Show simple item record

dc.contributor.advisorZétola, Paulo Robertopt_BR
dc.contributor.authorAbdelaziz, Fátima Mohamad, 1976-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Curso de Especialização em Perícias Médicaspt_BR
dc.date.accessioned2020-02-07T18:43:55Z
dc.date.available2020-02-07T18:43:55Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/64423
dc.descriptionOrientador : Paulo Roberto Zétolapt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Curso de Especialização em Perícias Médicas.pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : Quando há exposição a ruídos de alta intensidade por tempo prolongado, como em fábricas ou indústrias, têm-se perdas auditivas induzidas por ruídos (PAIR). Atualmente, observa-se, tanto em consultórios como empresas, a difícil situação de diagnosticar a perda auditiva relacionada ao ruído do ambiente e de propor medidas preventivas e corretivas. Na legislação brasileira encontram-se normas que contêm expressivos avanços na abordagem das doenças ocupacionais, em benefícios do trabalhador que está exposto a agentes agressores durante o seu turno de trabalho, em especial os oto-agressivos. No entanto, quando se tem casos de piora, havendo a necessidade de afastamento do trabalho ou mesmo demissões, pode-se ter necessidade de avaliação pericial. Assim, o objetivo desse estudo é o de fazer o relato de caso pericial de uma de perda auditiva. O requerente relatou que teve perda auditiva incapacitante devido à exposição prolongada a ruídos no período de oito anos em que desempenhava a função de auxiliar de produção. O mesmo, relatou hipoacusia, zumbidos e piora da acuidade auditiva, além de apresentar perda neurossensorial bilateral na audiometria, o que corrobora com a literatura encontrada para a hipótese diagnóstica levantada. No entanto, não houve acesso a importantes documentos para estabelecimento do nexo causal e fechamento do diagnóstico. Apesar disso, a perda auditiva neurossensorial não é incapacitante e não torna o indivíduo inapto para o trabalho.pt_BR
dc.format.extent17 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProva pericialpt_BR
dc.subjectPerda Auditivapt_BR
dc.subjectRuidopt_BR
dc.titlePerícia médica de perda auditiva relacionada ao trabalho : relato de casopt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record