Show simple item record

dc.contributor.advisorCorrea, João Batista Chavespt_BR
dc.contributor.authorReicher, Fany, 1950-pt_BR
dc.contributor.otherGorin, Philip Albert James, 1931-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ciências (Bioquímica)pt_BR
dc.date.accessioned2019-08-27T20:22:03Z
dc.date.available2019-08-27T20:22:03Z
dc.date.issued1984pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/62629
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. João Batista Chaves Corrêapt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Philip A. J. Gorinpt_BR
dc.descriptionTese (Doutorado) -Universidade Federal do Paraná, Curso de Pós-Graduação em Bioquímicapt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 118-136pt_BR
dc.description.abstractResumo: O caule de bracatinga (Mimosa scabrella) foi delignificado por tratamento com cloro a temperatura de ~ 4° e extraído com etanol a temperatura ambiente ou a refluxo. Do produto parcialmente delignificado, por extração com dimetilsulfóxido (DMSO) obteve-se um polissacarídeo complexo formado de unidades de D-xilopiranoses, ácido 4 - O-metil-D-glucurônico, grupos O-acetílicos e lignina numa relação percentual de 72: 13: 9: 6. Os grupos O-acetílicos, conforme determinado por análise de metilação com bloqueio prévio das hidroxilas livres por fenilisocianato, foram localizados em 0-2 (14%), 0-3 (16%) e 0-2,3 (5%) das unidades de D-xilopiranoses da 0-acetil-(4-0-metil glucurono) xilana. O uso do etanol a refluxo não causou nenhuma alteração significativa relativa aos grupos O-acetílicos. A analise por 13 C-n.m.r. de xilanas acetiladas sinteticamente e de estrutura conhecida, bem como do metil 4-0-metil-2-0-acetil-B-D-xilopiranosídeo utilizados como modelos antes e após o tratamento com Cl2 a temperatura de ~ 4° demonstrou que o processo de delignificação não causa migração ou remoção dos grupos O-acetílicos. A distribuição dos grupos O-acetílicos na xilana nativa sugere que os mesmos tenham relação com a conformação da molécula. A lignina está associada à xilana nativa de três maneiras distintas: interação secundária, ligação ester e ligação benzil eter.pt_BR
dc.format.extent136 f. : il., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectBioquímicapt_BR
dc.titleEstudos sobre a localização de grupos O-acetílicos e de complexos lignina-xilana em hemicelulose nativa de Mimosa scabrella (bracatinga)pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record