Show simple item record

dc.contributor.authorKai, Flavia Obara, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherLourenço, Mariane Lemos, 1971-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Administraçãopt_BR
dc.date.accessioned2019-04-26T21:25:29Z
dc.date.available2019-04-26T21:25:29Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/59927
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Mariane Lemos Lourençopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Administração. Defesa : Curitiba, 21/02/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.235-254pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Estratégia e Organizaçõespt_BR
dc.description.abstractResumo: O envelhecimento populacional é uma realidade no Brasil e no mundo. Pelo fato de caracterizar-se como um processo biopsicossocial, apresenta singularidades no corpo, acarreta consequências psicológicas e possui uma dimensão existencial que envolve a relação do homem com o mundo. Uma das categorias que tem sido alvo das análises do envelhecimento é a dos docentes do ensino superior, por ser uma atividade que reflete o contexto de transformações no mundo do trabalho e as relações com a sociedade. Assim, não só o indivíduo, mas as próprias organizações buscam adaptações diante dessa nova perspectiva pela qual a sociedade está passando, especialmente no campo do trabalho. Tais adaptações, ou a falta delas, podem ser percebidas por meio da cultura organizacional e seus elementos que legitimam e oferecem significado às práticas organizacionais. Diante disso, o objetivo geral desse trabalho é compreender como se estabelece na visão dos professores o processo de envelhecer no trabalho docente diante da cultura organizacional de Instituições de Ensino Superior públicas e privadas. O referencial teórico apresenta os conceitos sobre o envelhecimento no trabalho e seus desdobramentos, a caracterização do trabalho docente no cenário brasileiro, a cultura organizacional e seus elementos e a percepção do suporte organizacional. Em relação aos procedimentos metodológicos, esta é uma pesquisa interpretativista, qualitativa e que utiliza como estratégia de pesquisa o estudo de caso comparativo. Os sujeitos da pesquisa foram 13 docentes com 50 anos ou mais de idade de duas IES, sendo uma pública e uma privada na região Sul do Brasil. A investigação e coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas semiestruturadas orientadas por roteiro e pesquisa de documentos públicos das IES. Os dados obtidos foram transcritos e codificados por meio do software ATLAS.ti. e a análise dos dados foi feita por meio da análise de conteúdo. Os resultados apontam que o envelhecimento no trabalho docente abrange múltiplas compreensões e percepções, que envolvem os aspectos da idade cronológica, biológica, psicológica e social. Além disso, se antes o trabalho era visto como uma forma de sobreviver, hoje, o trabalho docente simboliza satisfação e uma forma de se sentirem vivos. Devido à idade avançada, a questão da saída do mundo do trabalho também foi abordada, demonstrando visões diferentes sobre este momento delicado e que simboliza aspectos negativos, como doenças e incapacidades e positivos, como a possibilidade de desfrutar de momentos de lazer. Ressalta-se que a cultura organizacional pode demonstrar a valorização ou a indiferença com os docentes no processo de envelhecimento e reflete, nesta pesquisa, uma despreparação das duas IES em proporcionar aos docentes um processo que seja planejado e desenvolvido para esta fase da vida. Em complemento, existem nas instituições pesquisadas ações que dão suporte ao processo de envelhecimento, porém são frágeis e deveriam atender de forma ampla as reais necessidades dos professores neste processo. Ao final, são apresentadas as contribuições teóricas e práticas da pesquisa, bem como as sugestões para pesquisas futuras. Palavras-chave: Envelhecimento no trabalho. Trabalho docente. Ensino superior. Cultura organizacional. Elementos da cultura organizacional.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Aging is a reality in Brazil and in the world. By characterizing itself as a biopsychosocial process, it presents singularities in the body, carries psychological consequences and has an existential dimension that involves the relation of man to the world. One of the categories that has been the target of the analyzes of aging is the professors of higher education, because it is an activity that reflects the context of changes in the world of work and relations with society. Thus, not only the individual, but the organizations themselves seek for adaptations to this new perspective that society is going through, especially in the field of work. Such adaptations, or lack thereof, can be perceived through the organizational culture and its elements that legitimize and offer meaning to organizational practices. Therefore, the general objective of this dissertation is to understand how the process of aging in the teaching work is established in the view of professors before the organizational culture of public and private higher education institutions. The theoretical framework presents the concepts about aging at work and its unfolding, the characterization of the teaching work in the Brazilian scenario, the organizational culture and its elements and the perception of the organizational support. Regarding methodological procedures, this is an interpretative, qualitative research that uses as a research strategy the comparative case study. The research subjects were 13 teachers with 50 years of age or older from two HEIs, one public and one private in the southern region of Brazil. The investigation and data collection took place through semi-structured interviews guided by script and research of public documents of the HEIs. The data obtained were transcribed and coded using the software ATLAS.ti. and data analysis was done through content analysis. The results point out that aging in the teaching work encompasses multiple understandings and perceptions, which involve aspects of chronological, biological, psychological and social age. In addition, if work was seen as a way to survive, today, teaching work symbolizes satisfaction and a way to feel alive. Due to old age, the issue of retirement was also addressed, demonstrating different views on this delicate moment and symbolizing negative aspects such as illness and disability and positive aspects, such as the possibility of enjoying leisure time. It should be emphasized that the organizational culture can demonstrate appreciation or indifference with teachers in the aging process and reflects, in this research, a lack of preparation of the two HEIs in providing teachers with a process that is planned and developed for this phase of life. In addition, there are actions in the researched institutions that support the aging process, but they are fragile and should assist the real needs of teachers in this moment of life. At the end of this study, the theoretical and practical contributions of the research are presented as well as the suggestions for future researches. Key-words: Aging at work. Teaching work. Higher education. Organizational culture. Elements of organizational culture.pt_BR
dc.format.extent258 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEnvelhecimentopt_BR
dc.subjectAdministraçãopt_BR
dc.subjectTrabalho docentept_BR
dc.subjectEnsino superiorpt_BR
dc.subjectCultura organizacionalpt_BR
dc.titleA idade silenciada nas organizações : o processo de envelhecer no trabalho docente e a cultura organizacional das instituições de ensino superiorpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record