Show simple item record

dc.contributor.advisorSouza, Nelson Rosário de, 1963-pt_BR
dc.contributor.authorAlmeida, Viritiana Aparecida de, 1984-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Ciência Políticapt_BR
dc.date.accessioned2019-10-24T13:46:18Z
dc.date.available2019-10-24T13:46:18Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/61372
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Nelson Rosário de Souzapt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política. Defesa : Curitiba, 27/02/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.148-155pt_BR
dc.description.abstractResumo: O objeto deste trabalho foi elaborado a partir das séries de TV Sexo e as Negas e Mister Brau, ambos da Rede Globo. A primeira retratou a intimidade de quatro mulheres negras da periferia com a intenção de destacar o protagonismo delas quanto à sexualidade. Na segunda, ao contrário, o tema foi a ascensão social de um casal de negros pela música, bem como as tensões que isso provocou. Embora sejam séries de entretenimento, abordam a polêmica tradição de sub-representação de afrodescendentes na televisão. Procuramos sair do paradigma da dominação ideológica, que opera na chave da reprodução do poder de classe pela mídia e da sub-representação estereotipada dos afrodescendentes, optando por captar as disputas discursivas por identidades que perpassam a mídia. Para isso, mobilizamos o referencial de "midiaculturas", cuja ideia norteadora é de que a mídia televisiva é responsiva aos debates que ocorrem nas esferas públicas, pois, para conquistar audiência precisa não só reproduzir fórmulas de sucesso, mas também antecipar tendências, ou seja, precisa correr riscos. Essa estratégia favorece a representação midiática das tensões entre linhas discursivas hegemônicas e contrahegemônicas. Nesse sentido, faz-se necessário investigar os conflitos discursivos identitários e as nuanças presentes no gênero televisivo em tela, especialmente no que tange à temática racial. O objetivo desse trabalho é investigar se os seriados mencionados anteriormente, por estarem inseridos num contexto de debate sobre a questão racial, reproduziram ou ressignificaram linhas discursivas hegemônicas e contra-hegemônicas presentes em nossa polêmica herança sociocultural. A questão que orienta a pesquisa é a seguinte: quais linhas discursivas podem ser apreendidas nos conteúdos dos seriados, comparados entre si, quando se observa a herança discursiva sobre raça que eles mobilizaram? As narrativas apresentadas em ambos dizem algo sobre o atual estágio das disputas por identidades no que tange a esse tema? Parte-se da hipótese de que os conteúdos desses programas televisivos expressam conflitos em torno da linha discursiva da identidade negra, mas também um processo ambíguo de apropriação, ressignificação e atualização que de uma forma ou de outra favorece a reprodução do discurso hegemônico da democracia racial, mas também contempla o discurso contra-hegemônico que entende a democracia racial como um mito. A fim de analisar tal premissa e responder a questão, além do referencial de "midiaculturas", nos apropriamos da metodologia qualitativa de análise de conteúdo (AC) e da quantitativa a partir da segmentação e classificação de elementos das cenas, o que possibilitou a obtenção de frequências e cruzamentos com a ajuda do software estatístico SPSS. Palavras-chave: disputas discursivas; mestiçagem; identidade racial; série de TV.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The object of this work was elaborated from the TV series Sexo e as Negas and Mister Brau, both of Rede Globo. The first one portrayed the intimacy of four black women from the periphery with the intention of highlighting their protagonism regarding sexuality. In the second, on the contrary, the theme was the social rise of a couple of blacks for music, as well as the tensions that this provoked. Although they are entertainment series, they address the controversial tradition of underrepresentation of Afro-descendants on television. We seek to move away from the paradigm of ideological domination, which operates in the key to the reproduction of class power by the media and the stereotyped under-representation of Afrodescendants, choosing to capture the discursive disputes over identities that permeate the media. To this end, we mobilize the "mediacultures" referential, whose guiding idea is that the television media is responsive to the debates that take place in the public spheres, since, in order to win audience, it is necessary not only to reproduce successful formulas but also to anticipate trends, , you need to take risks. This strategy favors the media representation of the tensions between hegemonic and counter-hegemonic discursive lines. In this sense, it is necessary to investigate the discursive conflicts of identity and the nuances present in the television genre on canvas, especially with regard to racial themes. The objective of this work is to investigate whether the serials mentioned above, because they are inserted in a context of debate on the racial question, reproduced or re-signified hegemonic and counter-hegemonic discursive lines present in our controversial sociocultural heritage. The question that guides the research is: what discursive lines can be apprehended in the contents of the series, compared to each other, when one observes the discursive heritage about race that they mobilized? Do the narratives presented in both say something about the current stage of identity disputes in this regard? It is hypothesized that the contents of these television programs express conflicts around the discursive line of black identity, but also an ambiguous process of appropriation, resignification and updating that in one way or another favors the reproduction of the hegemonic discourse of racial democracy , but also contemplates the counterhegemonic discourse that understands racial democracy as a myth. In order to analyze this premise and answer the question, in addition to the reference of "mediacultures", we took the qualitative methodology of content analysis (AC) and the quantitative one from the segmentation and classification of elements of the scenes, which made it possible to obtain of frequencies and crosses with the help of SPSS statistical software. Keywords: discursive disputes; miscegenation; racial identity; TV series.pt_BR
dc.format.extent167 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectNegros - Identidade racialpt_BR
dc.subjectMestiçagempt_BR
dc.subjectTelevisão - Seriadospt_BR
dc.subjectCiência Políticapt_BR
dc.titleDisputa discursiva em torno das identidades mestiça e negra nos seriados Sexo e As Negas e Mister Braupt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record