Show simple item record

dc.contributor.authorKampa, Kátia Cristina, 1982-pt_BR
dc.contributor.otherPedroso, Maria Lúcia Alvespt_BR
dc.contributor.otherIvantes, Cláudiapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Internapt_BR
dc.date.accessioned2019-08-09T11:43:21Z
dc.date.available2019-08-09T11:43:21Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/62310
dc.descriptionOrientadora: Dra. Maria Lúcia Alves Pedrosopt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Dra. Cláudia Alexandra Pontes Ivantespt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna. Defesa : Curitiba, 19/12/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 69-75pt_BR
dc.description.abstractResumo: A Doença de Crohn e a Colite Ulcerativa são doenças crônicas nas quais existem desregulação do sistema imune da mucosa do trato gastrointestinal. Uma das terapias usadas no tratamento dessas doenças são as medicações biológicas, entre elas o Infliximabe. A monitorização do tratamento dos pacientes com Iinfliximabe é feita por exames complementares: calprotectina fecal, pesquisa de atividade inflamatória, exames endoscópicos e imagem. Utiliza-se, também a dosagem do nível sérico do Infliximabe e a pesquisa de anticorpos. Objetivos: Analisar uma população com doenças inflamatórias intestinais, em tratamento com Infliximabe, submetida a avaliação do nível sérico do Infliximabe e do anticorpo, além de possíveis fatores que possam alterar ou contribuir no tratamento. Métodos: Trata-se de estudo retrospectivo, transversal, realizado por meio da revisão dos prontuários dos pacientes com doença inflamatória intestinal, em um hospital sulbrasileiro, no período de junho de 2014 até julho de 2016, que foram submetidos a avaliação dos níveis séricos de Infliximabe e do anticorpo. Resultados: foram incluídos 55 pacientes, submetidos a dosagem do Infliximabe e do anticorpo, totalizando 95 coletas sanguíneas. Destes, 55 realizaram uma primeira coleta, 30 tiveram uma segunda amostra coletada e 10 coletaram uma terceira vez. Vinte e nove pacientes eram do sexo feminino (52,7%) e vinte e seis do sexo masculino (43.2%). Quarenta e cinco (47,3%) casos tinham diagnóstico de Doença de Crohn (81,8%) e 10 de Colite Ulcerativa (18,2%). Em relação ao nível sérico encontrou-se nível adequado em 30 coletas (31,57%), subterapêutico em 41 coletas (43,15%) e supraterapêutico em 24 coletas (25,26%). A prescrição foi otimizada em 40 (42,10%) casos, mantida em 31 (32,63%) pacientes, suspensa em 7 (7,60%) ou que o intervalo entre as infusões fosse aumentado (17,85%). Na análise geral, em 53 coletas (55,79%) a conduta foi definida em função exclusivamente da dosagem sérica do Infliximabe e/ou do anticorpo, já em relação, apenas a primeira coleta obteve-se 33 (60%) pacientes. Avaliando-se os pacientes um ano após, obteve-se: em 38 (69,09%) pacientes a conduta foi mantida com Infliximabe e, em 8 (14,54%) foi optado por troca de classe, em 2 (3,63%) foi optado por troca do medicação na mesma classe, em 3 (5,45%) pacientes a medicação foi suspensa e não foi substituída e, em 4 (7,27%), perdeu-se o seguimento. Conclusão: a conduta adotada variou conforme o nível do Infliximabe, pode ser mantida, otimizada, aumentado intervalo ou suspensa. Não encontrou-se diferença entre os níveis de Infliximabe entre os grupos com ou sem imunossupressor, albumina sérica, velocidade de hemossedimentação, Calprotectina, Proteína C reativa, exames endoscópicos e exames de imagem. A conduta atual pode ser mantida em quase 70% dos pacientes. Concluindo, a dosagem do nível sérico e do anticorpo é ferramenta útil no acompanhamento dos pacientes em terapia de manutenção e após a indução de tratamento em pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Palavras-chave: Doença de Crohn. Colite ulcerativa. Infliximabe. Anticorpo contra infliximabe. Monitorização. Terapia biológica.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Introduction: Crohn's disease and ulcerative colitis are chronic diseases in which there is dysregulation of the mucosal immune system of the gastrointestinal tract. One of the therapies used in the treatment of these diseases are the biological medications, among them Infliximab. The monitoring of the treatment of patients with Infliximab is done by complementary exams: fecal calprotectin, investigation of inflammatory activity, endoscopic exams and image. The serum level of Infliximab and the detection of antibodies are also used. Objective: To analyze a population with intestinal inflammatory diseases, under Infliximab treatment, submitted to serum Infliximab evaluation and antibody level, in addition to possible factors that could change or contribute in the treatment. Methods: This is a retrospective study, transversal, carried out through the review of the medical records of the patients with inflammatory bowel disease, in a south brazilian hospital, in the period from June 2014 to July 2016, who were submitted to the evaluation of serum levels of Infliximab and the antibody. Results: 55 patients were submitted to Infliximab and antibody, totaling 95 blood samples. Among them, 55 performed a first collection, 30 collected a second sample and 10 collected a third time. Twenty-nine patients were female (52.7%) and twenty-six male (43.2%). Forty-five (47.3%) had Crohn's disease (81.8%) and 10 cases of ulcerative colitis (18.2%). Regarding the serum level, 30 samples were collected (31.57%), subtractive in 41 collections (43.15%) and supratherapeutic in 24 collections (25.26%). Prescription was optimized in 40 (42.10%) cases, maintained in 31 (32.63%) patients, suspended in 7 (7.60%) or the interval between infusions increased (17.85%). In the general analysis, in 53 samples (55.79%) the conduct was defined as a function only of serum IFX and/or antibody; already in relation only the first collection 33 patients (60%) were obtained. Patients were evaluated 1-year later, and in 38 (69.09%) patients the procedure was maintained with Infliximab, and in 8 (14.54%) patients were switched to 2 (3, 63%) was chosen to change the medication in the same class, in 3 (5.45%) patients the medication was suspended and not replaced and in 4 (7.27%), the follow-up was lost. Conclusion: the adopted behavior varied according to the Infliximab level, can be maintained, optimized, increased interval or suspended. No difference was found between infliximab levels between groups with or without immunosuppressive, serum albumin, erythrocyte sedimentation rate, Calprotectin, C-reactive protein, endoscopic exams and imaging tests; although most of the results were altered in the subtherapeutic group. Current management can be maintained in almost 70% of patients. In conclusion, serum and antibody levels are a useful tool in the follow-up of patients on maintenance therapy and after induction of treatment in patients with Inflammatory Bowel Disease. Key words: Crohn's disease. Ulcerative colitis. Infliximab. Anti-infliximab antibody. Monitoring. Biological therapy.pt_BR
dc.format.extent83 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCrohn, Doença dept_BR
dc.subjectColite ulcerativapt_BR
dc.subjectClínica Médicapt_BR
dc.titleAvaliação da importância da dosagem sérica do infliximabe no tratamento de pacientes com doença inflamatória intestinal em centro especializadopt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record