Show simple item record

dc.contributor.authorFerreira, Maria Engracinda dos Santos, 1984-pt_BR
dc.contributor.otherDelazari, Luciene Stamato, 1971-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicaspt_BR
dc.date.accessioned2019-07-23T17:54:50Z
dc.date.available2019-07-23T17:54:50Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/61509
dc.descriptionOrientadora: Profª. Drª Luciene Stamato Delazaript_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas. Defesa : Curitiba, 26/02/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 146-154pt_BR
dc.description.abstractResumo: Descrever espacialmente objetos ou ambientes é uma tarefa cotidiana e natural presente na rotina dos indivíduos. Frequentemente, tais descrições são realizadas através da Linguagem Natural (LN), tanto a falada como a escrita. A descrição espacial é composta por expressões como "a padaria fica ao lado do supermercado" ou "a padaria fica perto do supermercado". Esse tipo de descrição é a forma predominante de comunicação espacial entre os indivíduos é conhecido como expressão locativa ou locacionais. As expressões locativas são compostas por três elementos fundamentais: o elemento a ser localizado (locatum), ponto de referência (relatum) e a relação espacial. Os pontos de referência são elementos do ambiente que se destacam dentre os outros. A característica que torna um elemento uma referência pode ser visual (cor, tamanho), estrutural (localização proeminente) ou semântica (significado cultural, histórico ou atividade relacionada). Os vocábulos empregados para fazer associações entre o elemento a ser localizado e o ponto de referência são chamados de relações espaciais. A existência de uma constante interação do homem com o ambiente torna a LN rica em vocábulos espaciais que caracterizam o espaço, resultando em uma diversidade de tais vocábulos. A quantidade substancial e a versatilidade dos vocábulos utilizados como relações espaciais dificultam sua implementação em sistemas que buscam interpretar, processar e representar a linguagem natural. O projeto "Where Am I?", no qual esta pesquisa está inserida, tem como objetivo implementar um desses sistemas, em que seja possível converter a descrição espacial do indivíduo em uma localização geográfica. Dessa forma, o objetivo geral desta tese foi verificar se a escolha das relações espaciais é afetada pelos contextos em que se encontra o indivíduo. Os dados que possibilitaram este trabalho foram obtidos a partir de três fontes: 1) teste exploratório em ambientes desconhecidos, 2) testes exploratórios em ambiente conhecido e 3) ocorrências registradas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBM-SC). Os resultados alcançados permitiram a realização do experimento final em dois contextos: cotidiano e estresse. O experimento final mostrou que o emprego das relações espaciais se deu de maneiras diferentes em ambos os contextos, uma vez que a quantidade e a variabilidade dos vocábulos empregados foram distintas. Apesar disso, foi perceptível o uso de um conjunto de vocábulos representativo dos demais. Isso presume, que apesar do contexto influenciar na escolha das relações espaciais, o conjunto obtido de relações espaciais é satisfatório para serem empregados nos contextos experimentados nesta tese. Sendo assim, os experimentos realizados possibilitaram a comprovação da hipótese levantada nesta tese, e ainda que o conjunto de relações espaciais representativo das demais pode auxiliar em pesquisas futuras que objetivam a implementação da LN em sistemas de localização geográfica. Palavras-chaves: Linguagem Natural; Pontos de Referência; Relações espaciais; Descrição espacial.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Spatially describing objects or environments is a daily and natural task present in the routine of individuals. Frequently, such descriptions are performed through the Natural Language (NL), both spoken and written. The spatial description is composed of expressions such as "the bakery is next to the supermarket" or "the bakery is near the supermarket". This type of description is the predominant form of spatial communication between individuals is known as a locative or locational expression. Locative expressions are composed of three fundamental elements: the feature to be located (locatum), the reference point (relatum) and the spatial relation. Landmarks are elements of the environment that stand out from others. A characteristic that makes an element a reference can be visual (structural, visual), structural (structural) or semantic (cultural meaning). The terms used to make associations between the element to be located and the reference point are called spatial relations. The existence of a constant interaction of the individuals with the environment makes NL rich in spatial terms that characterize space, resulting in a diversity of such words. The substantial quantity and versatility of the terms used as spatial relations make it difficult to implement them in systems that seek to interpret, process and represent natural language. The project called "Where am I?", in which this research is inserted, aims to implement one of these systems that possible to convert the spatial description of the individual into a geographic location. Thus, the general objective of this thesis was to verify if the choice of spatial relations is affected by the contexts in which the individual is. The data that enabled this work were obtained from three sources: 1) exploratory test in unknown environments, 2) exploratory tests in a known environment, and 3) occurrences recorded by the Santa Catarina Military Fire Brigade (CBM-SC). The results allowed the realization of the final experiment in two contexts: daily and stress. The final experiment showed that the use of spatial relations occurred in different ways in both contexts, since the quantity and variability of the terms used were different. Despite this, the use of a set of words representative of the others was perceptible. This assumes that, although the context influences the choice of spatial relations, the set of spatial relations is adequate to be used in the contexts experienced in this thesis. Thus, the experiments carried out allowed to prove the hypothesis raised in this thesis, and even though the set of spatial relations representative of the others can help in future research that aim at the implementation of NL in geographic location systems. Keywords: Natural Language; Reference points; Spatial relationships; Spatial description.pt_BR
dc.format.extent162 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProcessamento da linguagem natural (Computação)pt_BR
dc.subjectAnálise espacial (Estatística)pt_BR
dc.subjectGeodésiapt_BR
dc.titleProposição de um conjunto de relações espaciais para tarefas de descrições espaciaispt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record