetebol de Curitibapt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record