Show simple item record

dc.contributor.advisorCunha, Claudio Leinig Pereira dapt_BR
dc.contributor.authorSeleme, Vinícius Bocchino, 1986-pt_BR
dc.contributor.otherLima Júnior, Emiltonpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Ciências da Saúdept_BR
dc.date.accessioned2020-02-28T20:15:43Z
dc.date.available2020-02-28T20:15:43Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/65961
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Claudio L. Pereira da Cunhapt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Emilton Lima Júniorpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna. Defesa : Curitiba, 28/11/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 83-91pt_BR
dc.description.abstractResumo: As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade no mundo e a hipertensão arterial sistêmica está associada a grande parte dos casos. A busca pelo controle dessa doença, assim como do debate pelas melhores indicações de tratamento, devem ser objetivos dos profissionais de saúde e de políticas de saúde. Nesse contexto a classe dos betabloqueadores teve sua indicação diminuída em alguns dos consensos para tratamento da hipertensão arterial sistêmica, sendo mais indicada na associação com outras drogas ou de outras situações clínicas (como angina e arritmias). Entretanto, sabe-se que essa conduta foi baseada em estudos com betabloqueadores antigos, como o atenolol. O nebivolol apresenta função benéfica sobre o estresse oxidativo, além de ter mecanismo vasodilatador pela liberação de óxido nítrico, sendo diferente de outras medicações de sua classe. Sabendo que o conhecimento médico cresce exponencialmente, torna difícil a busca pela melhor evidência científica. Dessa maneira, o objetivo principal desse trabalho foi de realizar uma revisão sistemática, com posterior metanálise, do uso do nebivolol como droga de indicação de primeiralinha para o tratamento da doença hipertensiva. Desse modo, a revisão sistemática teve início com 981 ensaios clínicos, selecionando, após cuidadosa análise através dos critérios de inclusão e exclusão previamente definidos, 38 ensaios clínicos randomizados e duplo-cegos incluídos para a realização de matanálises de controle de pressão arterial sistólica, de controle de pressão arterial diastólica, de controle de frequência cardíaca e de segurança. Assim, o nebivolol demonstrou ser efetivo no controle da pressão arterial em comparação com as principais classes de drogas antihipertensivas. Além disso, demonstrou ter melhor controle da frequência cardíaca em comparação com outros betabloqueadores de gerações mais antigas. Para esses efeitos clínicos benéficos apresentados, teve boa tolerabilidade clínica, com poucos eventos adversos mesmo quando comparado com placebo. Desse modo, conclui-se que essa droga pode ser uma boa escolha para o tratamento inicial da hipertensão sistêmica, podendo melhorar o controle dessa doença e, consequentemente, da sobrevida da população em geral. Palavras-chave: Nebivolol. Hipertensão. Doenças cardiovasculares. Revisão sistemática. Metanálise.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: ABSTRACT Cardiovascular diseases are the main cause of mortality in the world and systemic arterial hypertension is associated with a large number of cases. The objective of health professionals and health policies should be the search for control of this disease, as well as for the debate on the best indications of treatment. In this context, the class of beta-blockers had its indication diminished in some of the recent guidelines for the treatment of systemic arterial hypertension, being more indicated in the association with other drugs or other clinical situations (such as angina and arrhythmias). However, it is known that this approach was based on studies with older beta-blockers, such as atenolol. Nebivolol has a beneficial role on oxidative stress, besides having a vasodilator mechanism with the release of nitric oxide, being different from other medications of its class. Knowing that medical knowledge grows exponentially, it makes it difficult to search for the best scientific evidence. Thus, the main objective of this study was to perform a systematic review, with subsequent meta-analysis, of the use of nebivolol as a first-line indication drug for the treatment of hypertensive disease. Thus, the systematic review began with 981 clinical trials, selecting, after careful analysis through the inclusion and exclusion criteria previously defined, 38 randomized and double-blind clinical trials included to perform analysis of: systolic blood pressure control, diastolic blood pressure control, heart rate control and safety. Thus, nebivolol has been shown to be effective in controlling blood pressure compared to major classes of antihypertensive drugs. In addition, it has been shown to have better heart rate control compared to other betablockers from older generations. For these beneficial clinical effects presented, it had good clinical tolerability, with few adverse events even when compared to placebo. Thus, it is concluded that this drug may be a good choice for the initial treatment of systemic hypertension, and may improve the control of this disease and consequently, the survival of the population in general. Key-words: Nebivolol. Hypertension. Cardiovascular diseases. Systematic review. Meta-analysis.pt_BR
dc.format.extent107 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectSistema cardiovascular - Doençaspt_BR
dc.subjectHipertensãopt_BR
dc.subjectClínica Médicapt_BR
dc.titleNebivolol como anti-hipertensivos de primeira escolha para o tratamento da hipertensão arterial sistêmica essencial : revisão sistemática e metanálisept_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record