Show simple item record

dc.contributor.authorCamargo, Leniara Pellegrinello, 1980-pt_BR
dc.contributor.otherKnoblauch, Adriane, 1975-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensinopt_BR
dc.date.accessioned2020-02-18T13:42:46Z
dc.date.available2020-02-18T13:42:46Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/65687
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Adriane Knoblauchpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino. Defesa : Curitiba, 05/09/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 144-150pt_BR
dc.description.abstractResumo: A socialização de gênero de crianças pequenas foi o foco da pesquisa, realizada em um Centro Municipal de Educação Infantil da cidade de Curitiba a partir das relações entre docência e religião, analisando como as professoras de educação infantil com suas identidades e vivências religiosas agem com as crianças e se expressam sobre as crianças. Os dados da pesquisa foram coletados a partir de questionários, observação, análise de pareceres descritivos e entrevistas com professoras entre os meses de agosto a dezembro de 2018 e objetivou identificar o perfil pessoal e profissional das professoras do CMEI, suas identidades e suas vivências religiosas; investigar e descrever como acontece as socializações de gênero no cotidiano da instituição, as percepções das crianças e as ações e interferências ou não das professoras; analisar como as professoras se expressam oralmente e por escrito sobre as crianças em relação ao gênero; analisar e compreender as relações entre a vivência religiosa das professoras da educação infantil como parte de sua socialização e suas decisões cotidianas em relação ao gênero. A análise ocorreu a partir de Pierre Bourdieu e Gimeno Sacristán, para as noções de socialização, habitus e docência e de estudos do campo de gênero na educação (Louro, Vianna e Finco). Os resultados indicam que algumas ações são realizadas por hábito e outras decorrem das falas das professoras sobre corpos e aparência das crianças, de modo que há o reforço de estereótipos masculinos e femininos. Por outro lado, as crianças trazem do seu cotidiano informações sobre gênero frente às quais foi detectado o silenciamento das professoras o que também contribui para reforçar os estereótipos e também há ações vindas diretamente das professoras, definindo o "lugar" de meninos e meninas. As professoras com vivência religiosa mais institucionalizada e com matriz cristã tradicional reforçam com mais frequência esses estereótipos em falas, ações e escritas do que professoras com vivência religiosa mais fluída e individualizada. A necessidade de formação das professoras se faz necessária diante do quadro atual para que reflitam e rompam com essas práticas sexistas, contribuindo no processo de socialização profissional. Palavras-chave: Gênero, Educação Infantil, Religião, Socialização Profissional.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Gender socialization of young children was the focus of the research, carried out in a Municipal Center for Early Childhood Education in the city of Curitiba from the relationship between teaching and religion, analyzing how the preschool teachers with their identities and religious experiences act with the children and express themselves about the children. Survey data were collected from questionnaires, observation, analysis of description opinions and interviews with teachers between August and December 2018 and aimed to identify the personal and profissional profile of CMEI teachers, their identities and their religious experiences; investigate and describe how gender socialization happens in the institution's daily life, children's perceptions and teachers' actions and interference or not; analyze how teachers expresse themselves orally and in writing about children in relation to gender; analyze and understand the relationship between the religious experience of teachers of early childhood education as part of their socialization and their daily decisions regarding gender. The analysis took place from Pierre Bourdieu and Gimeno Sacristán, for the notions of socialization, habitus and teaching and gender studies in education (Louro, Vianna and Finco). The results indicate that some actions are performed by habits and others result from the teachers' speeches about children's bodies and appearance, so that there is reinforcement of male and female stereotypes. On the other hand, children bring of their daily information about gender in which teachers' silence was detected, which also contributes to reinforce stereotypes and there are also actions coming directly from teachers, defining the "place" of boys and girls. Teachers with a more institutionalized religious experience and a traditional Christian matrix reinforce these stereotypes in speech, actions, and writing more often than teachers with a more fluid and individualized religious experience. The need for teacher education is necessary in view of the current situation so that they reflect and break with these sexist practices, contributing to the process of professional socialization. Key words: Gender, Early Childhood Education, Religion, Professional Socialization.pt_BR
dc.format.extent159 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectIdentidade de gênero na educaçãopt_BR
dc.subjectEducação infantilpt_BR
dc.subjectProfessorespt_BR
dc.subjectReligiãopt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.titleO silenciamento das professoras e a socialização de gênero no cotidiano da educação infantil : relações entre docência e religião?pt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record