Show simple item record

dc.contributor.authorPereira, Augusto dos Santos, 1982-pt_BR
dc.contributor.otherFirkowski, Olga Lúcia Castreghini de Freitas, 1964-pt_BR
dc.contributor.otherMacedo, Mariano de Matospt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2019-03-19T17:57:34Z
dc.date.available2019-03-19T17:57:34Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/58421
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Olga Lúcia C. F. Firkowskipt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Mariano de Matos Macedopt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Defesa : Curitiba, 24/08/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.287-296pt_BR
dc.description.abstractResumo: O trabalho tem como objetivo analisar a produção de capacidade de inovar nos espaços metropolitanos de Curitiba, Porto Alegre e Recife - Brasil. Para tanto, parte de considerações sobre a natureza da inovação, em suas diversas dimensões e graus de repercussão, destacando, sobretudo, seu papel estrutural no processo de destruição criadora do capitalismo. A inovação é enfatizada como resultante de processos de aprendizado, para os quais os espaços metropolitanos são centrais. O espaço metropolitano é a entidade geográfica que permite a produção, trânsito e aplicação intensiva de conhecimento a processos, produtos, serviços, marketing, e estruturas organizacionais, por conta das características de sua forma, função e estrutura. Nele, a aglomeração de diversos fatores (setores de ponta, centros de pesquisa, universidades, etc.) e a interconectividade global permitem que haja processos de crescimento espiral da formação de conhecimento, em um ambiente de cluster de clusters, com transbordamentos locais de informações a partir de diversos mecanismos, como encontros face-a-face, proximidade institucional mediada pela proximidade local, intercâmbio de profissionais qualificados entre diversas empresas, instalação de empresas de tipo spin-off, etc. Por conta do caráter cíclico do capitalismo, capitaneado por paradigmas tecno-econômicos, o espaço metropolitano, como centro formador de conhecimento, encontra-se sujeito a um processo de modernização referenciada. Aqueles na ponta do processo de estabelecimento do paradigma tecno-econômico podem ser conceituados como espaços metropolitanos paradigmáticos, servindo como centro de produção dos parâmetros a serem perseguidos pelos agentes econômicos. A reboque de seu desenvolvimento, outros espaços metropolitanos passam por um processo de modernização retardatária, com avanços significativos, mas dominado por atrasos que podem ser reforçados pela sucessão das ondas de desenvolvimento. No atual paradigma tecno-econômico, baseado nas novas tecnologias da informação (NTI), os espaços metropolitanos de Curitiba, Porto Alegre e Recife apresentam características dessa modernização retardatária. Indicadores setoriais, ocupacionais, de ciência e tecnologia, educacionais, e de cooperação mostram que esses espaços metropolitanos têm passado por um processo de modernização em que se destacam por significativa e crescente capacidade de aprendizado para inovação, com aumento de diversos fatores (escolaridade do pessoal empregado, presença de setores de alta intensidade tecnológica, aumento de oferta e qualidade de cursos superiores e de pós-graduação, entre outros), havendo, no entanto, diversos fatores que podem reforçar seu atraso em relação a centros paradigmáticos, tais como baixa capacidade de cooperação formal, prevalência de cursos universitários de qualidade média, ainda muito grande margem para participação de pessoal altamente qualificado no mercado de trabalho, permanência de grande proporção de setores de baixa intensidade tecnológica, entre outros indicadores de defasagem. Palavras-chave: Espaço Metropolitano. Inovação. Geografia da Inovação. Modernização Retardatária. Curitiba. Porto Alegre. Recife.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The objective of the work is to analyze the production of capacity to innovate in the metropolitan spaces of Curitiba, Porto Alegre and Recife - Brazil. To this end, it is based upon considerations about the nature of innovation, in its various dimensions and degrees of repercussion, highlighting, above all, its structural role in the process of creative destruction of capitalism. Innovation is emphasized as a result of learning processes, for which metropolitan spaces are central. The metropolitan space is the geographical entity that allows the production, transit and intensive application of knowledge to processes, products, services, marketing, and organizational structures, on account of the characteristics of its form, function and structure. Within metropolitan spaces, the agglomeration of several factors (cutting-edge sectors, research centers, universities, etc.) and global interconnectivity allow for spiral growth processes of knowledge formation, in an environment of a cluster of clusters, with local overflows of information based upon various mechanisms, such as face-to-face meetings, institutional proximity mediated by local proximity, exchange of qualified professionals among different companies, establishing of spin-off companies, etc. Due to the cyclical character of capitalism, driven by techno-economic paradigms, the metropolitan space, as a knowledge-producing center, is subject to a process of referenced modernization. Those at the vanguard of the process of establishing the techno-economic paradigm can be conceptualized as paradigmatic metropolitan spaces, serving as the production center of the parameters to be pursued by the economic agents. Metropolitan spaces that follows their development undergo a process of lagging modernization, with significant advances, but dominated by delays that can be reinforced by the succession of the waves of development. In the current techno-economic paradigm, based on the new information technologies (NIT), the metropolitan spaces of Curitiba, Porto Alegre and Recife present characteristics of this lagging modernization. Sectoral, occupational, educational indicators, as well as those of science and technology and cooperation, show that these metropolitan spaces have been through a modernization process in which they stand out for significant and growing learning capacity for Innovation, with an increase in various factors (schooling of employees, presence of high technological sectors, increase of supply and quality of higher learning courses, among others), however, there are several factors that increase their delay in relation to paradigmatic centers, such as low capacity for formal cooperation, prevalence of middle quality university courses, room for increasing the participation of highly qualified workers in the labor market, permanence of a large proportion of sectors of low technological intensity, among other indicators of lag. Keywords: Metropolitan Space. Innovation. Innovation Geography. Lagging Modernization. Curitiba. Porto Alegre. Recife.pt_BR
dc.format.extent296 p. : il. (algumas color.), tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectGeografiapt_BR
dc.subjectEspaço urbanopt_BR
dc.subjectEspaços publicospt_BR
dc.subjectInovações tecnológicaspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleCapacidade para aprendizado e inovação nos espaços metropolitanos de Curitiba, Porto Alegre e Recife : análise sobre a modernização metropolitana retardatáriapt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record