Show simple item record

dc.contributor.advisorMenon, Walter, 1966-pt_BR
dc.contributor.authorAgostini, Saulo Sbaraini, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofiapt_BR
dc.date.accessioned2019-10-23T13:00:14Z
dc.date.available2019-10-23T13:00:14Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/63851
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Walter Romero Menonpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Defesa : Curitiba, 16/11/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 64-67pt_BR
dc.description.abstractResumo: A dissertação que aqui se apresenta tem como objetivo investigar sobre a possibilidade de uma ética existencial na obra Ser e Tempo (1927) de Martin Heidegger. Enfrenta-se o seguinte problema diante deste objetivo: Heidegger não tem a pretensão de sistematizar uma ética - como então é possível uma ética? O que é a ética existencial? Para expor sobre estas questões, utiliza-se de revisão bibliográficas acerca do tema da ética no autor e da obra Carta sobre o Humanismo (1946). Nesta obra, a partir da abordagem do filósofo sobre o ethos originário e suas distinções com as demais disciplinas do conhecimento, pretende-se tomar a obra e o conceito para interpretar Ser e Tempo. O que é apontado como um 'anacronismo metodológico'. Dessarte, pode-se buscar na primeira obra os conceitos que possibilitam pensar a ética existencial. Os conceitos principais que serão abordados são: ser-aí, ser-no-mundo, impropriedade e propriedade. Com este fim, faz-se o segundo capítulo com objetivo de descrever o modo de ser habitual e cotidiano do ser-aí enquanto impróprio; o terceiro capítulo é construído para mostrar a passagem do modo impróprio para o próprio de ser. Os resultados e conclusões que se atinge neste escrito são: que a ética existencial não trata de normatividade, ou formas de condutas e boa convivência determinadas. Descrever a experiência existencial do ethos é apontar para a estrutura de possibilidade e ação do ser-aí, a partir desta estrutura mostrar os delineamentos éticos com os conceitos de cuidado, decisão e voz-da-consciência. Palavras-Chave: Ontologia Fundamental. Ethos. Ética existencial. Propriedade. Impropriedade.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The presented text to acquire Philosophy Master's Degree aims to investigate the possibility of an existential ethics in Martin Heidegger's Being and Time (1927). On this propose two questions are faced: (I) Heidegger does not intend to establish an ethic's academic book - how an ethic in Being and Time is possible? (II) What is existential ethics? Thus, to explain these questions, a bibliographical review about the theme of ethics is used and the work Letter on "Humanism" (1946). In this work, based on the philosopher's approach to the ethos and its distinctions with the other disciplines of knowledge, it is intended to take this concept to interpret Being and Time. This is called a 'methodological anachronism'. From this, one can seek in the first work the concepts that make possible the thinking of an existential ethics. The main concepts that will be addressed are: being-there, being-in-the-world, inauthenticity and authenticity. Therefore, the second chapter is made to describe the habitual and everyday way of being-there as inauthentic; the third chapter's main objective is to show the passage from the being-there's inauthentic way to authenticity. The results and conclusions reached in this writing are: that existential ethics does not deal with normativity. To describe the existential experience of ethos is to point to the being-there's possibility structure. For this reason the structure to show the ethical delineations on existence are the concepts of care and voice of conscience. Keywords: Fundamental Ontology. Ethos. Existential ethics. Authenticity. Inauthenticity.pt_BR
dc.format.extent68 p.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectHeidegger, Martin, 1889-1976 - Crítica e interpretaçãopt_BR
dc.subjectOntologiapt_BR
dc.subjectÉtica - Filosofiapt_BR
dc.subjectEthospt_BR
dc.subjectFilosofiapt_BR
dc.titleA Experiência existencial do Ethos em Ser e Tempo de Heideggerpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record