Show simple item record

dc.contributor.advisorCarvalho, Denise Siqueira de, 1957-pt_BR
dc.contributor.authorAlbuquerque, Lêda Mariapt_BR
dc.contributor.otherMeier, Marineli Joaquim, 1964-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2021-01-20T21:46:43Z
dc.date.available2021-01-20T21:46:43Z
dc.date.issued2006pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/6676
dc.descriptionOrientadora: Denise Siqueira de Carvalhopt_BR
dc.descriptionCo-orientadora: Marineli Joaquim Meierpt_BR
dc.descriptionInclui apêndicespt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 2006pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografia e anexopt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Prática profissional em enfermagempt_BR
dc.description.abstractResumo: Trata-se de um estudo centrado no objetivo de conhecer a percepção das enfermeiras acerca do uso da Nomenclatura de diagnósticos e intervenções de Enfermagem, desenvolvida com base na CIPESC® (Classificação Internacional das Práticas de Enfermagem em Saúde Coletiva) e implantada na consulta de enfermagem informatizada da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. Utiliza como referência teórica, estudos sobre os Sistemas de Classificação em Enfermagem, perpassando pela Metodologia da Assistência em Enfermagem e a Avaliação. Caracteriza-se como um estudo de abordagem metodológica quantitativa, utilizando-se de questionário para a coleta dos dados, aplicados a cento e uma enfermeiras que atuam na assistência, em diferentes Unidades de Saúde dos nove Distritos Sanitários do município. Processaram-se os dados com apoio do programa Epi-Info, o que possibilitou a identificação dos seguintes resultados: das enfermeiras participantes 98% realizam consulta de enfermagem; em média o tempo dedicado à realização da consulta de enfermagem constituiu-se de 3,3 períodos semanais; 94,1% referem utilizar o sistema informatizado com facilidade. Dificuldades apontadas: 77,2% mencionam que o sistema é lento; 77,2% sugerem maior integração das telas; 84,2% referiram múltiplas interrupções da consulta de enfermagem pela equipe. Facilidades: a nomenclatura favorece o raciocínio clínico: 94,1%; a nomenclatura possibilita maior autonomia da enfermeira: 93,1%; a existência de diagnósticos múltiplos e variados no sistema facilita a utilização da nomenclatura: 86,1%; a entrega das intervenções para o usuário, por escrito, valoriza a consulta perante a comunidade: 98%. Estes, dentre outros resultados permitem afirmar que, apesar das enfermeiras elencarem empecilhos, a nomenclatura de enfermagem vem sendo utilizada com resultados animadores contribuindo para a qualidade da assistência, visibilidade do trabalho da enfermeira e consolidação da prática da consulta de enfermagem na instituição.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The objective of the study was to evaluate the use of nursing terminology based on ICNP/ICNP in Primary Health Care after it was implemented in the information system of the Municipal Health Department in Curitiba / Brazil. As theoretical background, it relies on Nursing Classification Systems, Nursing and Work Process, Nursing Clinical Practice Methodology and Evaluation. The study design is a quantitative methodological approach, using questionnaires for data collection applied to 101 (a hundred and one) nursing practitioners from different Health Units in the 9 (nine) Sanitary Districts of the municipality. Data processing was performed by Epi-info program, which enabled the identification of the following results: 98% of the nursing participants carry out nursing consultation; the average time for the nursing consultation is 3.3 weekly periods; 94.1% find it easy to use the information system. Difficulties pointed out: 77.2% remark that the system is slow; 77.2% suggest better screen integration; 84,2% refer to the multiple interruptions in the nursing consultation by the team members. Advantages: terminology facilitates clinical thinking, 94.1%; terminology fosters nursing autonomy, 93.1%; the existence of multiple and various diagnoses in the system facilitates terminology use, 86.1%; consultation is better valued by the community once interventions are written down and handed in, 98%. The results enable to conclude that nursing terminology has been used with encouraging results, in spite of the aforementioned difficulties, thus contributing for the quality of clinical practice, visibility in the nursing job and consolidation of nursing consultation practice in the institution.pt_BR
dc.format.extent81f. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEnfermagem - Tesespt_BR
dc.subjectEnfermagem - Processamento de dadospt_BR
dc.subjectEnfermagem - Terminologia - Terminologiapt_BR
dc.subjectInformática na enfermagempt_BR
dc.subjectSistemas de recuperação da informaçãopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.titlePercepção das enfermeiras acerca da utilização da base CIPESC na consulta de enfermagempt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record