Show simple item record

dc.contributor.authorCampos, Mayara da Silva, 1991-pt_BR
dc.contributor.otherNagai, Renata Hanae, 1982-pt_BR
dc.contributor.otherSousa, Silvia Helena de Mello ept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Centro de Estudos do Mar. Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicospt_BR
dc.date.accessioned2019-08-20T19:00:01Z
dc.date.available2019-08-20T19:00:01Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/62708
dc.descriptionOrientadora: Prof(a). Dr(a). Renata Hanae Nagaipt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Prof(a). Dr(a). Silvia Helena de Mello e Sousapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Centro de Estudos do Mar, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa : Pontal do Paraná, 22/03/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: A correntes oceânicas atuam como grandes reguladoras do clima global, e exercem a troca interhemisférica de calor, sal e nutrientes. No Oceano Atlântico essa troca inter-hemisférica ocorre através da Circulação Meridional do Atlântico (Atlantic Meridional Overturning Circulation - AMOC), considerada como uma das principais forçantes oceânicas que atuam diretamente no clima. A circulação da AMOC e a sua relação com as correntes oceânicas do Atlântico Sul, ainda é uma questão muito debatida nos estudos paleoceanográficos, e o papel do Atlântico Sul na circulação global começou a ser investigado apenas recentemente. O atual cenário das mudanças climáticas coloca em foco a necessidade de compreender os sistemas de feedback que atuam sobre o clima e, nesse contexto, a relação entre o Oceano Atlântico Sul e a AMOC ao longo do Holoceno são considerados como pontos que ainda precisam ser melhor compreendidos. A presente dissertação investigou as mudanças no fluxo das correntes oceânicas que compõem a hidrodinâmica do Atlântico Sudoeste ao longo do Holoceno, as suas relações com as mudanças na intensidade da AMOC e oscilações paleoclimáticas na região sudoeste brasileira. Utilizamos uma análise multi-proxy, composta por tamanho médio de grãos de silte entre 10 - 63 (sortable silt) e razões elementares (Fe/K e Fe/Ca), aplicadas sobre 4 registros sedimentares marinhos coletados Bacia de Santos (entre 23- 28°S) entre a isóbata de 400 e 1.550 m de profundidade de lâmina d' água. Os resultados obtidos nos mostram que a circulação oceânica do Atlântico Sudoeste ao longo do Holoceno apresentou uma relação direta com as mudanças na circulação do Hemisfério Norte, e este comportamento pode ser observado através de uma circulação enfraquecida da Corrente do Brasil (CB), e mudanças antifásicas entre a intensidade da Corrente de Contorno Intermediária (CCI) e Corrente de Contorno Profunda (CCP), além do mais, os nossos registros apresentam de forma clara a migração para sul da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) durante o Holoceno tardio, que expressa o crescente aporte terrígeno resultante do aumento na precipitação para a região sudoeste brasileira. Palavras-chave: Holoceno; Atlântico Sudoeste; sortable silt; razão Fe/K; razão Fe/Ca; AMOC; intensidade de fluxos; circulação oceânica.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Ocean currents are regulators of the global climate and make the overturning and recirculation exchange of heat, salt, and nutrients. In the Atlantic Ocean, this inter-hemispheric exchange occurs through the Atlantic Meridional Overturning Circulation (AMOC), considered as one of the main oceanic forces that act directly on the climate. The AMOC circulation and its relationship with the South Atlantic ocean currents is still a much-debated issue in paleoceanographic studies, and the role of the South Atlantic in the global circulation has only recently been investigated. The current scenario about climate change focuses on the need to understand feedback systems that act on the climate, and in this context, the relationship between the South Atlantic Ocean and the AMOC along the Holocene are considered as points that still need to be worked on. The present dissertation investigated the changes in the flow of the ocean currents that compose the hydrodynamics of the Southwest Atlantic along the Holocene, and its relations with the changes in the AMOC force and paleoclimatic oscillations in the southwestern region of Brazil. We used a multi-proxy analysis, consisting of average silt grains size between 10-63 (sortable silt) and ratios (Fe / K and Fe / Ca), applied on 4 cores collected from the Santos Basin (between 23- 28 ° S) in the isobath of 400 and 1,550 m of depth. The results show that the oceanic circulation of the Southwest Atlantic along the Holocene was directly related to the changes in the circulation of the Northern Hemisphere, and this behavior can be observed through a weakened circulation of the Brazilian Current (CB), and the antiphase about Western Boundary Current (IWBC) and Deep Western Boundary Current (DWBC), in addition, our records clearly show the migration south of the Intertropical Convergence Zone (ITCZ) during the late Holocene, which expresses the increasing terrigenous contribution resulting from the increase in precipitation for the southwestern region of Brazil. Keywords: Holocene; Atlantic Southwest; sortable silt; ratio Fe/K; ratio Fe/Ca; AMOC; ocean circulation.pt_BR
dc.format.extent47 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectHidrodinamicapt_BR
dc.subjectHolocenopt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.titlePadrões hidrodinâmicos no Atlântico Sudoeste durante o Holoceno : uma abordagem multi-proxypt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record