Show simple item record

dc.contributor.advisorAuer, Celso Garciapt_BR
dc.contributor.authorWinagraski, Etienne, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherHiga, Antonio Rioyei, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherKaschuk, Glaciela, 1978-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2021-08-24T14:21:22Z
dc.date.available2021-08-24T14:21:22Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/66459
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Celso Garcia Auerpt_BR
dc.descriptionCoorientadores: Prof. Dr. Antonio Rioyei Higa, Profª. Drª. Glaciela Kaschukpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Defesa : Curitiba, 25/09/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Silviculturapt_BR
dc.description.abstractResumo: Monoculturas florestais são importantes para o desenvolvimento regional, permitindo uma fonte de renda, direta e indireta, para populações locais. Destaca-se a produção da espécie florestal Acacia mearnsii, importante fonte de renda no Rio Grande do Sul. Sabe-se que monoculturas florestais podem causar impactos, principalmente na microbiota do solo. Entre estes microrganismos destaca-se os fungos micorrízicos arbusculares - FMAs. FMAs são essenciais para o desenvolvimento de espécies vegetais florestais, permitindo benefícios para a planta. O objetivo deste trabalho foi avaliar o estado da arte da riqueza de FMAs no Brasil, e avaliar o impacto que a A. mearnsii pode causar na riqueza de espécies de FMAs. Para tanto foi realizado no capitulo 1 a identificação da riqueza de espécies nos diversos ecossistemas florestais brasileiros através de uma revisão. Estes solos foram dispostos em dois experimentos. No primeiro experimento avaliamos o impacto de monoculturas de A. mearnsii na riqueza de FMAs. O solo foi disposto em viveiro em um ensaio com plantas armadilhas. O ensaio foi instalado em fatorial: 2 municipios (Cristal x Jaguarão) x 3 áreas (reflorestamento x campo x nativa) x 2 hospedeiros (A. mearnsii x Brachiaria brizantha), disposto em blocos ao acaso com 4 repetições. No segundo experimento, avaliamos o potencial que cada área possuía em realizar a simbiose micorrízica. Este ensaio foi instalado em fatorial: 2 municipios (Cristal x Jaguarão) x 3 áreas (teste clonal x campo nativo x floresta nativa secundária) x 2 diluições do solo (100 e 10%), instalado em blocos ao acaso com 4 repetições. Na revisão de literatura observamos 164 espécies de FMAs, e que a riqueza de espécies de FMAs podem estar associadas com as características do meio e da planta hospedeira. Também observamos que há espécies de FMAs que podem ser classificadas como amplilocadas, conforme a localização das mesmas nos biomas brasileiros. Nos solos avaliados do Rio Grande do Sul, observamos 33 FMAs. Ao avaliar a riqueza de espécies nas áreas estudadas, a A. mearnsii estimulou a densidade de esporos em proporção similar as outras áreas. As características do solo não explicaram o potencial de inóculo das áreas estudadas, e os mesmos não apresentaram diferença significativa, inferindo que as seis áreas estudadas são capazes de realizar simbiose numa mesma proporção. Este trabalho sugeriu que B. brizantha pode ser usado como planta hospedeira podendo ser indicada como multiplicadora in situ de FMA no solo. Claroideglomus etunicatum e o Rhizoglomus clarum podem ser considerados potenciais inoculantes para a acácia negra. Por fim, esta pesquisa pode ser um dos pontos de partida para o desenvolvimento de um sistema de produção sustentável de acácia negra, com base em alterações biológicas. Palavras-chave: Associações simbióticas, diversidade, ecologia microbiana, simbiose micorrízica, silvicultura.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Forest monocultures are important for regional development, allowing a direct and indirect source of income for local populations. The production of the forest species Acacia mearnsii, an important source of income in Rio Grande do Sul, stands out. It is known that forest monocultures can cause impacts, mainly on the soil microbiota. Among these microorganisms, arbuscular mycorrhizal fungi - AMFs stand out. AMFs are essential for the development of forest plant species, allowing benefits for the plant. The objective of this work was to evaluate the state of the art of the richness of AMFs in Brazil, and to evaluate the impact that A. mearnsii can cause in the richness of species of AMFs. In chapter 1 a bibliographic review was carried out to identify the richness of species in the different brazilian forest ecosystems. In chapter 2, soils from two municipalities (Jaguarão/RS and Cristal/RS) were collected from A. mearnsii clonal test areas, native field and secondary forest, all located close to the clonal test areas. These soils were arranged in two experiments. In the first experiment, we evaluated the impact of A. mearnsii monocultures on AMFs richness. The soil was arranged in a nursery in a trial with trap plants. The assay was installed in factorial: 2 municipalities (Cristal x Jaguarão) x 3 areas (reforestation x field x native) x 2 hosts (A. mearnsii x Brachiaria brizantha), arranged in random blocks with 4 replications. In the second experiment, we evaluated the potential that each area had in performing mycorrhizal symbiosis. This test was installed in factorial: 2 municipalities (Cristal x Jaguarão) x 3 areas (clonal test x native field x secondary native forest) x 2 soil dilutions (100 and 10%), installed in random blocks with 4 replications. In the literature review, we observed that of the 164 species of AMFs and that species richness may be associated with the characteristics of the environment and the host plant. We also observed that there are species of AMFs that can be classified as amplilocated, according to their location in brazilian biomes. In the soils analyzed in Rio Grande do Sul, we observed 33 AMFs. When evaluating the species richness in the studied areas, A. mearnsii stimulated the spore density in a similar proportion to the other areas. The characteristics of the soil did not explain the inoculum potential of the studied areas, and they did not show any significant difference, inferring that the six studied areas are capable of performing symbiosis in the same proportion. Finally, this research can be one of the starting points for the development of a sustainable production system of black wattle, based on biological changes. Keywords: Diversity, microbial ecology, mycorrhizal symbiosis, silviculture, symbiotic associations.pt_BR
dc.format.extent115 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectInoculacaopt_BR
dc.subjectFungospt_BR
dc.subjectAcaciapt_BR
dc.subjectClonagempt_BR
dc.subjectRecursos Florestais e Engenharia Florestalpt_BR
dc.titleDiversidade, riqueza e potencial de inóculo de fungos micorrízicos arbusculares em testes clonais de Acacia mearnsii De Wildpt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record